EUA impõem tarifas recorde de US$ 7,5 bilhões sobre importações da União Europeia

No início deste mês, a Organização Mundial do Comércio (OMC) determinou que Washington poderia impor tarifas a produtos da União Europeia no valor de US$ 7,5 bilhões.

As tarifas em questão foram introduzidas como medida punitiva por aquilo que a OMC determinou serem subsídios ilegais à empresa aeroespacial Airbus, que causaram “efeitos adversos” à empresa rival norte-americana Boeing.

Nesta sexta-feira (18) os EUA cumpriram a determinação e impuseram tarifas a mercadorias da UE avaliadas em US$ 7,5 bilhões (R$ 30,9 bilhões) tendo como alvo os sectores aeronáutico e agrícola e abrangendo tais produtos como o queijo italiano e vinho francês, informa agência AFP.

A União Europeia avisou várias vezes Washington de que aplicaria medidas equivalentes se os EUA avançassem com a imposição de tarifas.

O gabinete do Representante de Comércio dos EUA anunciou que iria introduzir as referidas tarifas aos produtos europeus após a decisão da OMC, pondo fim a uma disputa comercial que começou em 2004.

Os responsáveis da União Europeia, por outro lado, defenderam que a Boeing se beneficiou de subsídios similares. Contudo a decisão da OMC não limita as tarifas dos EUA ao setor aeronáutico, podendo abranger outros setores.

Na sequência da decisão da Organização Mundial do Comércio, EUA decidiram aumentar as taxas de importação de produtos da UE em 10% no sector aeronáutico e de 25 % no setor agrícola.

Em 2005, a UE acusou a Boeing de ter recebido US$ 19,1 bilhões (R$ 78,8 bilhões) em subsídios ilegais de várias agências governamentais dos EUA entre 1989 e 2006.

Sputnik Brasil

Agence France Presse

OMC aprova autorização de sanções dos EUA contra UE em litígio relativo à Airbus

© AP Photo / Fabrice Coffrini
Entrada para a sede da OMC em Genebra, Suiça (foto de arquivo)

Cecilia Malmstrom, comissária europeia para o Comércio, escreveu ao representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, instando a negociações para encontrar uma solução para o litígio, dizendo que os direitos aduaneiros não são a solução.

Só vão prejudicar as empresas, pôr em risco postos de trabalho em ambos os lados do Atlântico, prejudicar o comércio mundial e a indústria da aviação em geral em um momento delicado“, diz a carta, à qual a Reuters teve acesso.

Exigências mútuas

Neste litígio iniciado em 2004, Washington procurou impor tarifas sobre as importações europeias no valor de US$ 11 bilhões (R$ 45,4 bilhões) por ano, mas este valor foi reduzido pela arbitragem da organização comercial.

As sanções dos EUA envolvem tarifas de 25% sobre vários produtos industriais e agrícolas, como uísque escocês, vinho francês, queijo italiano, azeitonas, camisolas, lã ou caxemira. Além disso, se aplicarão tarifas de 10% aos grandes aviões civis.

A nova política tarifária de Washington já não pode ser objeto de apelação junto da OMC e será prolongada no tempo até que o bloco comunitário elimine seus subsídios à Airbus, um concorrente direto da empresa americana Boeing.

Bruxelas, por seu lado, terá em breve a oportunidade de responder a Washington com suas próprias tarifas.

Em 2005, a UE acusou a Boeing de ter recebido US$ 19,1 bilhões (R$ 78,8 bilhões) em subsídios ilegais de várias agências governamentais dos EUA entre 1989 e 2006. Depois de ganhar uma série de vitórias neste caso semelhante, Bruxelas pediu à OMC para permitir a imposição de US$ 12 bilhões (R$ 49,5 bilhões) em tarifas retaliatórias contra os EUA.

A OMC poderia autorizá-las, embora reduzindo o montante, em uma decisão que se espera seja formalizada nos próximos seis meses.

Sputnik Brasil

Europa promete retaliar tarifas dos EUA e mira Boeing

O ministro da Economia e das Finanças da França, Bruno Le Maire, condenou a adoção de novas tarifas nos EUA sobre produtos agrícolas e industriais da União Europeia.

O ministro observou que, se os Estados Unidos não querem negociar, os países europeus estão dispostos “a responder com pesadas sanções no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC)”.

Atacar os nossos produtores de vinho é um ato agressivo. Os Estados Unidos deveriam seguir a lógica das negociações. Seria uma maneira sábia“, twittou Le Maire.

Por outro lado, a Comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmstrom, alertou que a União Europeia será forçada a impor tarifas no “caso Boeing” em resposta às novas medidas dos EUA.

Lamentamos a decisão dos EUA de avançar na área de tarifas. Essa etapa não nos deixa outra alternativa a não ser aplicar nossas próprias tarifas com os devidos procedimentos no caso da Boeing“, afirmou Malmstrom em comunicado.

A Comissária enfatizou que “a imposição mútua de tarifas não serve aos interesses de ninguém a longo prazo“.

Isso provocará danos significativos na cadeia de suprimentos altamente integrada dos setores aeronáuticos nos EUA e na UE, além de resultar em danos colaterais a muitas outras áreas”, alertou.

Nesse contexto, Malmstrom disse que a Comissão Europeia pretende monitorar o impacto das medidas norte-americanas “nos produtos europeus, especialmente no setor agrícola“.

Em 3 de outubro, a Organização Mundial do Comércio decidiu que os EUA podem impor tarifas no valor de 7,5 bilhões de dólares aos produtos europeus, para compensar os subsídios concedidos pela UE à empresa Airbus.

As tarifas norte-americanas, adotadas em 18 de outubro, são de 10% para aviões e de 25% para produtos agrícolas e industriais da UE.

Sputnik Brasil

Our manifesto to save Europe from itself -Thomas Piketty

We need to reduce inequality within countries, not between them, and invest in the future of all Europeans

Force spéciale US aux portes de la Russie

Force spéciale US aux portes de la Russie

Washington «installe silencieusement» ses forces spéciales à la frontière russe, a écrit Nick Truse, chroniqueur du journal The Nation.

Durant l’année dernière, le nombre d’effectifs des forces spéciales américaines en Europe « a quadruplé ». Et maintenant, des unités d’élite américaines sont stationnées dans presque tous les pays voisins de la frontière ouest de la Russie, dit l’auteur.

Continuar lendo

World War I: The Seminal Tragedy – I: The Concert of Europe – Extra History