Jovens brasileiros vencem concurso de redação da ONU sobre industrialização e desenvolvimento


Desenvolvimento_sustentavel

Publicado originalmente em: 12/03/2016

A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), por meio do Escritório da América Latina e Caribe, lançou no fim do ano passado concurso de redações para jovens latino-americanos e caribenhos cujo tema era “Os desafios da industrialização na região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de desenvolvimento sustentável 9 e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável (ISID)”.

Reduzir a pobreza por meio de atividades produtivas tendo em vista a preservação do meio ambiente foi uma das ideias abordadas pela estudante brasileira Telma Giovana de Freitas, que com outros dois jovens, um mexicano e um peruano, ficaram nos três primeiros lugares do concurso.

Entre outros prêmios, os três vencedores ganharam uma viagem para Viena de ida e volta com acomodação para apresentar a redação para a comunidade diplomática e especialistas da UNIDO, além de uma bolsa de 800 euros. Os dez melhores ganharam cursos online de desenvolvimento profissional doados pela Comissão Internacional para o Desenvolvimento da Força de Trabalho (ICWFD).

Entre as dez melhores redações está a de outra brasileira: Kamila Athar Alencar, que fez um trabalho sobre o papel da educação na industrialização, sustentabilidade e do desenvolvimento da América Latina e do Caribe, e a do brasileiro Hiran Catuninho Azevedo, que tratou do tema da inovação. Os dez primeiros postos também foram preenchidos por jovens de México, Guiana e Honduras.

“Foi fascinante ler os trabalhos de jovens da região da América Latina e Caribe. Fiquei impressionado com o modo com o qual eles abordaram diferentes assuntos e com suas visões pioneiras. Os jovens serão essenciais para atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, disse o chefe da Divisão para América Latina e Caribe da UNIDO.

Fonte: ONU Brasil    Charge: Conexão Ambiental

 

12 respostas em “Jovens brasileiros vencem concurso de redação da ONU sobre industrialização e desenvolvimento

  1. Essa é uma das matérias que deveriam ser anunciada no jornal das 9, porém não temos espaços/tempo em nossa mídia para noticiar coisas boas, somente temos espaço/tempo para ver catástrofes e matérias horripilante sobre o nosso País ( Ressalto que o nosso País não é o único a acontecer catástrofes e coisas obscuras que é de difícil aceitação pela população). Entretanto a organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), por meio do Escritório da América Latina e Caribe, lançou no fim do ano passado concurso de redações para jovens latino-americanos e caribenhos cujo tema era “Os desafios da industrialização na região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de desenvolvimento sustentável 9 e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável (ISID)”. Reduzir a pobreza por meio de atividades produtivas tendo em vista a preservação do meio ambiente foi uma das ideias abordadas pela estudante brasileira Telma Giovana de Freitas, que com outros dois jovens, um mexicano e um peruano, ficaram nos três primeiros lugares do concurso.
    O chefe da Divisão para América Latina e Caribe da UNIDO salientou: ”Foi fascinante ler os trabalhos de jovens da região da América Latina e Caribe. Fiquei impressionado com o modo com o qual eles abordaram diferentes assuntos e com suas visões pioneiras. Os jovens serão essenciais para atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”.

    É de suma importância que concursos, programas, entre outros projetos que incentive o estudo e saliente a necessidade de interação com o meio ambiente e desenvolvimento urbano, comercial seja proporcionado aos jovens de todo o mundo, pois neles se deposita grande esperança de mudanças de mal hábitos praticados por gerações anteriores a sua.

  2. Essa matéria retrata o potencial crítico dos jovens brasileiros. Mostrando que sabem decifrar as violações de direitos e que prejudicam uma minoria, assim como demonstrado na charge, os índios sofrendo com o desmatamento desenfreado e tendo que serem amparados pelo governo.

    Ou seja, não há uma responsabilidade, nem mesmo um planejamento para exploração dos vastos recursos naturais que o país possui. Isso dá um caráter de revolta e de denuncia, os jovens brasileiros querem mostrar o que está errado, mas não apenas para por mais lenha na fogueira. Eles buscam soluções, eles propõem soluções e estas são de relevante valor.

