Violência na República Democrática do Congo deixa mais de 3 mil mortos em oito meses

23412607

Voluntária leva alimentos para deslocados pelo conflito na região de Kasai (foto de 7 de junho de 2016) Foto: JOHN WESSELS / AFP / AFP

20/06/17

Desde setembro de 2016, a região de Kasai é abalada por uma rebelião que já causou o deslocamento de 1,3 milhão de pessoas

Mais de 3 mil pessoas morreram desde outubro de 2016 na região do Kasai, no centro da República Democrática do Congo (RDC), de acordo com um documento da Nunciatura Apostólica no país. A nota técnica cita 3.383 mortes registradas desde outubro no Kasai, enquanto a ONU registrava um balanço estimado de “mais de 400 mortos”.

O documento apresenta um “resumo dos danos sofridos pelas instituições eclesiásticas” baseado em relatórios a partir de 13 de outubro de 2016 — quando aconteceu um primeiro ataque a uma paróquia.

Continuar lendo

Panamá, de construir un canal a fabricar un Estado

Texto 28

27/12/2016, by Adrián Albiac

Muchos pensarán que el canal de Panamá recibe su nombre de la república que lo alberga; sin embargo, la historia es más bien al revés. En este artículo trataremos de desvelar los orígenes de un país confeccionado por políticos y lobistas de Wall Street.

En la mesita de noche de la suite 1162 del hotel Walford Astoria descansa entreabierta la novela Captain Macklin. Publicada en 1902, relata las aventuras de un joven cadete de West Point y un veterano militar francés que, tras acabar en Honduras, inician una revolución que los llevará hasta la presidencia del país. La historia, más allá de la entretenida acción de la novela, puede que no sea demasiado transcendente; sin embargo, en las manos adecuadas, puede resultar tremendamente inspiradora.

Jon Hay, que además de secretario de Estado de los EE. UU. es un gran lector, es consciente de esto y en su último encuentro con Philippe Bunau-Varilla ha procurado entregarle un ejemplar de la novela al francés. ¿Por qué no fingir ser esos dos grandes aventureros de Captain MacKlin? Al fin y al cabo, ellos también llevan varios meses intentando crear un nuevo país en Centroamérica. Si en la novela MacKlin y el general Laguerre tenían Honduras, ellos tendrán Panamá.

No obstante, retrocedamos un poco. Como todas las buenas historias, esta debe ser contada desde el principio.

Continuar lendo →

O que esperar do Governo Trump, segundo diplomatas e empresários

Publicado originalmente em: 22/11/2016

Amcham Brasil Câmara Americana de Comércio

Balanço da economia brasileira

Publicado originalmente em: 09/12/2016

Nossa economia está enfrentando pela primeira vez dois anos seguidos de queda no nível de atividade. No ano passado, tivemos uma retração de 3,8% e a projeção para 2016 não é nada animadora: analistas esperam um “tombo” de 3,22% até o final do ano. Por trás desses números negativos estão o aumento do desemprego a cada trimestre e a dificuldade do brasileiro em consumir produtos básicos e fazer investimentos de longo prazo. O que é preciso fazer para sair dessa recessão histórica? Como gerar empregos? Qual a influência da crise política que atravessamos sobre os resultados econômicos? A aprovação da PEC do teto dos gastos pode solucionar todos os problemas da nossa economia? Essas são dúvidas de muitos brasileiros e é o que será discutido nesse debate, com um balanço da economia brasileira em 2016 e algumas projeções para 2017.

Sala Debate

Entenda a importância do BEPS para a transparência dos grupos multinacionais

Publicado em: 30/11/2016

Amcham Brasil Câmara Americana de Comércio

Jamie Dimon Talks Trump and the Global Economy

Published on Dec 22, 2016

In an exclusive interview with Bloomberg Businessweek Editor Megan Murphy in Detroit, Michigan, JPMorgan Chase Chairman and Chief Executive Officer Jamie Dimon gives his take on politics, policy and the global economy.

Bloomberg

2016: um ano de desafios e conquistas para o mundo

O ano de 2016 foi um período cheio de desafios para a comunidade internacional. A guerra na Síria se agravou, apesar dos esforços pela paz, e conflitos violentos também recrudesceram no Sudão do Sul, no Iêmen e em outras partes do mundo. Na comparação com 2015, houve um aumento de 5 milhões no número global de refugiados.

Publicado em 30 de dez de 2016

 

Fonte: ONU BR