A capoeira na Cooperação Internacional Brasileira

767

Projeto ‘Capoeira: formação técnico–profissional e cidadania’

08/08/17

Entre os anos de 2011 e 2016, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), com o apoio da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizou em São Tomé e Príncipe (STP) o projeto “Capoeira: formação técnico-profissional e cidadania”. Apesar de ter suas atividades encerradas, a iniciativa deixou frutos importantes no país africano.

Considerado pela ABC o projeto de cooperação brasileira mais conhecido pelos jovens em STP, ele foi executado pela Associação Raízes do Brasil, que atua nessa área há mais de 30 anos. Seu objetivo foi realizar aulas, oficinas e eventos para ensinar técnicas de capoeira aos cidadãos, além de proporcionar momentos de lazer e compartilhar os valores morais e éticos vinculados a prática deste esporte tão tradicional no Brasil. No início foram apenas quatro alunos, mas, logo, foram se juntando mais, haja vista que a Associação passou a promover séries de oficinas de formação em várias partes do território.

Continuar lendo

Anúncios

Indígenas do Japão lutam para conservar sua cultura

Os Ainus são um povo indígena no Japão e, por causa de políticas de assimilação implementadas pelo governo japonês no século XIX, chegaram a ser considerados um grupo étnico ameaçado. Hoje, há uma preocupação em conservar a rica cultura e idioma dos Ainus, incluindo seus rituais tradicionais, danças e músicas.

UNESCO lembra importância da filosofia para o respeito à diversidade

Publicado em

No Dia Mundial da Filosofia, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, lembrou a importância da filosofia para a compreensão, o respeito e a consideração pela diversidade de opiniões, pensamentos e culturas que enriquecem a forma como vivemos no mundo.

“Neste ano, nós celebramos no Dia Mundial da Filosofia imediatamente após o Dia Internacional da Tolerância. Essa coincidência é profundamente significativa, considerando vínculo que existe entre tolerância e filosofia”, declarou Bokova em sua mensagem para o dia.

biblioteca

No Dia Mundial da Filosofia, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, lembrou a importância da filosofia para a compreensão, o respeito e a consideração pela diversidade de opiniões, pensamentos e culturas que enriquecem a forma como vivemos no mundo.

“Neste ano, nós celebramos no Dia Mundial da Filosofia imediatamente após o Dia Internacional da Tolerância. Essa coincidência é profundamente significativa, considerando vínculo que existe entre tolerância e filosofia”, declarou Bokova em sua mensagem para o dia.

“Tal como acontece com a tolerância, a filosofia é uma arte da convivência, com o devido respeito aos direitos e aos valores comuns. É a habilidade de ver o mundo com um olhar crítico, consciente dos pontos de vista de outros, e fortalecido pela liberdade de pensamento de consciência e de crença.”

Segundo a chefe da UNESCO, a filosofia é mais do que uma disciplina acadêmica; é uma prática diária que ajuda as pessoas a viverem de uma forma melhor e mais humana. “O questionamento filosófico é aprendido e aperfeiçoado desde a mais tenra idade, como uma chave essencial para inspirar o debate público e defender o humanismo, que sofre por causa da violência e das tensões existentes no mundo”, disse.

“A filosofia não oferece quaisquer soluções prontas, mas sim uma busca perpétua para questionar o mundo e tentar encontrar um lugar nele.”

Segundo Bokova, ao longo desse caminho, a tolerância é tanto uma virtude moral como uma ferramenta prática para o diálogo.

“Não tem nada a ver com o relativismo ingênuo, que afirma que tudo é igualmente válido; é um imperativo individual para ouvir, tanto mais impressionante por ser fundamentado em um compromisso firme para defender os princípios universais da dignidade e da liberdade.”

Neste ano, a UNESCO celebra os aniversários de dois filósofos eminentes, Aristóteles e Leibniz, que contribuíram para o desenvolvimento da metafísica e da ciência, da lógica e da ética.