    Pelo o que foi pedido pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), por meio do Escritório da América Latina e Caribe, que queriam redações sobre o tema “Os desafios da industrialização na região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de desenvolvimento sustentável 9 e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável (ISID)”.
    Os estudantes foram claros e bem sábios ao dizerem que deve-se aliar desenvolvimento econômico com natureza. Não há uma via de mão dupla nisso. País latino-americanos como um todo foram “abençoados” com enorme riqueza natural. Com bens naturais invejáveis, mas o existe grande pressão das multinacionais que em território latino se estabelecem e prejudicam e danificam de forma grave o meio ambiente. Além disso as próprias empresas nacionais não sabem pactar de forma eficiente atividade econômica com natureza intacta.

    Enfim, os jovens se mostraram espertos o bastante para pensarem numa possibilidade viável. Esses tipos de trabalhos desempenhados por jovens cheios de energia são bem vindos, impressionam pessoas influentes como chefe da Divisão para América Latina e Caribe da UNIDO e devem ser considerados por grandes líderes.

  3. A atitude da UNIDO em lançar um concurso com o tema “Os desafios da industrialização na região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de desenvolvimento sustentável 9 e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável (ISID)”, é uma maneira de incentivar cada vez mais os jovens a participarem de assuntos que dizem respeito a comunidade mundial. É importante que os jovens colaborem, opinem e discutam sobre os problemas da atualidade, uma vez que, eles que irão gerir a sociedade futura. Infelizmente, desenvolvimento sustentável é algo ainda recente e por isso o assunto não é abordado na educação da população em geral com a importância que deveria ser.
    É gratificante, quando em um concurso dessa magnitude, aparecem jovens tão engajados e dispostos a se preocuparem com o meio ambiente, com as pessoas, com a sociedade em geral, como por exemplo, a estudante brasileira Telma Giovana de Freitas – e não apenas com a internet, Smartfones ou televisão – que demonstra que precisamos dar mais atenção a eles e ouvi-los, pois muitas vezes, trazem soluções brilhantes para os grandes problemas que enfrentamos hoje. É por isso, que há uma necessidade de assuntos que envolvem temas como esse da notícia, de serem tratados cada vez mais no cotidiano das pessoas e principalmente dos jovens. É nas escolas, dentro de casa e até mesmo na rua, que conversas e debates devem ser realizados, porque é dessa forma que pensamentos são gerados e soluções são descobertas.

  4. O brasileiro já está acostumado com notícias ruins do Brasil, ainda mais quando se trata do cenário internacional. O sistema educacional no Brasil é falho, o que faz com que muitas crianças e adolescentes acabem indo morar na rua, à margem da criminalidade. Entretanto, é estranho o espanto do brasileiro quando acontece o contrário. Notícias como esta são extremamente importantes e motivadoras para outras gerações. Atitudes como essa mostra o tanto que é possível mudarmos o Brasil para melhor, basta querer. Apesar de ser exceção, é importante o reconhecimento do brilhantismo dos jovens que foram consagrados em um concurso realizado pela Organização das Nações Unidas. É importantíssimo também, ficar atento ao tema abordado pelo concurso. A industrialização e desenvolvimento são problemas graves em todo mundo por não serem feitas de maneira sustentável, e é de impressionar a ONU incentivando novas gerações a já debaterem sobre o tema, a fim de assegurar um futuro melhor para toda a humanidade.

  5. A ideia do desenvolvimento sustentável deve ser disseminada em todas as classes e faixas etárias. Todos nós, no nosso cotidiano, seja trabalho, casa, faculdade podemos adotar condutas éticas de comportamento que contribuirão para a preservação do meio ambiente. O desenvolvimento sustentável é aquele em que é possível suprir todas as nossas necessidades, sem esgotar, ou seja, sem comprometer o atendimento das necessidades futuras.
    A economia verde é aliada do desenvolvimento sustentável e hoje tornou-se uma ideia amplamente aceita. Nesse modelo de economia, é possível realizar vários processos produtivos, sejam industriais, comercias ou de serviços, possibilitando o desenvolvimento econômico e social do país, sem produzir ou minimizando os impactos e escassez ecológicas. Com essas políticas de desenvolvimento e valoração ambiental, podemos melhorar a qualidade de vida das pessoas, melhorando a oferta de empregos, consumo consciente, reciclagem, melhorar o bem estar da humanidade.

