ONU discute papel da ciência e da tecnologia para a saúde e o bem-estar


Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, o Mecanismo de Facilitação de Tecnologia da ONU, o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) promoveram consulta internacional sobre o papel da ciência, da tecnologia e da inovação no cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, especialmente no que se refere à saúde e ao bem-estar.

Representantes e especialistas de setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa estiveram presentes em apresentações e debates cujo foco foi o cumprimento da Agenda 2030 por meio da ciência, da tecnologia e da inovação. Discutiu-se também oportunidades de avanço na saúde e experiências de uso de plataformas online. Duas plataformas digitais sobre colaboração e participação no desenvolvimento sustentável também foram lançadas.

Mais no vídeo e em http://bit.ly/fiocruz2030

Anúncios

3 respostas em “ONU discute papel da ciência e da tecnologia para a saúde e o bem-estar

  1. Assistindo ao vídeo, podemos extrair as principais questões discutidas, como as formas de mapear o progresso e a eficácia de mecanismos e políticas que integrem saúde e inovação e maneiras de priorizá-los; iniciativas para potencializar a saúde como referência de monitoramento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e suas metas; a identificação de características específicas da inovação em saúde a serem levadas em consideração na construção de uma plataforma de ciência e tecnologia na saúde; entre outros temas.
    A saúde é parte integrante do desenvolvimento sustentável, é um direito individual e coletivo, articulando a inovação e a base produtiva para os direitos humanos, a equidade e a inclusão social. O setor saúde também é uma plataforma onde novos paradigmas de Ciência, Tecnologia e Inovação em áreas como tecnologia da informação estão evoluindo com base em parcerias importantes entre os setores público, privado e acadêmico. A saúde também contribui em diferentes papéis, pois é um pré-requisito e um indicador do progresso no desenvolvimento sustentável. Assim, a ciência, a tecnologia e a inovação são cruciais para a implementação da Agenda 2030. Esse tipo de discussão objetiva fortalecer as capacidades de aproveitamento de iniciativas fundamentais em operacionalizar novos mecanismos de facilitação tecnológica para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nos níveis local, nacional e regional.

    Curtir

  2. É importante que discussões como essas estejam nas pautas da ONU, visto que cada vez mais o desenvolvimento tecnológico abrange as vidas de toda a população, ao redor do mundo. No que tange a saúde e ao bem estar, esses são assuntos que devem ser tratados como prioridade em todas as nações, visto que é de uma importância crucial para um bom desenvolvimento de todos os cidadãos. Pra conciliar o crescimento mundial, com toda essa tecnologia e a manutenção de um parâmetro saudável, é necessário que todo esse desenvolvimento seja sustentável, uma vez que não o sendo, o ambiente como um todo ficaria prejudicado, o que afeta diretamente na saúde e no bem estar das pessoas.
    O que é discutido são mecanismos que conseguem tanto abranger o desenvolvimento, como priorizar a saúde, atingindo então os objetivos do desenvolvimento sustentável. Conclui-se, então, a importância da ciência, tecnologia, inovação integrarem a Agenda 2030, tendo a saúde e o bem estar como prioritários nesse cenário e trazendo uma conciliação de todos esses complexos que compõe, hoje, todo o cenário internacional.

    Curtir

  3. Indo na contramão do que foi discutido pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, o Mecanismo de Facilitação de Tecnologia da ONU, o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) durante a consulta internacional sobre o papel da ciência, da tecnologia e da inovação no cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o Brasil anunciou cortes no investimento para ciência e tecnologia – sobretudo nas bolsas de fomento a pesquisa científica e acadêmica – para no ano de 2019.
    A ONU coloca em pauta tais discussões justamente porque o desenvolvimento tecnológico afeta a vida de todos, de modo positivo ou negativo, a depender da importância e investimento feito pelos governos nesta área. Historicamente observamos que a pesquisa e inovação foram fundamentais aos países que se desenvolveram com sucesso. Isso significa que, em última análise, a saúde e o bem estar são consequências do quanto foi investido nestas áreas.
    Nas discussões feita pela ONU no evento em questão houve uma tentativa de compreender de que modo o crescimento mundial deve se associar à tecnologia e a saúde, sempre visando o desenvolvimento sustentável, pois é crucial que o meio ambiente seja preservado; haja vista que de nada adiantaria desenvolvimento sem preservação, pois os recursos são finitos e a falta de cuidado ambiental afeta a saúde e o bem estar de todos. O foco é saber quais são os mecanismos que teriam capacidade de abarcar o desenvolvimento sustentável sem desatender a saúde.
    A Agenda 2030 deve, portanto, trazer como conteúdo primordial a ciência, inovação e tecnologia, visando a saúde e bem estar através de uma visão internacional, onde os estados devem cooperar entre si, garantindo um desenvolvimento sustentável e integrador.

    Curtir

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s