China abrirá sua primeira base militar no exterior em Djibouti

379934-c005c3fd4f4a8c136745436588fe95bb

17/08/17

No dia 11 de julho de 2017, o Exército de Libertação Popular enviou oficialmente tropas militares para a abertura da primeira base naval da China no exterior. Situada em Djibouti, Estado localizado no Chifre da África, a instalação é chamada de Base de Suporte Logístico pelo Governo chinês. A localização geográfica de Djibouti é estratégica, pois oferece acesso ao Estreito Bab el-Mandeb, que conecta o Golfo de Áden ao Mar Vermelho. Por conta disso, seu território já possui bases militares de Japão, Estados Unidos e França.

Apesar do crescimento de 6,3% do PIB em 2016, as condições socioeconômicas de Djibouti ainda são precárias. Nota-se que, no mesmo ano, a taxa de desemprego atingiu 48% e estima-se que 23% da população djibutiana vive em situação de pobreza extrema. Por conta disso, os crescentes investimentos chineses no país são recebidos com entusiasmo.

Continuar lendo

Anúncios

China and India: A Lesson in Conflict Resolution

thediplomat-doklam_standoff-386x265

In a violent world, the two behemoths offer a welcome respite.

01/09/17

China and India just reminded the world – especially those who have seen the slaughter in the killing fields in the Middle East and Africa – that differences among people can be settled without firing a shot, without anyone getting killed. The dispute began when China started to pave a road in a Himalayan region at a plateau in Doklam, a territory China considers part of its land but India recognizes as part of the kingdom of Bhutan, its close ally. India sent its troops to stop China, and in turn China sent its troops to reinforce its claims.

Continuar lendo

Crescem as tensões na fronteira entre Índia e China

Sino-Indian_Geography

16/08/17

Estão aumentando as tensões na fronteira entre Índia e China, mais precisamente na região de Doklam, nos Himalaias, que é um território reivindicado pela China e pelo Butão. As ações começaram no mês de junho deste ano (2017) e a Índia posicionou tropas no Tibete, após ter ocorrido um pedido de ajuda do Butão para a resolução deste impasse. O Governo chinês, por sua vez, alertou que a Índia deve retirar suas tropas imediatamente.

É importante lembrar que Índia e China já travaram uma guerra por questões fronteiriças* no ano de 1962, durante a Guerra Fria. Naquele contexto a China obteve a vitória, conseguindo anexar uma parte dos territórios em disputa. A conjuntura política e militar do sistema internacional e dos atores envolvidos é muito diferente no período atual e a probabilidade de que estas tensões escalem para um conflito armado é pequena, devido à posse de armamento nuclear por ambas as partes.

Continuar lendo

Índia amplia sua atuação no Sul global

UNDP_Achim Steiner_India_UNOSSC_14 July 2017_Andrew Hein

22/08/17

A Índia, em parceria com a Agência das Nações Unidas para Cooperação Sul-Sul (UNOSSC, sigla em inglês), criou recentemente o Fundo Índia-ONU de Parceria para o Desenvolvimento. Como pontapé inicial, o país asiático já contribuiu com um milhão de dólares.

Esta iniciativa visa apoiar projetos de desenvolvimento sustentável em países do Sul global, em especial aqueles de menor renda per capita, e as pequenas ilhas-Estado. Ela também servirá para o alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, tais como ações de combate à pobreza, à subnutrição e às mudanças climáticas.

Continuar lendo

Coreia, Afeganistão e a arapuca da Guerra Sem Fim

USA-Russia-North-Korea-835330

29/08/17

Há mais paralelos que o olho não alcança entre uma guerra dos anos 50 que nunca foi encerrada no nordeste da Ásia e outra guerra que já dura 16 anos, no ponto em que se cruzam a Ásia Central e o Sul da Ásia. Comecemos pela República Popular Democrática da Coreia (“Coreia do Norte”).

Mais uma vez, EUA e Coreia do Sul insistem em seus “Jogos Vorazes”. Não precisava ser assim. O ministro de Relações Exteriores da Rússia Sergey Lavrov explicou como acontece:

“Rússia e China juntas desenvolveram um plano que propõe um ‘duplo resfriamento’: Kim Jong-un congela seus testes nucleares e para de disparar mísseis balísticos dos mais diferentes tipos; e EUA e Coreia do Sul congelam as grandes manobras na região, que estão sendo usadas como pretexto para os testes do Norte.”

Continuar lendo

Presidente do México visitará a China para fomentar o comércio

5_7_orig

31/08/17

De acordo com a Secretaria de Relações Exteriores, o Presidente do México, Enrique Peña Nieto, foi convidado pelo presidente chinês Xi Jinping para participar de um Diálogo de Economias Emergentes durante um Fórum de Negócios, entre os dias 4 e 5 de setembro, em Xiamen, na China.

Além do encontro bilateral com o anfitrião chinês, Peña Nieto também participará da IX Reunião de Cúpula dos BRICS (bloco econômico formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Durante o evento serão discutidos os seguintes temas: cooperação e implementação da Agenda 2030*; intensificação da cooperação Sul-Sul; promoção do comércio; e a aplicação de mecanismos para à erradicação da pobreza.

Continuar lendo

A Cooperação Marítima Sino-Russa de 2017

04/08/17

No fim do último mês (Julho), teve início a cooperação marítima de 2017 entre a Rússia e a China. A primeira fase do exercício ocorreu entre os dias 21 a 28 de julho, no Mar Báltico, a qual contou com a participação inédita de navios chineses na Europa e teve a colaboração de navios, aviões e helicópteros de ambos os atores. A segunda fase está marcada para ser feita em setembro deste ano (2017) no Mar de Okhotsk e no Mar do Japão.

treinamento conjunto já foi feito em diversas localidades da Ásia, tais como no Mar Amarelo (2012), no Mar do Japão (2013) e no Mar do Sul da China (2016), e tem por objetivo: aumentar a eficiência das frotas no âmbito do combate marítimo; auferir maior coerência entre as tripulações; e reforçar a lógica da cooperação entre os marinheiros.

Continuar lendo