Des bombardiers nucléaires russes et US dépêchés vers la Corée du Nord

La Russie et les États-Unis ont dépêché leurs bombardiers porteurs d’armes nucléaires aux frontières de la Corée du Nord sur fond de tensions provoquées par l’échange de menaces d’une attaque nucléaire entre Washington et Pyongyang, d’après le journal The Sun.

Des bombardiers nucléaires russes et US dépêchés vers la Corée du Nord

Un bombardier furtif américain Northrop B-2 Spirit capable de porter jusqu’à 31500 kg de bombes dont des armes nucléaires, a décollé le weekend dernier de la base aérienne de Whiteman, dans le Missouri, pour une mission de longue durée dans la région Asie-Pacifique, a annoncé le journal britannique The Sun.

La Russie a elle-aussi envoyé des bombardiers stratégiques dans cette région, dans le cadre d’exercices de routine organisés le 30 octobre, d’après le ministère russe de la Défense.

Des chasseurs F-18 américains et des F-15, F-4 et F-2A japonais ont escorté deux bombardiers lourds russes Tupolev Tu-95MS sur certains secteurs de leur vol alors qu’ils survolaient les eaux internationales de la mer du Japon et de la partie occidentale du Pacifique.

Selon The Sun, la menace d’une guerre nucléaire impliquant la Corée du Nord ne cesse de s’accroître, si des bombardiers stratégiques de deux grandes puissances comme la Russie et les États-Unis s’approchent presque simultanément des frontières nord-coréennes.

Continuar lendo

Anúncios

A resposta sino-russa à crise da Coreia do Norte

Vladimir_Putin_and_Xi_Jinping,_BRICS_summit_2015_01

Publicado originalmente em 03/10/17

China e Rússia vêm empreendendo ações para lidar com a crise de segurança na península coreana. Os dois Estados realizaram no mês de setembro (2017) exercícios militares conjuntos envolvendo submarinos a 100 milhas da costa norte-coreana. Os corpos diplomáticos destes países percebem, no entanto, que a intimidação e balanceamento apenas aumentam as tensões. Adicionalmente, estes países fazem fronteira com a Coreia do Norte, o que naturalmente torna mais cautelosa a sua postura e menor a sua margem de ação.

Continuar lendo

Nove países com poder nuclear têm um arsenal de 14.934 armas

1505524987_911757_1505526683_noticia_normal_recorte1

Países que possuem armas reduziram reservas nucleares nos últimos anos, mas multiplicaram investimento

Publicado originalmente em 06/10/17

As armas nucleares estão em poder de nove países. Estados UnidosRússiaFrançaReino UnidoÍndiaPaquistãoChinaIsrael e Coreia do Norte armazenavam no começo de 2017 quase 15.000 dispositivos desse tipo, de acordo com dados do Instituto de Pesquisas para a Paz de Estocolmo (SIPRI).

Esses Estados reduziram suas reservas atômicas nos últimos anos, mas multiplicaram o orçamento e estão em um ambicioso processo de renovação. O Escritório de Orçamentos do Congresso norte-americano anunciou um investimento de 400 bilhões de dólares (1,26 trilhão de reais) durante o próximo decênio e o Parlamento britânico aprovou há um ano, com respaldo de 80% dos deputados, a renovação de seu envelhecido arsenal com um custo inicial de 40 bilhões de libras (165 bilhões de reais).

Continuar lendo

Coreia Nuclear

Fonte: Nerdologia

Como a Coreia do Norte contorna as sanções da ONU?

8607594

18/09/17

Apesar da crescente pressão econômica que as sanções determinadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) aplicam na Coreia do Norte, nada parece deter os testes de mísseis do país asiático.

Como, então, Pyongyang consegue manter seu programa militar e nuclear? Uma investigação da ONU e dos Estados Unidos, obtida pelo jornal South China Morning Post, encontrou oito maneiras utilizadas pela Coreia do Norte para contornar as sanções:

Continuar lendo

Primeiro-ministro do Japão dissolve Parlamento e indica rearmamento militar

2017-09-25t095556z_585681307_rc1e8e1e7700_rtrmadp_3_japan-election-e1506334181448

25/09/17

O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe decidiu dissolver o Parlamento do país, em prol da antecipação em um ano das eleições legislativas no país asiático. Uma das justificativas é obter maior apoio no embate contra a Coreia do Norte.

A medida deve valer a partir da próxima quinta-feira, segundo informações da Agência Reuters.

Em conferência de imprensa nesta segunda-feira, Abe destacou que a antecipação das eleições visa não só fortalecer a economia do país, mas também permitir maior possibilidade ao Japão na sua defesa contra a ameaça norte-coreana.

Continuar lendo

Kim Jong-Un: A Brilliant Leader

Fonte: PolyMatter