Falta de verbas pode deixar 1,3 milhão de crianças africanas sem merenda escolar


Foto: Programa Mundial de Alimentos da ONU

Publicado Originalmente: 30/08/2016

Mais de 1,3 milhão de crianças na África Central e Ocidental correm risco de não receber refeições nas escolas. O alerta foi feito nesta terça-feira (30) pelo Programa Mundial de Alimentação das Nações Unidas (PMA).

Sem financiamento necessário, a agência está se vendo obrigada a reduzir seus projetos nas escolas africanas. Segundo o PMA, alguns países mudaram seus mecanismos de financiamento e muitos doadores têm, agora, outras prioridades.

A falta de refeições escolares deve afetar, no próximo mês, alunos nos Camarões, em Mali, na Mauritânia e no Níger. Se o PMA não receber financiamento, outras 700 mil crianças poderão ficar sem merenda em 11 países.

No Chade, a falta de dinheiro levou a agência da ONU a reduzir seus programas de merenda escolar em mais de 90% nos últimos três anos. Desde 2013, o número de crianças beneficiadas caiu de 200 mil para 15 mil.

No Senegal, os fundos serão necessários para entregar refeições a menos de um quinto dos alunos. Na Mauritânia e nos Camarões, a assistência do PMA precisou ser cortada pela metade em janeiro e em maio.

O problema é que a população de muitos países da África Central e Ocidental já enfrenta fome e malnutrição. Com os conflitos armados, as escolas acabam por ser um refúgio para crianças e muitas vezes o único local onde recebem refeições.

O PMA necessita, com urgência, de US$ 48 milhões para continuar a entregar refeições para alunos das duas regiões africanas.

Estudos da agência mostram que, para cada dólar investido em projetos de merenda escolar, existe um retorno econômico entre US$ 3 e US$ 8, uma vez que a produtividade aumenta. Além disso, quando se tornam adultos, esses alunos têm mais chances de melhorar a saúde de seus filhos.

Garantir que nenhuma pessoa passe fome no mundo até 2030 faz parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, um conjunto de metas estabelecidas pelos Estados-membros da ONU em setembro de 2015. Doadores importantes para os projetos do PMA na África são Canadá, União Europeia, Japão, Luxemburgo, Arábia Saudita e Estados Unidos.

FONTE: ONU

33 respostas em “Falta de verbas pode deixar 1,3 milhão de crianças africanas sem merenda escolar

  1. A fome é um dos principais problemas enfrentados pelos países da África do Sul, a grande maioria da sua população vive em condições desumanas de sobrevivência e não possuem o mínimo para garantir uma qualidade de vida básica. Esse fato é reflexo do que esses países sofreram com uma colonização de exploração, na qual tanto seus nativos como seus recursos foram explorados de forma discriminatória e impiedosa, deixando assim uma marca de subdesenvolvimento e inferioridade da sua população em relação a seus colonizadores, impossibilitando assim o desenvolvimento desta região.
    Essa carência esbarra em vários setores que possibilitariam o desenvolvimento e melhorias significativas ao país. Uma população bem nutrida tem grandes possibilidades de ter um desenvolvimento físico psíquico de qualidade encadeando assim maior chances de trabalhos bem sucedidos, pais saudáveis geram filhos saudáveis que não precisam de gastos exagerados pela saúde pública para cuidados com a sobrevivência da criança, um país com menos pobreza atrai mais investimentos de empresas de grande porte que por meio de sua função social gera uma grande melhoria para a região.
    Sem dúvidas a fome é o problema mais grave que uma população pode sofrer, e deve ser prioridade, tanto para o plano interno como para os governos e órgãos internacionais, solucioná-lo. É preciso uma maior atenção nas discussões ocorridas em conferências internacionais, para que os Estados soberanos unem-se com o intuito de arrecadar investimentos que ao menos amenizam essa situação. Já que os países africanos não possuem recursos para tanto, é cabível que estes venham de ações de Estados desenvolvidos que possuem capital para financiar a compra de alimentos. Além de se combater a fome, desenvolve a indústria alimentícia.

