Pesquisa revela que migração nos EUA apresenta índices historicamente baixos


mover-rate-2017

Publicado originalmente em 05/12/17

Uma nova pesquisa divulgada no mês de novembro de 2017 pelo United States Census Bureau aponta que a série histórica de movimentos migratórios em 2016-2017 mostra uma queda expressiva. De acordo com o órgão governamental, após oito anos do fim da recessão econômica e, por conseguinte, com a economia apresentando dados sustentáveis, a movimentação que ocorreu em outros tempos apresentou taxa baixa, de 11%, equivalente ao pós-segunda guerra mundial.

Para William H. Frey, especialista do Programa de Políticas Metropolitanas do Brookings Institute, o declínio do índice anual de mobilidade é resultado de tendências de longo prazo, como o envelhecimento da população e o aumento do número de proprietários de imóveis, que se deslocam menos que os inquilinos.

Ainda de acordo com o analista, a maior parte do declínio recente da mobilidade se deve a movimentos locais, preterindo movimentos de longa distância. Foi essa nova tendência de mobilidade local dentro dos limites do município que produziu a redução da taxa de mobilidade geral. Entretanto, as taxas de migração interestadual aumentaram ligeiramente nos últimos dois anos, resultado da influência por empregos e valor de mão-de-obra mais atrativos no mercado.

Outro destaque do relatório fica por conta da geração de “millennials”*, com idades entre 25 e 34 anos, que apresentam índices de mobilidade local estagnado, porém aumento na migração de longa distância. Para o United States Census Bureau, esses movimentos tendem a ser mais permanentes do que aqueles de adultos com menos de 25 anos, além disso, permitem um foco no segmento mais antigo da geração millennials, que foi duramente atingido pela recessão e pela crise da habitação.

Isso sugere que o recente aumento do emprego está levando mais indivíduos desse grupo a avançar longas distâncias, para regiões que crescem mais rapidamente, em especial em áreas denominadas “Sun Belt”** e outras áreas metropolitanas menores.

O relatório ainda aponta, em caráter conclusivo, que a desaceleração nacional do fluxo migratório iniciada em 2007-2009 levou longo tempo para recuperar. Nos anos 2000 a mobilidade estava em pleno vigor, apoiada pelo dinâmico crescimento econômico da região do Sun Belt, com habitação a preços acessíveis nos subúrbios e comunidades menores.

Notas:

Millennials: Termo utilizado para designar os nascidos após os anos 1980 e meados da década de 1990. Compete ao termo também designar que a geração se desenvolveu numa época de grandes avanços tecnológicos, com facilidade material e ambiente predominantemente urbanizado.

** Sun Belt: “Sun Belt”, ou “Cinturão do Sol” é o termo para designar as regiões sul e sudoeste dos EUA que apresentam grande crescimento econômico e demográfico. Corresponde aos estados do Arizona, Califórnia, Flórida, Nevada, Novo México, Texas, Geórgia e Carolina do Sul. Podem ser considerados parte dessa região os Estados da Louisiana, Mississippi e Alabama.

Fonte: CEIRI Newspaper

Anúncios

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s