Escassez de água pode limitar crescimento econômico nas próximas décadas, diz ONU


Publicado Originalmente: 

Três em cada quatro empregos do mundo são forte ou moderadamente dependentes de água, segundo estimativa de relatório das Nações Unidas publicado nesta terça-feira (22), na ocasião do Dia Mundial da Água.

Consequentemente, a escassez e os problemas de acesso à água e ao saneamento podem limitar o crescimento econômico e a criação de empregos no mundo nas próximas décadas, de acordo com o documento, que citou a falta de investimentos em infraestrutura e os altos índices de vazamentos nos sistemas hídricos das cidades globais, inclusive de países desenvolvidos.

Segundo o “Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, Água e Emprego”, metade dos trabalhadores do mundo – 1,5 bilhão de pessoas – está empregada em oito indústrias dependentes de recursos hídricos e naturais: agricultura, silvicultura, pesca, energia, manufatura intensiva de recursos, reciclagem, construção e transporte.

“A água e o emprego estão indissociavelmente ligados em vários níveis, quer seja na perspectiva econômica, na ambiental ou na social”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova.

A América Latina e o Caribe estão particularmente dependentes da água na criação de empregos, porque a maior parte de suas economias é ligada à exploração de recursos naturais, como mineração e agricultura (incluindo biocombustíveis). Em países como Brasil, Argentina, Chile, México e Peru, a irrigação também é responsável por uma parte importante da produção agrícola, particularmente para exportação.

“Apesar de a região (América Latina e Caribe) ter cerca de um terço da provisão de água no mundo, o uso intenso desse recurso em suas economias e sua dependência dos recursos naturais e dos preços internacionais das matérias-primas impõem importantes desafios para o crescimento econômico e a criação de empregos”, disse o relatório.

“As secas são frequentes na região. Secas severas podem levar a um aumento do desemprego, particularmente entre a população rural”, completou.

Segundo o relatório, os efeitos da escassez de água já puderam ser verificados em casos como o da cidade de São Paulo, cuja economia foi prejudicada em 2014 e 2015 pelas frequentes enchentes e secas severas.

Pressão crescente

O relatório citou o problema da crescente pressão sobre os recursos de água potável no mundo, exacerbado pelos efeitos das mudanças climáticas.

Enquanto a taxa de extração de águas subterrâneas cresce a 1% ao ano no mundo desde 1980, a população global deverá crescer 33% (de 7 bilhões para 9 bilhões de pessoas) entre 2011 e 2050, junto com um aumento de 60% da demanda por alimentos.

A expectativa é que, para cada grau de aquecimento global, aproximadamente 7% da população mundial enfrente uma diminuição de quase 20% dos recursos hídricos renováveis, segundo avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC).

O relatório da ONU apontou também forte ineficiência da infraestrutura de gestão de recursos hídricos dos países. A estimativa é que, globalmente, 30% da extração de água seja perdida em vazamentos. Em Londres, a taxa é de 25%, e na Noruega, de 32%.

“Essa projeção de escassez de água exigirá recursos hídricos não convencionais, como aproveitamento de águas pluviais, águas residuais recicladas e drenagem urbana”, disse o relatório. “O uso desses recursos hídricos alternativos criará novos empregos no desenvolvimento de pesquisas e tecnologias e na implementação de seus resultados.”

A expectativa é que outra fonte crescente de empregos sejam as energias renováveis. Segundo o relatório, em 2014, em torno de 7,7 milhões de pessoas no mundo foram empregadas (direta ou indiretamente) pelo setor, sendo que o segmento de energia solar foi o que mais empregou, com 2,5 milhões, seguido pelos biocombustíveis, com 1,8 milhão.

“A crescente criação de empregos foi notada em todos os tipos de energias renováveis”, disse o relatório, afirmando que os países que mais empregaram nesse setor foram China e Brasil, seguidos por Estados Unidos, Índia, Alemanha, Indonésia, Japão, França, Bangladesh e Colômbia.

A reciclagem também é citada como uma nova fonte de ocupação e uma contribuição importante para reduzir a demanda global por produtos manufaturados. Contudo, o documento lembrou que, em alguns países, os empregos relacionados à reciclagem são insalubres e perigosos.