  6. Foi com Juscelino Kubitschek no cargo de Presidente da República que se permitiu o desenvolvimento industrial no Brasil, com o surgimento das multinacionais e a entrada de capital. A industrialização traz muitas vantagens ao crescimento de um país, é um meio de grande circulação de capital, com a produção de produtos e consequentemente, de empregos.
    Ocorre um aumento na qualidade de vida, um maior poder aquisitivo, segurança e progresso na economia de um país para investimentos. Ou seja, a criação de indústrias e o exercício da sua atividade econômica é sem dúvida uma das maiores fontes de desenvolvimento de um país.
    No entanto, as indústrias trouxeram junto a si, o crescimento urbano de casas, prédios, estradas, estruturas para adequação e exercício das suas atividades muitas vezes de forma despreocupada com a vida futura, causando um grande desmatamento, poluições e problemas com a natureza. Hoje em dia com um estado grave de aquecimento global, rios poluídos, a diminuição da quantidade de água potável, das florestas e as grandes variações climáticas com chuvas ou calor muito intensos, tem preocupado a sociedade, que vem buscando novas formas de exercer suas atividades, como a sustentável.
    O desenvolvimento sustentável é a atividade que passa a ser exercida, sem agressão ao meio ambiente, isso é, que busca manter um equilíbrio econômico, ambiental e social. Pois hoje em dia, para se manter dentro de um mercado competitivo, que se transforma com tamanha velocidade é preciso o aprimoramento do exercício de suas atividades. Ao ser humano não se interessa mais apenas o produto, mas também a forma que ele é produzido, ou seja, todo o sistema que o integra, até estar pronto para o consumo e as suas possíveis consequências.

  7. Hodiernamente, investimentos em industrialização têm sido cruciais para elevar os índices de desenvolvimento dos países – não só o desenvolvimento econômico, como também o social.
    No entanto, tais investimentos comumente são realizados de maneira conflituosa com o meio ambiente – são investimentos que, muitas vezes, não dão preferência à adoção de técnicas de produção e materiais mais sustentáveis, bem como optam, de maneira limitada, pela utilização de produtos reciclados.
    A adoção de práticas sustentáveis, além de minimizar impactos ao meio ambiente, contribui para a garantia de uma melhor qualidade de vida. Portanto, projetos como este, lançado pela Organização das Nações Unidas para Desenvolvimento Industrial (UNIDO), são de suma importância para o incentivo de reflexões e para a conscientização, principalmente por parte dos jovens, acerca do desenvolvimento sustentável. Além disso, contribuem para que os jovens – futuros protagonistas do desenvolvimento, na liderança, por exemplo, de uma grande empresa – se posicionem e adotem métodos que harmonizem industrialização, desenvolvimento e sustentabilidade.

  8. É de extrema importância que as Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) desenvolva esse tipo de projeto, uma vez que com o desenvolvimento da tecnologia e da indústria, torna-se um desafio conciliar progresso com sustentabilidade. Mais relevante ainda é abordar esse tema para jovens da América-Latina e Caribe, pois serão os jovens os futuros responsáveis pelo crescimento industrial e financeiro de seus países e, consequentemente, do mundo; e se hoje já considera-se difícil o uso consciente de recursos naturais com as novas tecnologias, no futuro essa dificuldade pode ser ainda maior. A ideia abordada pela brasileira Telma Giovana de Freitas busca problematizar não somente a sustentabilidade, mas também a pobreza em decurso da exploração de determinadas atividades, reduzi-la juntamente com a forma adequada de exploração de recursos naturais leva essa questão para além de parâmetros ambientais, uma vez que também visa o lado social. Isso prova que os jovens brasileiros estão à par de problemas mundiais corriqueiros, possuem senso crítico desenvolvido e, diferentemente de grandes potências econômicas, preocupam com o desenvolvimento mundial de forma responsável e sustentável, o que pode faltar, muitas vezes, é o incentivo e o interesse do governo para que esses jovens possam ser ouvidos.