  2. A fome e a desnutrição é um problema ainda enfrentado por muitos países, causado principalmente pela desigualdade social e por uma situação crítica econômica. O maior problema é que a fome nunca vem só. Geralmente está acompanhada da pobreza, a falta de saneamento básico, de atendimento médico, o que acaba por agravar a situação das pessoas que se encontram sem as mínimas condições diárias para sobreviver. A solução para esses problemas é receber suporte de outros países. Sem esse tipo de investimentos, os números crianças que passam fome só tende a aumentar.
    Com os conflitos armados presentes no mundo hoje em dia, a escola é a esperança do país para que as crianças consigam uma vida futura melhor e consigam melhorar o desenvolvimento do lugar em que vivem. Com a falta de verba e investimentos, milhares de crianças serão deixadas de lado, não terão condições dignas de sobreviver, e vão acabar por desconsiderar a escola seu refugio. Como mostrado na notícia acima, caso tenham investimentos necessários, quando adultos, esses alunos têm mais chances de melhorar a saúde de seus filhos.
    Desse modo é importante incentivar o investimento em países necessitados, visando não somente o presente, mas também o futuro do país.

  3. Como dito, o maior problema é que a população de muitos países da África Central e Ocidental já enfrenta fome e malnutrição. Com os conflitos armados, as escolas acabam por ser um refúgio para crianças e muitas vezes o único local onde recebem refeições.
    A pobreza, exploração, epidemias de doenças contagiosas, vírus da AIDS, entre outros são problemas enfrentados pelos africanos, a fome é um dos maiores obstáculos que enfrentam para se manterem vivos, na África morre um grande número de crianças por dia por causa da desnutrição. O país enfrenta a crise por causas naturais como a seca, terremotos, inundações, clima, pragas, falta de chuva, água potável, saneamento básico, falta de semente etc. Com a crise política instaurada fica ainda mais difícil de conter a pobreza, o Governo busca em projetos com a ONU e ONGs para que a África enfrente tais problemas, para resolver essa questão seria necessário investimentos dos demais países, não só investimentos mais sim uma ajuda mesmo, pois a África é tão carente que o povo clama por socorro, não há no que se investir num país que tem pouco a oferecer na visão de muitos, esquecendo que estamos lidando com seres humanos que precisam urgentemente serem enxergados como indivíduos de direitos como todos.

  4. É de conhecimento de todos que a África convive com o problema da fome, agora basta saber quais fatores desencadearam as diversas mazelas sociais que essa parte do mundo se sujeita. Talvez uma estrategia para reduzir este colapso é investir mais na educação, pois como já havia dito: “Estudos da agência mostram que, para cada dólar investido em projetos de merenda escolar, existe um retorno econômico entre US$ 3 e US$ 8, uma vez que a produtividade aumenta. Além disso, quando se tornam adultos, esses alunos têm mais chances de melhorar a saúde de seus filhos.” Muitas vezes as crianças acabam se refugiado nas escolas para se alimentarem, e ai que é hora de incentiva-los ao estudo, quanto mais alimentos tiverem para fornece-los mais eles irão para as escolas e quanto mais eles forem mais conhecimentos terão, e no futuro conseguirão uma renda boa, e com certeza seus filhos não ira passar pelo que seus pais passaram. Por tanto a alimentação nas escolas é bastante essencial, no futuro todos serão gratificados e a fome será uma lenda!

  5. A fome, pobreza e a miséria são problemas concomitantes que a população Africana convive, pois diante dos conflitos armados ocorridos recentemente as escolas passaram a refugiar as crianças.

  6. A fome é um problema corriqueiro no mundo em que habitamos, mas principalmente na África. Continente em que a muitos e muitos anos se mostra como o mais pobre e com uma necessidade urgente de recursos, a fome é a realidade de alguns países que se encontram na África. Infelizmente é uma realidade dura de encarar, visto a grande desigualdade existente entre os povos, e problemas econômicos existentes. É indispensável uma ajuda humanitária proveniente da ONU, visto ser um órgão que trabalha pela cooperação entre as nações, países mais desenvolvidos e os menos desenvolvidos precisam se juntar para acabar com a desnutrição e a fome na África. Uma organização mundial que ajuda a combater a desnutrição são os médico sem fronteiras, levando para as crianças que passam fome uma melhora de sua nutrição, são organizações como essa que precisam se intensificar e criar uma aliança para combater a fome no continente africano, pois a alimentação é um bem primordial para a sobrevivência, é imprescindível alimentação para todos, proporcionando um desenvolvimento físico e mental para que as crianças futuramente estejam saudáveis e que consequentemente os países do continente africano não figurem como pobres e sem recursos para fornecer alimentação para a população.