Segundo o documento, o Brasil emprega cerca de 500 mil pessoas no setor de reciclagem, enquanto nos EUA esse número é de 1,1 a 1,3 milhão, e na China, de 10 milhões.

Acesse o relatório completo aqui.

Acesse o resumo executivo em português clicando aqui.

Ban Ki-moon: tema não recebe a atenção que merece

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, observou que, apesar da sua importância fundamental, a água como um setor geralmente não recebe a atenção que merece.

“A água é fundamental para a sobrevivência humana, para o meio ambiente e para a economia”, destacou Ban, lembrando que a data é uma oportunidade para que todos possam aprender mais sobre questões relacionadas ao tema, serem inspirados a transmitir o conhecimento a outros e tomarem medidas que façam a diferença.

Ban Ki-moon destacou em sua mensagem que as pessoas com menos acesso à água e ao saneamento muitas vezes não têm acesso a cuidados de saúde e empregos estáveis, perpetuando o ciclo da pobreza.

“Estou especialmente preocupado com as lacunas entre as cidades e o campo, homens e mulheres, e ricos e pobres. O fornecimento básico de serviços adequados de água, saneamento e higiene em casa, na escola e no local de trabalho permite uma economia robusta, contribuindo para uma população saudável e produtiva, incluindo os trabalhadores”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

O diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e atual presidente da UN-Water (ONU-Água, em português), Guy Ryder, comentou o relatório. “Essa análise destaca o fato de que a água é fonte de trabalho – ela exige dos trabalhadores a gestão hídrica segura e, ao mesmo tempo, ela pode gerar emprego e melhorar suas condições”, disse.

“Para que a Agenda 2030 tenha sucesso e para que possamos construir juntos um futuro sustentável, precisamos assegurar que os empregos ligados aos recursos hídricos sejam decentes, e que a água da qual todos dependemos seja potável”, acrescentou o chefe da OIT.

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, destacou que o Programa Mundial de Avaliação dos Recursos Hídricos da agência da ONU fornece aos governos e à comunidade internacional as informações mais atualizadas e politicamente relevantes sobre recursos de água doce em todo o mundo, assim como é pioneiro em novas técnicas de monitoramento hídrico sensível ao gênero. “Tudo isso será essencial na concretização da Agenda 2030”, ressaltou.

Os avanços, disse Bokova, exigem ações em todos os campos – por parte de governos, da sociedade civil e da iniciativa privada. “São enormes os desafios que nós enfrentamos, derivados da mudança climática, da escassez de água e do deslocamento de trabalhadores com baixa qualificação. No entanto, a promoção de empregos de alta qualidade, enquanto preserva o meio ambiente e garante a gestão sustentável da água, ajudará na erradicação da pobreza, no estímulo ao crescimento e na construção de um futuro com trabalho decente para todos”, acrescentou Bokova.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) afirmou durante evento especial na sede da ONU em Nova York que as rápidas mudanças climáticas estão limitando o acesso de milhões à água segura, e anunciou o lançamento de uma nova campanha na rede social Instagram para lembrar a conexão entre água, meio ambiente e mudanças climáticas.

A agência da ONU alertou que cerca de 1,8 bilhão de pessoas podem estar bebendo água contendo matéria fecal, mesmo obtendo o recurso a partir de algumas fontes melhoradas.

FONTE: ONU

15 respostas em “Escassez de água pode limitar crescimento econômico nas próximas décadas, diz ONU

  1. “Consequentemente, a escassez e os problemas de acesso à água e ao saneamento podem limitar o crescimento econômico e a criação de empregos no mundo nas próximas décadas, de acordo com o documento, que citou a falta de investimentos em infraestrutura e os altos índices de vazamentos nos sistemas hídricos das cidades globais, inclusive de países desenvolvidos.”

    Como a própria reportagem rege, a agua é essencial para a sobrevivência humana, para o meio ambiente e para economia. Por isso a necessidade urgente de construir um cenário sustentável para que possamos propiciar para as gerações futuras e até mesmo a nossa geração, uma condição mínima de qualidade de vida no que diz respeito à nossa maior riqueza natural.

    É preocupante a afirmação da UNICEF de que as rápidas mudanças climáticas estão limitando o acesso de milhões a agua segura. Precisamos nos conectar de uma forma urgente ao meio ambiente e nos sensibilizarmos acreditando que isso reflete, até mesmo, na economia do nosso país, uma vez que a gestão sustentável na agua ajuda na erradicação de pobreza, no estimulo ao crescimento e e na construção de um futuro com trabalho descente para todos.

