Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras


Publicado em 23/02/2017

Endeavor Brasil

Anúncios

4 respostas em “Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras

  1. A Universidade deve preparar o aluno, dar suporte e infraestrutura, auxiliar para que esse desenvolva o espírito e a visão empreendedora. Em muitos cursos podemos ver o incentivo para que essa ação ocorra, infelizmente a grande maioria se faz nos cursos de Administração, Negócios, etc, mas aos poucos podemos ver uma mudança. A UFOP, por exemplo, ela conta com disciplinas de empreendedorismo (em português e inglês), possui a Incultec – Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto, e muitos cursos contam com uma Empresa Jr, todos objetivando que o aluno desenvolva suas ideias e aprimore seu olhar empreendedor.

  2. Em um cenário onde a economia tem se moldado cada vez mais de formas alternativas ao tradicional, onde cada vez mais se fala em em assuntos como economia colaborativa, empreender representa em uma proporção gigante um interesse que vem aumentando todos os dias principalmente entre os jovens adultos. Como consequência parece uma necessidade da universidade se adequar a essa perspectiva e contribuir com essa nova visão que essas pessoas possuem. Abraçar esses ideais empreendedores pode contribuir positivamente tanto na sociedade quanto numa visão a longo prazo das relações econômicas que permeiam nossa sociedade. Pode representar uma reconstrução de diversos aspectos relacionados a esse assunto e a abertura de novos horizontes para outras pessoas que desejam embarcar nesse tipo de “aventura”.

  3. Há cerca de 20 anos, começou-se a ouvir conversas no Brasil sobre empreendedorismo nas universidades, segundo a diretora técnica do Sebrae Heloísa Menezes. “Houve iniciativas muito pontuais nas universidades, especialmente as ligadas aos cursos de administração e ciências da computação”, analisa. Algumas universidades espalhadas pelo Brasil querem mudar o desconhecimento sobre o empreendedorismo como opção de carreira. Nelas, a cada novo ano escolar, os alunos podem elaborar planos de negócios; expor suas ideias em feiras; capacitar-se em workshops; participar de aceleradoras, empresas juniores e incubadoras; e, por fim, conversar com investidores e lançar sua própria empresa. Os projetos incentivam a criação de negócios nas universidades, mas infelizmente, ainda são ilhas de excelência no mar do ensino superior brasileiro. A média de satisfação entre alunos quanto às iniciativas de empreendedorismo dentro da universidade é de apenas 36%, ainda segundo a pesquisa da Endeavor com o Sebrae.

  4. Ao redor do mundo, centenas de universidades já reco­nheceram o papel e o poder da educação empreendedo­ra sobre a inovação e o desenvolvimento econômico dos países. É a vez de o Brasil entrar ativamente nesse movi­mento. Assim, é preciso estabelecer estratégias para multiplicar o número de universitários que criam empresas inovadoras e transformam os setores em que atuam, gerando milhares de empregos no caminho.

    Conheça a seguir os principais pontos da pesquisa sobre o tema, que contou com a participação de 2.230 alunos e 680 professores de mais de 70 instituições de ensino superior do Brasil. Realizado pelo Sebrae em parceria com a Endeavor, o estudo procura auxiliar a formulação de estratégias de universidades e lideranças que trabalham com o assunto no Brasil.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s