Os dois, distantes alguns séculos entre si e em contextos culturais muito diferentes, colocaram a filosofia no centro da vida pública, como a peça central de uma vida livre e digna.

“Vamos celebrar esse espírito; vamos ousar em abrir espaços para o pensamento livre, aberto e tolerante. Com base nesse diálogo, nós podemos construir uma cooperação mais forte entre cidadãos, sociedades e Estados, como um fundamento duradouro para a paz”, concluiu Bokova.

Fonte: ONU BR

UNESCO: ‘cultura permite a milhões de artistas e profissionais ganharem a vida com seu trabalho’

Diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, alertou que “os inimigos dos direitos humanos sempre atacam a diversidade cultural, que simboliza a liberdade de ser e de pensar — o que é intolerável para eles”.

Publicado originalmente em: 30/05/2016

slide1

Em mensagem sobre o Dia Mundial para a Diversidade Cultural e para o Diálogo e o Desenvolvimento – celebrado em maio (21) –, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, destacou o papel da cultura para a promoção do crescimento socioeconômico responsável.

“A celebração da diversidade cultural significa a abertura de novas perspectivas para o desenvolvimento sustentável, assim como a promoção de indústrias criativas e do empreendedorismo cultural como fontes de milhares de empregos em todo o mundo – particularmente para os jovens e especialmente para as mulheres”, explicou a dirigente.

Bens e serviços culturais têm identidades, pontos de referência e valores, ao mesmo tempo em que permitem que milhões de criadores, artistas e profissionais ganhem a vida com o seu trabalho.

Segundo Bokova, “a cultura oferece uma oportunidade única de conciliar os aspectos econômicos e sociais do desenvolvimento”. “Bens e serviços culturais têm identidades, pontos de referência e valores, ao mesmo tempo em que permitem que milhões de criadores, artistas e profissionais ganhem a vida com o seu trabalho.

A diretora-geral lembrou ainda que “a celebração da diversidade cultural também significa estar consciente dos laços que nos unem ao nosso meio ambiente, uma vez que a diversidade cultural é tão necessária para a humanidade como a biodiversidade é para a natureza”.

Bokova alertou que “os inimigos dos direitos humanos sempre atacam a diversidade cultural, que simboliza a liberdade de ser e de pensar — o que é intolerável para eles”.

Neste dia, vamos ousar responder a eles de forma coletiva: eu chamo todos os Estados-membros a fortalecer o espírito deste dia, como uma arma pacífica contra as tentações do isolacionismo, do fechamento e da exclusão, que levam a humanidade a renunciar a si mesma, ignorando a sua própria riqueza”, convocou a diretora da agência da ONU.

Fonte: ONU Brasil

The Siddis: A Forgotten People

Published on Mar 11, 2016
Gujarat in western India is home to more than 20,000 Siddis, an ethnic group of African descent. But today, many live on the fringes of society in poverty. One young man is fighting to protect their unique heritage – as well as their close ties with the remaining Asiatic lions of the neighbouring Gir forest- by raising awareness of their culture through dance.
United Nations

UN in Brazil launches documentary on Black Awareness Day

20/11/2015

Considered the most important national Black hero, Zumbi dos Palmares plays a crucial role in the History of Brazil. The national holiday celebrated every November 20 is an invitation to remember the fight for freedom of slaves and to reflect on the progress and challenges faced by the Black population in Brazil. Watch this documentary made as part of the UN International Decade for People of African Descent.

Para ver o vídeo em português, clique aqui.

Considerado o maior herói negro nacional, Zumbi dos Palmares é figura presente na história do Brasil. No dia 20 de novembro de 2015, em comemoração ao dia da Consciência Negra e à Década Internacional de Afrodescendentes da ONU, a Organização lançou um documentário que relembra a luta pela libertação dos escravos e procura refletir sobre os avanços e desafios da população negra no Brasil. 

 Fonte: ONUBrasil

Documentário: A History of God

Vídeo