    • A notícia aborda um problema que está sempre em alta nos noticiários: a escassez de água. As causas, algumas apresentadas pelas notícias, são reflexos da necessidade de um investimento em cuidado e prevenção de vazamentos e desperdício, além da reutilização da água. Pesquisas do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento apontam uma diminuição do desperdício da água proveniente de vazamentos durante o percurso e distribuição. Mesmo com as melhorias, os índices ainda são altos: 40%.
      Investimentos em técnicas mais eficientes de irrigação e desenvolvimento de sistemas sanitários mais modernos, como descargas mais econômicas, são etapas importantes. Além disso, como apresentado, com um índice tão alto de vazamentos é necessária a instalação de um sistema mais moderno, que identifique pontos centrais da causa.
      Grandes indústrias e empresas são, também, grandes consumidoras de água. Dependendo do processo aplicado na indústria, e da finalidade da água, a reutilização nas instalações industriais seria, também, um meio na busca pela economia e garantia de um bem vital.

  2. A Organização das Nações Unidas (ONU), lançou ontem, dia 22 de março, durante as festividades pelo Dia Mundial da Água, a edição 2016 do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, Água e Emprego. O documento estima que três de cada quatro empregos de toda a força de trabalho global são forte ou moderadamente dependentes da água. O relatório também aponta que metade dos trabalhadores de todo o mundo – 1,5 bilhão de pessoas – está empregada em oito indústrias dependentes de recursos hídricos e naturais: agricultura, silvicultura, pesca, energia, manufatura intensiva de recursos, reciclagem, construção e transporte.
    Desde a sua extração até o seu retorno para o meio ambiente, por meio de diversos tipos de uso, a água é um fator chave na criação de empregos. Sendo assim, sua escassez pode contribuir para a recessão.

  3. A falta de fornecimento de água adequado e confiável para os setores altamente dependentes de recursos hídricos resulta na perda ou no desaparecimento de empregos e pode limitar o crescimento econômico mundial nos próximos anos.Além do aumento da demanda, as mudanças climáticas são uma ameaça à disponibilidade de recursos hídricos. “A mudança climática levará, inevitavelmente, à perda de empregos em determinados setores. Uma abordagem proativa de adaptação por meio de políticas pode amenizar algumas dessas perdas.
    A criação de oportunidades de emprego em atividades de mitigação e adaptação e o mercado emergente de pagamentos por serviços ambientais pode oferecer às populações de baixa renda a oportunidade de criar um tipo de empreendedorismo, com aumento de renda e implementação de práticas de restauração e conservação.Segundo relatório feito pela Unesco, investimentos em saneamento e em água potável de qualidade fomentam o crescimento econômico, com altos índices de retorno. Especialistas recomendam que cada país, conforme a sua base de recursos, potencialidades e prioridades, identifique e promova estratégias específicas e coerentes, bem como planos e políticas para alcançar o equilíbrio ideal entre os setores da economia e gerar o melhor resultado possível de empregos decentes e produtivos, sem comprometer a sustentabilidade dos recursos hídricos e do meio ambiente.Com vistas a promover o crescimento econômico, a redução da pobreza e a sustentabilidade ambiental, deve-se considerar os métodos que reduzem a perda de empregos ou o deslocamento de pessoas, além daqueles que maximizam a criação de empregos resultantes da implementação de uma abordagem integrada na gestão dos recursos hídricos.

  4. A escassez da água é resultado de vários fatores. Além do aumento da demanda, as mudanças climáticas são uma ameaça à disponibilidade de recursos hídricos e tal mudança climática é o que levará, inevitavelmente, à perda de empregos em determinados setores. Uma abordagem proativa de adaptação por meio de políticas pode amenizar algumas dessas perdas.

    Se por um lado, novos empregados serão gerados nas áreas de pesquisa e energias renováveis, ainda assim, é preciso se atentar para o reflexo na saúde. Segundo o relatório realizado pela UNESCO, investimentos em saneamento e em água potável de qualidade fomentam o crescimento econômico, com altos índices de retorno. O acesso ao suprimento de serviços seguros e confiáveis de saneamento e de água potável de qualidade, nas casas e nos locais de trabalho, em conjunto com a higiene adequada, são essenciais para se manter uma força de trabalho saudável, educada e produtiva.

