Venezuela: não há solução sem Pequim

1497316118_825241_1497316484_noticia_normal_recorte1

Manifestante nos protestos de 12 de junho em Caracas. MIGUEL GUTIÉRREZ (EFE)

12/06/17

O Governo chinês se tornou mais pragmático nos últimos anos quando ditadores amigos começaram a desmoronar

Depois de anos de tentativas frustradas, fica evidente que atores regionais não têm a capacidade de ajudar a Venezuela a sair do fundo do poço. A crise política no país é mais profunda e complexa hoje do que em 2003, quando o grupo “Amigos da Venezuela”, composto por vários países latino-americanos, foi crucial para restabelecer o diálogo entre o governo e a oposição. Além disso, o vácuo de poder na América do Sul, acima de tudo devido à instabilidade política no Brasil, torna qualquer estratégia coordenada implausível.

Continuar lendo

Les BRICS joueront un rôle plus important dans le développement de l’humanité

BEIJING, (Xinhua) – A un tournant historique, les pays des BRICS ont été récemment occupés à préparer la voie pour ouvrir leur deuxième décennie.

Les BRICS joueront un rôle plus important dans le développement de l’humanité

Après la clôture du 8 juin du Forum des médias des BRICS, qui a appelé à élargir la coopération entre les médias et à renforcer la compréhension du public, les pays des BRICS ont eu une autre réunion des ministres des Affaires étrangères lundi à Beijing.

Au cours de la réunion, les ministres des AE ont applaudi aux résultats conjointement obtenus par les pays des BRICS, réitéré leurs valeurs partagées sur des questions telles que la mondialisation économique, le changement climatique et la lutte contre le terrorisme, et exprimé l’espoir de promouvoir la coopération entre les pays.

Lors de sa rencontre avec les chefs des délégations, le président chinois Xi Jinping a fait l’éloge des BRICS et de leur mécanisme de coopération.

« La coopération au sein des BRICS est une innovation, qui transcende le schéma traditionnel d’alliances politique et militaire et vise les partenariats plutôt que des alliances », a noté M. Xi.

« Elle dépasse l’ancienne mentalité d’un jeu à somme nulle et pratique un nouveau concept de bénéfices mutuels et de coopération gagnant-gagnant », a-t-il poursuivi.

Continuar lendo

Chanceleres dos Brics pedem por diplomacia para resolver tensões na Península Coreana

china-economy-brics_458cf018-550a-11e7-b50f-ad66c5ec5579

19/06/17

PEQUIM (Reuters) – Os ministros das Relações Exteriores dos países do bloco Brics pediram o uso de uma “diplomacia preventiva” para se lidar com a situação na Península Coreana, de acordo com um comunicado emitido nesta segunda-feira.

Os chanceleres de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul se reuniram em Pequim para uma conferência de dois dias que terminou nesta segunda-feira. Os líderes dos Brics irão se encontrar em Xiamen, cidade do sul da China, em setembro.

Continuar lendo

Aloysio e Tillerson discutem 10 pontos e a Venezuela

 

Postado originalmente: 02/06/2017

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, reuniu-se hoje, em 02 de Junho de 2017, com o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, em Washington. Na reunião, os dois trataram de temas de interesse comum, como investimentos, segurança e cooperação na área jurídica. Um dos principais assuntos, segundo Nunes e o Departamento de Estado dos Estados Unidos, foi a situação da Venezuela. Continuar lendo

El País: Merkel afaga Argentina em giro na América Latina que exclui Brasil

1496920021_735838_1496934986_noticia_normal_recorte1

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, recebe na Casa Rosada a chanceler alemã, Angela Merkel.

08/06/2017

Chanceler alemã e Macri se unem contra Trump e por livre comércio às vésperas de troca no G20

Já é uma constante em seu primeiro ano e meio de mandato: Mauricio Macri recebe notícias muito melhores do exterior do que de sua terra. Aplaudido pelos países centrais, que agradecem por ter acabado com 13 anos de kirchnerismo, o presidente argentino recebeu a visita que faltava para fechar o círculo do retorno de seu país ao eixo central das relações internacionais: a chanceler alemã Angela Merkel chegou a Buenos Aires com a intenção de fortalecer as relações, mostrar seu apoio a Macri e passar o bastão do G-20, do qual foi a anfitriã este ano e que em 2018 acontecerá na Argentina. Merkel passará ainda pelo México, também membro do G20, mas o Brasil, outro país latino-americano do grupo e em profunda crise doméstica, não foi incluído no périplo.

Continuar lendo

26 º contingente brasileiro realizará a fase final da MINUSTAH

 

Postado originalmente – 02/06/17

Em cerimônia realizada nesta sexta-feira (2), na Base General Bacelar, em Porto Príncipe, o 26º Contingente Brasileiro (CONTBRAS) na Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH) foi efetivado como a última tropa que realizará a fase final da missão, que se concluirá em 15 de outubro. A representante especial do secretário-geral da ONU, Sandra Honoré; o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira Filho e o Force Commander da MINUSTAH, general Ajax Porto Pinheiro; o chefe de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa, César Augusto Nardi de Souza, estavam no evento. Continuar lendo

Sob governo Temer, Brasil é o 2º mais corrupto em lista com 63 países

Postado originalmente – 01/06/17

Afetado em cheio pela crise política e com praticamente um terço do Congresso sob investigação, além das suspeitas de corrupção que recaem diretamente sobre Michel Temer, o Brasil aparece como o segundo país mais corrupto, atrás apenas da Venezuela, no Relatório Global de Competitividade Global 2017 da IMD. Além disso, dentre os 63 países pesquisados, o Brasil ocupa a terceira pior posição no que diz respeito a competitividade.

De acordo com o documento, o Brasil figura na 62ª posição, a segunda pior do ranking global, só na frente também da Venezuela, no que diz respeito a eficácia governamental. No quesito “propina e corrupção”, o Brasil também aparece como o segundo pior entre os 63 países analisados.

Segundo a pesquisa do IMD, o Brasil ocupa, ainda a 61ª posição no que diz respeito à competitividade, ficando à frente apenas da Mongólia e Venezuela.

Fonte: Brasil247