  7. Lendo sobre a falta de respeito aos Direitos Humanos, vi neste texto relato verdadeiro, que mais de 1 milhão de crianças na África central e ocidental, correm risco de não receberem refeições nas escolas. O alerta foi feito pelo Programa Mundial de Alimentação das Nações Unidas (PMA). Fome, já é quase um sinônimo de África, a todo o momento nos deparamos com fotos que mostram crianças africanas, em pele e osso. Tirando a merenda a situação chegará ao caos, pois talvez seja a única refeição oferecida a elas e é um crime deixar de alimentá-las por falta de prioridade dos órgãos responsáveis. Isso é uma violação total dos direitos humanos. Além de sofrerem com os conflitos armados e se refugiarem nas escolas, agora estão ameaçadas de fome.
    Essa falta de refeições escolares ira afetar alunos do Senegal, Mauritânia, Camarões entre outros países da África. Constatou-se que há necessidade de quarenta e oito milhões de dólares para que a merenda escolar seja entregue novamente. O investimento feito em projeto de alimentação escolar proporciona um retorno econômico três ou oito vezes maior. Será que com essa produtividade, as autoridades ainda têm duvida que o futuro dependa desses alunos, que ao crescerem poderão proporcionar uma vida melhor para seus filhos e contribuir para o desenvolvimento do país.
    Não podemos permitir que uma pessoa passe fome no mundo hoje e tal atitude já fazem parte dos objetivos de desenvolvimento sustentável para 2030. Esse projeto visa garantir as pessoas alimento, o básico para sobrevivência.
    A demora pode acarretar em não haver mais pessoas para alimentar, pois já estarão mortas de fome.

  8. É necessário observar que, embora não seja ‘visível’ a escassez de comida no Brasil, esquecemos que na África esse problema é muito sério, pois e coloca a vida de milhões de crianças em situações, infelizmente, desumanas. Triste pensar que vivemos em um mundo que há dicotomia entre obesidade, presente principalmente na América do Norte, versus desnutrição, presente, como citado no texto, na África Ocidental e Oriental. Percebe-se, dois extremos, ou seja, duas situações que não ocorrem equilíbrio, pois enquanto uns sofrem de doenças pelo excesso, outros sofrem pela falta da comida.
    Quanto as merendas escolares, vale ressaltar que a maioria das crianças vão para a escolar justamente para poder se alimentarem, pois muitas vezes a comida está em falta dentro de casa. De certo ponto de vista, o Estado não deve deixar de dar auxílio á essas crianças, pois para que estudem e possam ser adultos promissores, um ambiente saudável é fundamental.
    Assim, o mundo deveria dar mais atenção sobre a falta de comida no mundo, pois como já disse, além de parecer um problema distante para diversas pessoas, é um problema existente que coloca em risco milhões de crianças.

  9. A fome mundial é um problema grave que deve ser combatido como todos os esforços. Ler uma noticia dessas em pleno século XXI é realmente lamentável. Países hoje em dia gastam milhões produzindo armas, desenvolvendo tecnologias nucleares, enquanto milhões de pessoas, crianças, não tem nem o que comer.
    Esse problema precisa ser sanado, a educação é uma ótima opção, pois como foi dito na noticia “estudos da agência mostram que, para cada dólar investido em projetos de merenda escolar, existe um retorno econômico entre US$ 3 e US$ 8, uma vez que a produtividade aumenta. Além disso, quando se tornam adultos, esses alunos têm mais chances de melhorar a saúde de seus filhos”, porém isso é um projeto a longo prazo. São necessárias medidas que surtam efeito imediato, pois é inadimissível que os governos participem de guerras e conflitos armados, enquanto milhões de crianças morrem desnutridas. A Sociedade Internacional precisa agir imediatamente e tomar providencias para solucionar essa questão.