    Questões de direitos humanos, economia verde, desenvolvimento sustentável devem ser trabalhados pelos gestores de políticas públicas ao tratar das relações entre recursos hídricos e trabalho. Doenças contagiosas ligadas ao trabalho contribuem para essas mortes e, nessa categoria, os principais fatores para a proliferação dessas doenças, mas que podem ser evitados, são água potável de baixa qualidade, saneamento inadequado, falta de higiene e falta de conhecimento.

    Acima da íntima ligação entre água e emprego, está a relação entre água e saúde.

  5. Presume-se que cerca de 40% da população no mundo viva hoje com uma constante situação de estresse por conta da crise hídrica. Essas pessoas geralmente vivem em regiões em que a quantidade de água anual ofertada é inferior ao limite mínimo considerado seguro pela Organização das Nações Unidas (ONU). As expectativas para o futuro é de maior escassez e, de acordo com estimativas do Instituto Internacional de Pesquisa de Política Alimentar (em Washington), até o ano de 2050, um total de 4,8 bilhões de pessoas ficará em situação de escassez hídrica. Além de problemas para o os indivíduos, caso essa escassez realmente aconteça, ela afetará gravemente as safras agrícolas e a produção industrial em geral, já que a água é essencial para o crescimento econômico. Um bom exemplo é a seca que atingiu os Estados Unidos em 2012, considerada a mais longa das últimas três décadas. Nos países mais pobres a situação é ainda pior, pois a falta de acesso às fontes de água potável é comum para a maioria dos cidadãos desses países, sem contar a falta de água para saneamento básico.

  6. É comum no mundo contemporâneo nos depararmos com noticias em relação a escassez de água e o prejuízos que essa pode causar no dia 22 de março, (Dia Mundial da Água) a Organização das Nações Unidas (ONU) publicou o Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, segundo o relatório mundial metade dos trabalhadores do mundo em torno de 1,5 bilhão de pessoas estão empregada em oito indústrias dependentes de recursos hídricos e naturais: agricultura, silvicultura, pesca, energia, manufatura intensiva de recursos, reciclagem, construção e transporte. A escassez e os problemas de acesso à água e ao saneamento segundo o relatado pode limitar o crescimento econômico e a criação de empregos no mundo nas próximas décadas, de acordo com o documento, a falta de investimentos em infraestrutura e os altos índices de vazamentos nos sistemas hídricos das cidades globais como exemplo Londres e inclusive de países desenvolvidos como Noruega.
    É importante ressaltar o comentário feito pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que observou, apesar da sua importância fundamental, a água como um setor geralmente não recebe a atenção que merece.

    “A água é fundamental para a sobrevivência humana, para o meio ambiente e para a economia”, destacou Ban, lembrando que a data é uma oportunidade para que todos possam aprender mais sobre questões relacionadas ao tema, serem inspirados a transmitir o conhecimento a outros e tomarem medidas que façam a diferença.

    É imprescindível que os Países, principalmente os desenvolvidos e as grandes cidades globais adotem politicas para melhor aproveitamento dos recursos hídricos e conservar o crescimento das industrias dependentes de recursos hídricos, buscando também melhorar o acesso da população com menor potencial econômico a água de boa qualidade, pois a água primeiramente e questão de saúde e de higiene Direitos básicos que devem ser garantidos a pessoa humana.

