Milhares fogem de cidade nas Filipinas por violência reivindicada pelo Estado Islâmico


24/05/2017

Por Romeo Ranoco

PANTAR, Filipinas (Reuters) – Milhares de civis fugiram de confrontos nas Filipinas nesta quarta-feira à medida que tropas tentavam derrotar militantes islâmicos que tomaram grandes partes de uma cidade, sequestrando cristãos, ocupando e incendiando prédios e libertando diversos prisioneiros.

O Estado Islâmico reivindicou responsabilidade pelo tumulto através de sua agência de notícias Amaq, e o presidente Rodrigo Duterte defendeu sua decisão de declarar lei marcial em Mindanao, ilha de maioria muçulmana onde a cidade de Marawi se localiza, para prevenir a disseminação do extremismo na região empobrecida.

A violência em Marawi teve início na tarde de terça-feira após uma invasão malfeita de forças da segurança contra um esconderijo do Maute, um grupo militante que reivindicou aliança ao Estado Islâmico.

Combatentes rapidamente se dispersaram, incendiando prédios e assumindo pontes, um hospital, duas prisões, uma igreja e uma faculdade. Duterte disse ter escutado relatos de que eles podem ter decapitado um chefe da polícia.

O presidente disse que o Estado Islâmico deve ser repelido das Filipinas, de maioria cristã, e que irá usar todas as maneiras possíveis para derrotar o grupo Maute e seu aliado Abu Sayyaf, sejam quais forem as consequências.

“Qualquer pessoa que esteja segurando uma arma, confrontando o governo com violências, minhas ordens são para não poupar ninguém, vamos resolver os problemas de Mindanao de uma vez por todas”, disse Duterte, que é da ilha, após encurtar uma viagem à Rússia e retornar a Manila.

“Se você acha que deve morrer, você irá morrer. Se você lutar contra nós, você irá morrer. Se houver desafio aberto, você irá morrer, e se isto significa muitas pessoas morrendo, que seja. É assim que é”.

Soldados e guerrilhas montaram pontos de verificação rivais e bloqueios em rotas dentro e nos arredores de Marawi, à medida que cidadãos deixaram a cidade de 200 mil habitantes em grandes grupos, deixando para trás o que uma autoridade descreveu como uma cidade fantasma. 

Grandes filas de picapes e jipes abarrotados de pessoas e pertences seguiam lentamente pelas rodovias para cidades próximas, à medida que tropas realizavam buscas em veículos por armas e bombas.

As forças militares informaram ter resgatado 120 pessoas de uma escola e um hospital e que estavam tentando isolar combatentes Maute enquanto aguardavam reforços que estavam sendo bloqueados por rebeldes.

Atiradores de elite Maute e armadilhas estavam dificultando as operações, que as forças armadas disseram poder durar mais três dias.

Fonte: Reuters Brasil

Anúncios

3 respostas em “Milhares fogem de cidade nas Filipinas por violência reivindicada pelo Estado Islâmico

  1. Um dos pilares que originam as Relações Internacionais são os conflitos, que envolvem sobretudo religião, poder e território. Ao decorrer do tempo, esses conflitos mudaram mas sem perder a essência, gerando migrações e muito sofrimento.
    O Estado Islâmico, grupo jihadista de maior destaque atual no movimento terrorista, já é não é mais uma ameaça, mas uma instituição real de disseminação de pavor e violência. Uma força tarefa internacional vem sido feita com intuito de prevenir tragédias e a disseminação dos extremistas pelo mundo, garantindo a segurança internacional. No entanto, esse ataque ao EI não consegue conter seu crescimento, e o países desenvolvidos estão sob constante ameaça de atentados.
    A preocupação das instituições internacionais com atentados em países os EUA, a França e o Reino Unido são relevantes, mas não é vista com a mesma intensidade perante a países como as Filipinas, por exemplo. Enquanto isso, os povos são separados pela ação dos jihadistas, criando párias, apátridas e refugiados.

  2. Os conflitos entre países são um dos alicerces das RI e atualmente têm sido um dos principais responsáveis pelo aumento do fluxo migratório no mundo, destacando-se aqui os conflitos Religiosos do Oriente Médio, responsáveis por milhares de mortos. Dentre os grupos religiosos extremistas dessa região, vale destacar os jihadistas, por serem autores de inúmeros atentados terroristas, e disseminarem o terror e medo.
    Nesse contexto existem vários movimentos para prevenir que esse extremismo se espalhe por outros países, no entanto o terror tem ganhado força e os demais países, que ainda não estão diretamente envolvidos nos ataques, não escapam das constantes ameaças dos grupos extremistas.
    Além de todo o terror, a questão dos refugiados também é preocupante, umas vezes que muitos países não aceitam recebe-los e lutam contra a entrada dessas pessoas em seu território. Sendo assim, milhares de pessoas estão lutando para tentar atravessar fronteiras para viver sem nenhum direito reconhecido em outros país.

  3. A Modernidade é, sem sobra de dúvida, o período histórico no qual a religião e o dogmatismo tem sofrido suas maiores provações, fato que se faz notar no número crescente de pessoas que são indiferentes ou até mesmo contra o sentimento religioso. Talvez na contramão desse processo, o Islamismo vem se expandindo de maneira notável nos últimos anos, ameaçando mesmo superar o cristianismo, doutrina que atualmente conta com a maior quantidade de fiéis no mundo. Embora seja uma religião considerada por muitos como de caráter eminentemente pacífico, o Islã tem ganhado notoriedade graças aos atos de facções de caráter extremista.
    A cidade de Marawi, nas Filipinas, país de maioria cristã, tem sofrido fortes ataques reivindicados por um grupo terrorista filiado ao Estado Islâmico, o que ocasionou a fuga de milhares de pessoas do município. A miséria, característica marcante de Marawi, é com certeza um dos substratos essenciais para a proliferação do extremismo: fragilizados pela péssima condição material a que estão submetidas, muitas pessoas aceitam filiar-se à luta armada graças à criação de um sentimento de comunidade entre os militantes e a promessa do paraíso pós-morte. Sem dúvida, um dos grandes desafios das autoridades e pensadores da religião é melhor problematizar a nebulosa fronteira entre o ecumenismo e o extremismo.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s