  10. Não é de hoje que a fome é a vilã no cenário do continente africano. Trata-se de um saber mundial que em regiões pobres da África milhares de crianças e até adultos morrem de fome. Parando para pensar tal calamidade chega a ser até mesmo contraditória quando se fala em alguns países onde a riqueza natural simplesmente supera a de países muito maiores tanto economicamente quanto territorialmente. A única explicação plausível que podemos enxergar é o egoísmo que vemos em cada país nação que não se dispõe a ajudar a África, muito pelo contrário, alguns vão para sugar seus recursos e gerarem mais e mais pobreza aos países. Falar que a erradicação da pobreza tem como objetivo o ano de 2030, soa ao menos ridículo, não vemos se quer uma tendência de melhora a nível mundial da erradicação da pobreza, ora objetivos são postos para serem alcançados e esse se algo não mudar drasticamente não será alcançado. Posto isso é necessário uma mobilização mundial, principalmente daqueles países chamados de primeiro mundo, para que se unam e combatam a pobreza e por conseguinte a fome, seja, dando nível de escolaridades melhores aos jovem para poderem alcançar algo melhor que seus pais, seja, melhorando os direitos trabalhista dos trabalhadores, para que possam dar as seus filhos condições melhores de crescer profissionalmente.

  11. Sabemos que o problema da fome ainda é uma triste realidade para algumas nações. Se não houver uma mobilização mundial não mais veremos essa “crise” ser solucionada. Essa situação se agrava ainda mais pois, chega as escolas como falta de condições básicas para as crianças. A erradicação dessa mazela aflora mais os ânimos, visto que uma meta para 2030 nunca será alcançada, uma vez que todos não dispõem a ajudar.

  12. A fome e a desnutrição são problemas que assolam diversos países da África de forma catastrófica. Junto com ela, vem a falta de saneamento básico, condições desumanas de moradia, educação e saúde. Características que se fazem presente pela formação histórica que se deram os países do continente africano. A colônia de exploração que houve nesses países, com o extremo aproveitamento de seus recursos naturais e escravização dos povos nativos pelos seus colonizadores foram responsáveis pelo subdesenvolvimento da região, impossibilitando a vida digna de seus habitantes.
    A falta de alimentos para crianças nas escolas, é uma afronta tão grande aos direitos humanos que compromete diversos outros setores dessa sociedade. Um indivíduo mal nutrido, tem grandes chances de se tornar incapacitado de se inserir no mercado de trabalho, além de demandar gastos com a saúde pública (que também é precária) e tendo filhos vivendo nessa mesma realidade, o que gera um ciclo vicioso. Ou seja, a fome é o problema mais grave que uma nação pode sofrer, devendo ser resolvido antes de qualquer outra questão.

  13. A África é o continente com maior número de pessoas afetadas pela fome. As causas são tanto naturais (clima, seca, pragas de insetos, terremotos, inundações) quanto humanas (guerras e conflitos civis, invasões). Além dessas causas que já são complicações, a fome vem acompanhada de outros problemas, a exemplo da falta de recursos do Estado para as necessidades básicas, como a saúde pública e o saneamento básico, tornando-os deficitários. E as consequências só aumentam. É comum que uma população desnutrida gere filhos também desnutridos e com outros problemas de saúde, e já que não possui condições financeiras para tratar, procura a saúde pública, que não tem a mínima estrutura para oferecer suporte à essa população, que além da pobreza e da miséria, sofre com a saúde. Mais tarde, essas pessoas podem encontrar dificuldades até mesmo no mercado de trabalho, que seleciona as pessoas pela sua capacitação. Diante desse cenário é possível perceber, portanto, que a fome vem acompanhada de causas e consequências que também são problemas graves e precisam ser urgentemente minimizados.

  14. A crise de fome na África já atingiu milhares de pessoas, principalmente crianças, a taxa de desnutrição é altíssima. É um país que já sofre com essa situação de miséria a tempo e infelizmente tem que conviver com o fato de que grande parte de sua população vive em um estado de emergência.
    É triste pensar que fatos como esse ocorrem e que milhares vivem em condições simplesmente desumanas, muitos africanos não possuem nem o mínimo necessário para a existência.
    Obviamente a fome é um problema extremamente grave e deveria ser levado mais a sério não só no plano interno mas principalmente no âmbito internacional.
    Logo cabe principalmente aos países mais desenvolvidos e, portanto com mais capital, promover ajuda ao continente Africano, visto que o próprio não possui muitos recursos. Infelizmente a fome não é um obstáculo fácil a ser superado, mas com a cooperação dos países e das organizações internacionais muito sofrimento pode ser amenizado.