  7. No Dia Mundial da Água (22/03), as Nações Unidas publicaram o “Relatório Mundial sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, Água e Emprego”, segundo o mesmo três em cada quatro empregos do mundo são forte ou moderadamente dependentes de água. Metade dos trabalhadores do mundo estão empregados em indústrias dependentes de recursos hídricos e naturais.
    A escassez e os problemas de acesso a água e ao saneamento podem limitar o crescimento econômico e a criação de empregos no mundo nas próximas décadas, de acordo com o relatório, a falta de investimentos em infraestrutura e os altos índices de vazamento nos sistemas hídricos das grandes cidades contribuem com esse problema. Essa projeção de escassez de aguá exigirá recursos hídricos não convencionais , como aproveitamento de água pluviais, água residuais recicladas e drenagem urbana. O uso desse recursos alternativos criará novos empregos no desenvolvimento de pesquisas e tecnologias e na implementação de seus resultados.
    Apesar da América Latina e Caribe terem cerca de um terço da provisão de água no mundo, o uso intenso desse recurso em suas economias e suas dependências dos recursos naturais, impõem importantes desafios para o crescimento econômico e a criação de empregos. Pois estão particularmente dependentes de aguá na criação de empregos, porque a maior parte de suas economias é ligada à exploração de seus recursos naturais como mineração e agricultura. Em países com Brasil, Argentina, Chile, Peru e México, a irrigação também é responsável por uma parte importante da produção agrícola.
    Portanto a água é fundamental para a sobrevivência humana, para o meio ambiente e para a economia. Lembrando que o dia Mundial da Água é uma data para que todos possam aprender e dar maior importância sobre questões relacionadas ao tema, e tomarmos medidas que façam a diferença para a conservação da água.

  8. Recentemente a ONU publicou matéria referente ao “Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, Água e Emprego”, de modo a alertar a população mundial sobre a suma importância da água para o bom andamento do planeta, além de promover uma conscientização sobre os atuais e possíveis problemas que podemos vir a enfrentar. Foi exposto no artigo que aproximadamente 1,5 bilhões de pessoas em todo o mundo possui uma relação direta de dependência com tal recurso hídrico. Isso é dizer que todas essas pessoas dependem da água para poder trabalhar. Sem uma boa administração, sem os cuidados necessários, é fato, dada as recentes pesquisas, que enfrentaremos tempos difíceis num futuro próximo, o que trará consequências econômicas, sociais e ambientais severas para todo o globo. Bom, visto esse quadro problemático, é curioso pensar, se não indignante, que mesmo apesar de todos os alertas e dados concretos, o número de pessoas conscientizadas continua sendo muito baixo. A importância dada pelas pessoas acerca do tema água, principalmente no Brasil, é muito baixa, e não se sabe o porque disso. O que precisa ser feito, é persistir no tema, continuar insistindo na valorização desse recurso hídrico, e continuar investindo sempre em novas ideias, pois o mundo, e o nosso país, depende muito da água para continuar funcionando bem.

  9. A água é um recurso hídrico oferecido pela natureza, indispensável para a sobrevivência do ser humano. Há uma ligação direta nos dias atuais, entre a água e os empregos, pois é preciso do trabalho do homem para que o seu fornecimento seja limpo e seguro.
    Há alguns anos a sua exploração vem aumentando pelas empresas, especialmente as multinacionais, sendo que em cada 10 empresas, 8 são totalmente dependentes para conseguir exercer a sua atividade econômica. No entanto, é possível observar que muitas dessas empresas não se atentaram ao cuidado na utilização desse recurso, muitas vezes utilizando de forma descuidadosa, desperdiçando-o com vazamentos ou poluindo rios e mares etc.
    O Brasil é um país que possui uma enorme quantidade hídrica, mas nem sempre a água já é potável, ou seja, pronta para o consumo. É ai que entra uma das atividades necessárias do trabalho do homem, além da utilização para setores que estão relacionados a produção de alimentos, como a agricultura, piscicultura, etc. Porém, estamos passando por tempos em que a seca está se tornando, infelizmente, uma situação comum. Grandes períodos sem chuvas, rios poluídos, são motivos pelos quais muitas empresas se viram tendo que reduzir as suas atividades ou até mesmo cancela-las, tendo grandes perdas, como plantações inteiras de soja que não completaram seu ciclo.
    As Organizações das Nações Unidas (ONU), no dia mundial da água, resolveu então fazer uma alerta aos consumidores, desde os de menor a grandes quantidades de água, como as multinacionais sobre o cuidado que é necessário e que deve ser dado a esse recurso, que é fonte de emprego para mais da metade da população. É cabível a cada um, como os indivíduos em suas casas, por exemplo: no estado de São Paulo que precisou da ajuda da população para economizar, até as empresas que podem adotar políticas para o melhor aproveitamento. Visando assim a conservação desse recurso tão necessário para a sobrevivência de bilhões de pessoas do mundo todo.

