Ted Talk: A crise dos mísseis em Cuba


Publicado em 26 de set de 2016

View full lesson: http://ed.ted.com/lessons/the-history…

Imagine going about your life knowing that, at any given moment, you and everyone you know could be wiped out without warning at the push of a button. This was the reality for millions of people during the forty-five year period after World War II now known as the Cold War. Matthew A. Jordan explains the history behind the peak of all this panic — the thirteen days of the Cuban Missile Crisis.

Lesson by Mathew A. Jordan, animation by Patrick Smith.

Anúncios
Esse post foi publicado em Relações Internacionais e marcado , , , , , , por Luiz Albuquerque. Guardar link permanente.

Sobre Luiz Albuquerque

O Núcleo de Estudos sobre Cooperação e Conflitos Internacionais (NECCINT) da Universidade Federal de Ouro Preto , sob a coordenação do professor Luiz Albuquerque, criou o Observatório de Relações Internacionais para servir como banco de dados e plataforma de pesquisas sobre relações internacionais e direito internacional . O site alimenta nosso trabalho de análise de conjunturas, instrumentaliza nossas pesquisas acadêmicas e disponibiliza material para capacitação profissional. Mas, além de nos servir como ferramenta de trabalho, este site também contribui para a democratização da informação e a promoção do debate acadêmico via internet.

3 respostas em “Ted Talk: A crise dos mísseis em Cuba

  1. A crise dos mísseis nucleares em Cuba demonstra que o poder da diplomacia entre os líderes governamentais. A articulação de acordos que beneficiariam tanto os americanos quanto os russos propiciou um acordo de paz temporária. Apesar da possibilidade de uma guerra nuclear em âmbito mundial entre americanos e soviéticos sempre existir prevaleceu o bem senso e a sensatez em vários momentos. Por exemplo, quando os americanos pensaram em atacar navios russos em águas internacionais, mas foram demolidos desta ideia devido a este fato se caracterizar como um ato declaratório de guerra- bloqueio naval. Entretanto, o nacionalismo exacerbado perdeu espaço para acordos devidamente articulados entre os líderes e que culminou com tratados de paz, pelo menos neste caso.

  2. A crise dos mísseis em Cuba é o maior exemplo da importância das relações políticas e jurídicas internacionais. A descoberta pelos EUA de que os soviéticos instalavam mísseis nucleares em Cuba foi o momento de maior tensão da Guerra Fria, pois quase terminou em catástrofe mundial que poderia resultar na morte de milhões de pessoas ou até mesmo na extinção da vida humana. Mas apesar de todos os conflitos ocorridos na época, os presidentes Kennedy e Kruschev ainda conseguiram resolver a crise de forma diplomática. Contudo, como mostrado no vídeo, a história poderia ter ocorrido de forma potencialmente mais trágica caso algumas escolhas tivessem sido diferentes, ou mesmo sob uma ação precipitada de alguns dos lados do conflito, o que prova como a política é frágil, sendo extremamente necessário o Direito Internacional de forma a organizar e limitar as relações entre Estados – principalmente quando certas nações são possuidoras de grandes poderes de destruição em massa. Mesmo com todos os avanços alcançados desde tal época até atualmente, ainda há muito a ser feito, o que nos leva a refletir, por exemplo, sobre até onde o atual ordenamento jurídico internacional possui a capacidade de concretizar uma das metas das Nações Unidas de atingir a paz mundial através de medidas como o desarmamento.

  3. A crise dos mísseis em Cuba, sendo o momento de maior tensão entre URSS e EUA, evidência a importância entre relações diplomáticas. Observações a serem feitas a partir do momento em que se inicia a história, as relações devem ser analisadas como algo que pode tanto ser benéfica ou prejudicial ao cenário mundial. Acordos diplomáticos feitos no inicio da história quase culminaram em um possível combate de destruição em massa. Porém pelo mesmo meio que os conflitos começaram, eles foram encerrados de forma exemplar por meio do acordo realizado pelo presidente americano e o chefe de estado da URSS, mesmo que tenha resultado em uma repulsa nos cidadãos dos respectivos países.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s