  15. É perceptível a desigualdade social que existe entre diferentes continentes, países e regiões. Essa disparidade reflete em grandes problemas na sociedade, podendo causar até conflitos entre as nações. Esse contraste econômico e social é mundo injusto, pois enquanto muitos detêm a maioria dos recursos econômicos a maioria possui uma parcela muito pequena dos bens.
    A África é o continente que possui a maior pobreza em todos os aspectos. Ela depende de ajuda de vários países e muitos vezes nem esse auxilio é capaz de suprir suas necessidades. Infelizmente é o que está ocorrendo no momento, com o risco que várias crianças africanas (cerca de 1,3 milhões) estão correndo de perderem suas refeições nas escolas. É injustificável pensarmos enquanto tantas crianças estão passando fome, outras tem muito mais do que precisam para suprir suas necessidades. A sociedade precisa ser mais solidária e menos egocêntrica, e são pequenos atos, como as doações, por exemplo, que podem tornar o mundo melhor.

  16. A educação é base para que uma sociedade possa progredir e prosperar, através dela surgem novos empregos, novas tecnologias e etc. A educação é a chave para acabar com a desigualdade e dar uma vida mais digna para as pessoas de todo o mundo. Infelizmente o acesso à educação no mundo é muito desigual, desigualdade esta que é mais latente em países pobres em que o investimento nessa área é praticamente zero. É lamentável saber que crianças estão sendo privadas ao ensino e a educação porque o governo não ter condições de alimentá-las. Acontece que investir nessas áreas (educação e alimentação) do ponto de vista dos economistas não é um atrativo, principalmente em países pobres, pois o retorno financeiro destas áreas é bem inferior quando comparado a outras. Até quando o dinheiro para uns vai ser mais importante do acesso a educação e a dignidade de outra pessoa? Os valores do mundo estão invertidos e junto com eles a humanidade segue o mesmo caminho.

  17. Uma alimentação escolar balanceada assegura um bom aprendizado do conteúdo ministrado durante as aulas. O alimento é o combustível do organismo, alimentar- se bem só trará benefícios à saúde, além de ser um componente indispensável para a qualidade de vida. Uma criança que se alimenta bem desenvolverá fisicamente e intelectualmente e terá grande probabilidade de ser um adulto saudável.

    No que se refere à alimentação de crianças na África sabe-se que a ONU realiza um trabalho muito importante de distribuição de suplementos alimentares para reduzir a desnutrição entre as crianças. Mas infelizmente muitos países africanos têm como um dos problemas mais graves a desnutrição infantil. Muitas crianças, ainda morrem de desnutrição.

    Se no ambiente escolar não mais distribuir refeições a probabilidade do número de óbitos de crianças aumentarem muito é grande. É inadmissível cortar ou reduzir a verba para a alimentação escolar, deve ser feito um estudo para cortar outros gastos, com certeza se acabar com a corrupção e com a má administração do dinheiro público não morreria ninguém de fome.

    .

  18. O continente mais pobre do mundo é o continente africano, esse fato resulta em vários problemas para a população africana, como por exemplo: alta mortalidade infantil, proliferação de doenças, fome, miséria…
    A África apresenta um elevado número de pessoas sub nutridas, grande parte dessas são crianças.
    A fome, nesse continente, esta ligada a vários fatores, como por exemplo: grande parte dos alimentos plantados na África são exportados, portanto os alimentos não são consumidos no mercado interno, grande parte do território africano é impróprio para a agricultura, dentro do território africano tem muitas guerras e conflitos.
    O mais desesperançoso é: o continente africano não tem expectativa de melhora, o combate a fome é um sonho cada vez mais distante para a população africana.

  19. O problema da fome nao esta so relacionado a Africa.La o assunto chama mais atenção porque a subnutrição infantil é mais escandalosa. Os países mais ricos deveriam dar uma atenção maior a este programa da ONU,pois a cada dolar investido retornam de 3 a 8 dolares em produtividade. Se olhássemos a mais longo prazo se economizaria muito mais com gastos em saúde,pois as crianças se tornariam adultos com menos doenças,reduzindo a longo prazo em escala cada vez menor os desembolsos feitos. Com mais produção e mais saúde tambem se teriam menos disputas no futuro,já que a população por si só demandaria menos recursos.