  10. A água é um recurso hídrico oferecido pela natureza, indispensável para a sobrevivência do ser humano. Há uma ligação direta nos dias atuais, entre a água e os empregos, pois é preciso do trabalho do homem para que o seu fornecimento seja limpo e seguro.
    Há alguns anos a sua exploração vem aumentando pelas empresas, especialmente as multinacionais, sendo que em cada 10 empresas, 8 são totalmente dependentes para conseguir exercer a sua atividade econômica. No entanto, é possível observar que muitas dessas empresas não se atentaram ao cuidado na utilização desse recurso, muitas vezes utilizando de forma descuidadosa, desperdiçando-o com vazamentos ou poluindo rios e mares etc.
    O Brasil é um país que possui uma enorme quantidade hídrica, mas nem sempre a água já é potável, ou seja, pronta para o consumo. É ai que entra uma das atividades necessárias do trabalho do homem, além da utilização para setores que estão relacionados a produção de alimentos, como a agricultura, piscicultura, etc. Porém, estamos passando por tempos em que a seca está se tornando, infelizmente, uma situação comum. Grandes períodos sem chuvas, rios poluídos, são motivos pelos quais muitas empresas se viram tendo que reduzir as suas atividades ou até mesmo cancela-las, tendo grandes perdas, como plantações inteiras de soja que não completaram seu ciclo.
    As Organizações das Nações Unidas (ONU), no dia mundial da água, resolveu então fazer uma alerta aos consumidores, desde os de menor a grandes quantidades de água, como as multinacionais sobre o cuidado que é necessário e que deve ser dado a esse recurso, que é fonte de emprego para mais da metade da população. É cabível a cada um, como os indivíduos em suas casas, por exemplo: no estado de São Paulo que precisou da ajuda da população para economizar, até as empresas que podem adotar políticas para o melhor aproveitamento. Visando assim a conservação desse recurso tão necessário para a sobrevivência de bilhões de pessoas do mundo todo.

  11. A escassez de água não é um assunto recente, porém a busca de uma solução tem se tornado urgente, a população e as atividades econômicas cresceram de forma preocupante, precisamos cada vez mais de recursos naturais e o que agrava a ameaça a disponibilidade de recursos hídricos. Já que além do aumento da demanda as mudanças climáticas vão exacerbar a magnitude da situação.
    Além da escassez outro assunto que deve ser tratado com mesma seriedade é a gestão da água, é certo que boa parte do fornecimento hídrico não é adequada para o uso, há uma porcentagem considerável de mortes relacionadas com doenças transmissíveis devidas ás péssimas situações em que água se encontra. A falta de fornecimento de água seguro para os diversos setores da economia que são dependentes de recursos hídricos é diretamente ligada à perda de empregos e consequentemente na paralisação do crescimento econômico mundial nos próximos anos.
    É necessária uma nova política pública, devendo cada país, conforme sua base de recursos desenvolva estratégias coerentes para que alcança o equilíbrio ideia entre os setores de economia e gerar o melhor resultado possível de empregos decentes, sem comprometer a sustentabilidade de recursos hídricos.

  12. Nao é de hoje que o tema da água e sua importância vem sendo abordado por inúmeras organizações e especialistas, afinal o ser humano depende desse recurso desde os primórdios. Assim, a questão levantada pela ONU nao é apenas importante mas também de interesse global, afinal nenhum povo até os dias de hoje conseguiu progredir e viver sem água.
    Claro que a discussão, sobre o uso de forma excessiva dos recursos hídricos, nao é de hoje e desde o século passado ela já vem sendo tratada de forma mais intensa do que antes, isto se deu em decorrência de diversos fatores, tais quais o crescimento da população, o surgimento de novas áreas de trabalho, o desenvolvimento tecnológico entre outros fatores. Afinal é de interesse mundial preservar a dádiva mais importante para nossa sobrevivência, uma vez que sem água nao há vida.
    Portanto, cabe aos países tomarem as devidas atitudes para preservar seus recursos hídricos, desenvolvendo novas estratégias de reutilização da água que é desperdiçada, bem como novos meios tecnológicos para captação de águas pluviais, além do investimento em outras áreas de energia. Um maior investimento nos campos de pesquisa para capacitar a água para uso, também geraria impactos positivos, tendo em vista que a escassez nao é o único fator preocupante em relação a água, pois é certo que boa parte do fornecimento hídrico não é adequada para o uso, há uma porcentagem considerável de mortes relacionadas com doenças transmissíveis devidas ás péssimas situações em que água se encontra.
    O Brasil é detentor de um dos maiores recursos hídricos do mundo, cuja fonte de energia primordial é a hidrelétrica. Todavia, o uso desenfreado da água cumulada com as mudanças climáticas dos últimos anos, tem gerados diversas preocupações ao governo os deixando apreensivos acerca do futuro, pois tais fatores já começaram a atingir a população de nosso país. Basta ver os acontecimentos dos anos de 2014 e 2015 com a seca do cantareira, que ocasionou um racionamento na cidade de Sao Paulo por diversos dias, pois nao havia água o suficiente para abastecer a cidade e seus arredores. Inúmeras famílias se viram sem água durante dias, gerando inúmeras queixas por parte da população a gerência do governo, pois este deveria ter tomado medidas preventivas para evitar tais situações.
    Por fim, fica o apelo ao governo e seus representantes, para que estes tomem as devidas medidas, implementando novas políticas públicas e adotem uma posição mais rigorosa acerca do uso da água em nosso país.

  13. É evidente que a água é extremamente importante para a manutenção na vida na Terra, preservá-la é um grande desafio da sociedade em geral, visto o grande desperdício por parte da atividade empresaria e dos indivíduos. Neste contexto, é necessário buscar um meio para suprir as necessidades das atuais gerações e preservar as futuras. Isso para que não falte água e outros recursos que inviabilizariam o crescimento social e econômico em longo prazo.
    Desta maneira, a preservação da água deve ser tratada com primazia pelos Estados e entidades internacionais já que sua supressão acarreta consequências gravíssimas para as sociedades no âmbito social e, principalmente, econômico. Assim como é mostrado no vídeo acima, a água faz parte, da maioria, dos ramos produtivos industriais, sua escassez, portanto, tornaria improdutivo grandes polos industriais. Como também, dificultaria a sobrevivência da população mundial que teria que realizar reduções e racionamentos drásticos de recursos hídricos. Tais medidas, já fazem parte de algumas regiões brasileiras e mundiais, que atualmente sofrem com a escassez de água.
    Desta maneira, os recursos hídricos devem tomar pauta nas principias negociações e tratados internacionais, com fim de preservar as futuras gerações e atender as atuais.

  14. À luz do atual cenário no qual estamos inseridos, toda e qualquer preocupação com a questão da água é válida. O recurso em questão, além de possuir papel vital, ele está intrinsecamente ligado ao âmbito econômico. Isso significa que problemas que envolvam tal matéria, como a escassez, implicariam a limitação do crescimento da economia mundial, daí a importância da discussão sobre esse assunto dentro do âmbito internacional pela Organização das Nações Unidas (ONU).
    De acordo com relatório do órgão, três em cada quatro empregos do mundo dependem, em diferentes níveis, desse recurso hídrico. Desse modo, a empregabilidade em diversos setores como a agricultura, a mineração, a construção e o transporte, caminha junto com a reserva de água do planeta. Levando isso em consideração, é nítida a importância dessa para a continuidade da vida no planeta Terra, e igualmente necessário que discussões a respeito desse tema seja feia e daí o essencial papel da organização a respeito do assunto. São diversas as causas dos problemas relacionados à falta do recurso. Esses variam entre a perspectiva ambiental (secas e mudanças climáticas) e a questão atitudinal do homem (desperdício, falta de infraestrutura na gestão desse recurso e má aproveitamento).
    A problemática não se restringe a um país em específico. Ela está presente no cenário global, já que o recurso é inerente ao homem, por isso a discussão não pode ficar restrita apenas aos países individualmente e deve ser feita de forma internacional para que possa abranger o maior número possível de pessoas e países. Projetos, estudos e discussões a esse respeito são fundamentais e urgentes. O Programa Mundial de Avaliação dos Recursos Hídricos é um exemplo positivo de maior preocupação com o assunto. São necessários o investimento e criação de projetos como esse que possam informar ao governo e comunidades internacionais a criticidade da situação da água doce no planeta. Não cabe um posicionamento correto e consciente apenas no Dia Mundial da Água (22 de março).

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s