  20. A carência da África quanto à disponibilidade de alimentos é um fato comprovado. A maioria da sua população conta com as dificuldades da falta de alimentos e da subnutrição. A fome atinge tanto crianças quanto adultos e é entristecedor e muito doloroso perceber que algo que é essencial e de direito de todos, muitas vezes é considerado privilégio diante da realidade vivenciada por esse povo. A carência alimentar é algo tão grave nesse país que leva à morte. Alia-se à fome a pobreza, a falta de saneamento básico e as condições desumanas de vida. A ajuda que se consegue é muita pouca em frente a dimensão e a gravidade do problema. A merenda escolar que poderia ser considerada um auxílio e até mesmo uma fonte de salvação para aquelas crianças necessitadas, está se tornando cada vez mais rara e agora, será de difícil acesso. Um dos objetivos do Desenvolvimento Sustentável é fazer com que até 2030 nenhuma pessoa passe fome no mundo, por isso é imprescindível a ajuda financeira e social de organizações. Também penso que é importante a solidariedade de países do mundo inteiro com a África. O problema da fome é uma realidade para eles, mas prestar auxílio deveria ser uma preocupação para todos nós.

  21. A fome na África não é um problema novo, desde a colonização quando a África foi fatiada a fome é um problema gravíssimo que normalmente não é o único, principalmente no centro do continente. A fome é apenas um dos graves problemas vividos pelos países africanos, os conflitos armados, as epidemias de doenças contagiosas, a exploração, a corrupção, entre outros problemas agravam mais ainda a situação do continente.
    A questão levantada pelo texto, trata-se de um dos graves problemas do continente, a desnutrição infantil e a morte de crianças por falta de alimentos, normalmente a merenda escolar além de ser a única refeição das crianças a escola se torna um lugar de refúgio. Mas outro grave problema do continente são as políticas totalitárias que governam todos os países africanos, principalmente os menos desenvolvidos, vem criando obstáculos para que a solidariedade do mundo inteiro chegue até essa crianças que tanto precisam. Após mudanças nas leis desses países o Programa Mundial de Alimentação das Nações Unidas vem sofrendo um grande corte nas doações o que vem tirando talvez a única refeição de várias crianças dos continente, esses programas salvam muitas vidas todos os anos na África, mas eles como todos os programas sociais precisam de alguma forma serem financiados.

  22. A fome se mostra um dos maiores problemas do continente africano, muitas vezes oriundos de disputas armadas entre diferentes povos que não convivem entre si. Em parte este grande número de disputas se dá pela divisão mal elaborada dos territórios que foram colonizados pelos europeus, sem levar em conta as bagagens culturais dos povos que ali habitam. Não é válido somente culpar os colonizadores, uma vez que é uma verdade e deve ser aceita, o que resta é lidar com a mesma de forma a amenizar a situação.
    Sem mais, outro grande gerador da pobreza e consequentemente a fome no território africano é a corrupção, o desvio do dinheiro público gera a ineficácia da função social do Estado que é a primazia do interesse coletivo.
    É primordial ao continente africano a ajuda por parte dos demais países mais desenvolvidos, a ajuda se trata de algo temporário, uma vez que os próprios Estados africanos devem se mobilizar para enfrentar os seus próprios problemas.

  23. A Africa,por fato de ter um passado trágico e cruel de explorações, hoje é um pais em que a maior parte da população não possui uma qualidade de vida básica para um humano,fazendo com que esses não vivam e sim sobrevivam a cada dia.Diante de diversos problemas,como epidemias,violências,falta de saneamento básico pobreza,desigualdade,preconceito, a fome é um dos principais problemas que já deveria ter sido solucionado pelo fato de ser um elemento essencial para a vida humana.É inadmissível pensar que o futuro de um pais ,que são os jovens e crianças , estejam morrendo por falta de comida,é no minimo desumano deixar que esse problema perdure na Africa por mais tempo que ele já se encontra la.Sendo assim, deve ser prioridade da ONU ajudar-la sanar tais problemas para que a Africa possa se reerguer como um continente mais saudável e produtivo,por meios de doações ,investimentos e fiscalizações dessas agencias para prevenir possíveis corrupções.

  24. A fome é um dos grandes problemas existentes no mundo. Na Áfica, esse problema atinge números altíssimos. Essa região além do problema da fome ainda passa por diversos outros momentos que acaba por agravar a situação, como os conflitos armados, por exemplo. Devido o longo período em que o continente se encontra nesse estado de calamidade, as pessoas passam a viver sob condições desumanas. Para piorar tal situação, ainda há o desinteresse dos demais países do mundo em contribuir de forma efetiva para o Programa Mundial de Alimentação. Em um país como a África em que já se possui inúmeros problemas internos, o mínimo que se esperaria no cenário externo seria uma contribuição, de fato, dos demais países. Uma vez que, a melhor opção para se obter um futuro prospero numa comunidade é a educação. Se falta alimentos nas escolas, consequentemente, haverá um prejuízo na formação educacional daqueles alunos que talvez consigam sobreviver diante de tantas dificuldades, comprometendo assim o futuro da África.

  25. Não apenas a fome, mas também as doenças, guerras, falta de saneamento básico e péssimas condições de moradia são apenas uma fração de como vivem as pessoas na África. Para piorar, o cenário de conflitos internos presentes só acarretam a situação presente, visto que ocupações militares e interceptações de comboios de alimentos para juntar recursos ocorrem com alta frequência. O filme “Falcão negro em perigo” retrata claramente o funcionamento de milícias na Somália, bem como a situação dos civis que vivenciam a guerra.

    Para piorar, os conflitos internos assumem um papel tão destrutivo na sociedade africana que os moradores acabam por ficar à mercê da ajuda fornecida por organizações humanitárias, que por sua vez sofrem com a falta de recursos exigidos para a manutenção dos programas de assistência. Fica difícil desta forma conseguir alcançar a meta imposta pela ONU de erradicar a fome até 2030 já que a escassez de alimentos não se dá apenas pela sua indisponibilidade, mas por vários fatores externos, como recursos para ajuda humanitária, como por fatores internos como a guerra.

  26. O subdesenvolvimento, a pobreza, a fome os problemas sociais e políticos, presentes nos países africanos são reflexo da intensa exploração sofrida pelos anos de colonização, que sobe condições desumanas retiraram os recursos do continente de forma predatória, de modo a contribuir para a extrema pobreza e subdesenvolvimento presentes no continente.
    Os problemas vividos pela África, são de certo de responsabilidade mundial, as nações, principalmente os países europeus que colonizaram a África, tem o dever de se unir para ajudar a reconstruir os países que se encontram em situações precárias, onde tem –se a forte presença de conflitos e não há para seus habitantes a satisfação das necessidades básicas que o ser humano precisa para sobreviver.
    O sofrimento desses povos é desumano, em um país onde não se tem investimento na educação, saúde, segurança alimentação, não tem previsão de desenvolvimento, as pessoas não têm por onde evoluir para que possam sair da miséria. É preciso criar programas que visem reestruturar a África para que seus habitantes possam sair dessas condições desumanas em que vivem.

  27. Infelizmente, a fome e a desnutrição sempre foram substantivos inerentes ao continente africano e com a notícia da falta de recursos para a merenda escolar a situação complica ainda mais. O continente africano é um grande produtor e exportador de produtos oriundos da produção agrícola, no entanto não consegue alimentar sua população. Segundo pesquisas do Instituto Internacional de Pesquisa em Política de Alimentação, o número de crianças subnutridas subirá cerca de 18%, estimativa para o ano de 2020. Se cruzarmos esses dados com a falta de verbas que a agência vem sofrendo, teremos um cenário preocupante muito em breve. É preciso que autoridades tomem providências e se mobilizem para que países mais desenvolvidos tenham oportunidades de ajudar o continente. A fome na África vai muito além dos conflitos étnicos ou da desertificação nas áreas impróprias para agricultura, é uma questão de compaixão, e já passou da hora de todos se atentarem para a situação que vive o continente mais pobre do mundo.

  28. A África é um continente que sofre com fatores naturais: secas, pragas, ploriferação de insetos que podem transmitir doenças; e sofre também com problemas causados pelo homem: guerras civis, ditaduras, falta de saneamento, negligência dos governantes. Não é atoa que trata-se do continente mais pobre do globo, onde a expectativa de vida muitas vezes não atinge os 30 anos de idade.

    Sabe-se que as guerras civis que ocorrem na África muitas vezes são financiadas por países de primeiro mundo, os quais fornecem todo tipo de armamento, movidos pelo interesse no controle de pelo menos parte do petróleo, diamante e outras riquezas lá existentes. Esse é um dos motivos que torna mais dificil ler uma notícia como essa: enquanto alguns países armam as pessoas na África, as crianças dos mesmos países não tem o que comer na escola.

    Muitas vezes, a merenda é a única refeição que as crianças receberão no dia inteiro, porque seus pais não têm o que lhe dar para comer. Diante desse exposto, afirmamos que toda ajuda social é bem vinda, e se faz pouca diante de tamanha calamidade. O mundo inteiro deve olhar para a África e se sensibilizar com a situação de caos que aquelas pessoas vivem, pois os mesmos Direitos Humanos que são previstos para nós, também o são para eles e, portanto, não há que privá-los disso.

  29. A desnutrição, principalmente infantil, é um problema que muitas nações enfrentam, chegando até em situações de calamidade.

    De mais a mais, percebe-se que as nações que enfrentam problemas como a pobreza crônica e a fome, estão abandonas pelas organizações internacionais. Os projetos que se tem nestas regiões, além de precários – sem tirar o mérito -, são organizados com finanças próprias e sem muito apoio de outros governos.

    Necessário se faz, um bom relacionamento entre as nações intermediada pela ONU, com o escopo de ajudar países mais necessitados, visando também o bem de cada população, pois a fome é um problema sério que nos mostra como a desigualdade é enorme entre os países.

  30. A realidade vivida por esses povos africanos possui um caráter social que tange a miséria e a desigualdade, se tratando de temas como a fome. É de conhecimento de todos, a extrema falta de recursos nos mais diversos setores como economia, politica e saúde, que os países africanos possuem. Esse fato, caracteriza a formação de um efeito dominó social, em que a falta de recursos gerados pelo governo, acarretam na má distribuição de renda, gerando desigualdade e consequentemente trazendo esses povos a beira da miséria.
    O fato de não existir verba suficiente destinada a merendas escolares de crianças da África central e ocidental, chega ser absurdo e um tanto quanto inimaginável. Para que essa situação de calamidade acabe, é necessário haver uma mobilização de diversos outros países interessados em ajudar, para destinar recursos necessários na boa formação e no bem estar social dessas crianças.

  31. Historicamente, a riqueza da África foi abertamente e amplamente explorada especialmente pelas grandes potências mundiais. Além disso, a África por si só não consegue prover o que é básico para a população, como saneamento, combate às epidemias, alimento, tecnologia, entre outros. Não importa se por falta de recursos ou pela exploração predatória que reduz as riquezas do continente ou as políticas dos países que exploram o continente, produzindo com os recursos de lá e vendendo para os africanos aquilo que eles produziram com o que é deles, monopolizando as produções. O fato é continente por si só não consegue gerar alimentação necessária para a população e por isso precisa do auxílio dos outros países. Não adianta os países não africanos pactuarem acordos de cooperação internacional, proteção aos direitos humanos, erradicação da pobreza e da fome, se não forem capaz de ajudar a África a ultrapassar essa barreira. Enquanto a África tiver que se ocupar com problemas tais quais fome e combate ás epidemias, não poderá dedicar seus esforços em outras áreas, como tecnologia e ciência, para conseguir explorar melhor o continente e se tornar relativamente independente dos outros países.

  32. É claro que todos os lugares têm problemas, sejam leves ou graves. No Brasil, grande parte da população tem dificuldade para ter acesso à saúde e à educação, o que é preocupante e inaceitável, mas é a fome o pior dos problemas, pois é ela que cessa a oportunidade de qualquer melhora social e econômica em um determinado lugar. Quem tem fome não tem saúde, não tem como adquirir conhecimento ou de alcançar outros objetivos e é dessa forma que falta de alimento castra a dignidade humana.
    É chocante se deparar com números tão grandes e, por isso, a ONU, em parceria com os Estados, deveria não só tentar solucionar esse problema de forma direta, como também, promover e incentivar, cada vez mais, a criação de organizações não governamentais que possam ajudar nessa demanda.

  33. A Africa passou e ainda passa por calamidades públicas gravíssimas, e, cabe a nós, como um todo, apoiar e financiar instituições capazes de solucionar ou amenizar o grande problema de falta de verbas e alimento no continente africano. Outro grande problema é a corrupção, vivida inclusive, por nós brasileiros, que sentimos na pele este mesmo problema de falta de verbas em
    Escolas e instituições públicas. O controle deve ser rigoroso e o combate à corrupção é urgente.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s