  9. Os jovens brasileiros cada vez mais mostram mundo a perspectiva de futuro promissor em termos de evolução e tecnologia. A cada projeto inovador seja por redação ou em escala maior como já visto na NASA com cientistas nacionais e na própria ONU, surge um prisma diferenciado sobre nós enquanto Estado, e bem como sobre um canal de introdução para novos investimentos e pesquisas direcionados ao Brasil.
    O tema conhecido de muitos, mas que sempre requer inovações serve de base e correlação para vários outros que já estão em andamento nosso país.
    Também nesse momento, acende a oportunidade de cooperação entre os Estados latinos para concretização de tratados sobre o tema. É importante que esses jovens tenham algum suporte de nosso país para que possam crescer profissionalmente de forma produtiva. Nas palavras do chefe da divisão para América Latina e Caribe da UNIDO: ” OS jovens serão essenciais para atingir os objetivos de desenvolvimento sustentável. “

  10. O concurso realizado pela UNIDO – Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial, cujo, o tema era “Os desafios da industrialização na região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de desenvolvimento sustentável 9 e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável (ISID)”, demonstra o interesse desta, em buscar a aproximação e interação com jovens para que discutam e se posicionem sobre temas hodiernos de toda a comunidade nacional apresentando a sua visão de mundo.
    A valoração da opinião do jovem no mundo globalizado de hoje é de suma importância, pois cada vez mais estes vêm demonstrando a força que possuem para modificação de paradigmas até então estagnados na sociedade, o que vai de encontro com os preconceitos que a atual geração Z sofre por ser considerada a geração que possui problemas ligados a sua relação social devido ao intenso uso das tecnologias virtuais, uma geração imóvel sem motivação e capacidade limitada para ser ouvinte.
    Portanto é perceptível que os jovens de hoje conseguem conciliar quando querem o uso das tecnologias para assim propaguem as suas opiniões e demonstrem com fundamentos a visão que possuem sobre qualquer espécie de tema.

  11. O concurso de redação para jovens da América Latina e Caribe criado pela Organizacao das Nações Unidas para o Desenvolvimento, com o tema “Os Desafios da Industrialização na Região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de Desenvolvimento Sustentável e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável”, foi importante iniciativa pois trata-se de um tema bastante discutido internacionalmente e mostrou a visão da jovem brasileira Telma Giovana de Freitas sobre como se pode reduzir a pobreza através de atividades produtivas e preservação do meio ambiente.
    Outra brasileira também se destacou com um trabalho sobre industrialização, sustentabilidade e desenvolvimento.
    Fica claro que no Brasil existe muito potencial criativo dos jovens, que precisa ser melhor aproveitado, pois a partir de trabalhos como esses, poderemos dar um grande salto na busca pela sustentabilidade produtiva e diminuição da miséria.

  12. Fico muito FELIZ em saber que podemos ser representados por grandes amadores da escrita de nosso país
    Foram convocados jovens latino-americanos e caribenhos para falar sobre o tema “Os desafios da industrialização na região da América Latina e Caribe para alcançar o objetivo de desenvolvimento sustentável 9 e o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável (ISID)” e nosso país teve a oportunidade de ter brasileiros como ganhadores.
    A pesar da educação não ser o forte em nosso país temos que admitir que ver pessoas com grande talento ter sua redação aprovada faz com que não percamos nossa esperança.
    Seria tão bacana se nossos governantes entendesse que sem a educação nada funciona.
    A abordagem feita com temas tão importantes me faz ver que com comprometimento tudo pode mudar.
    O chefe da Divisão para América Latina e Caribe da UNIDO dizer que foi fascinantes ler os trabalhos abordando diferentes assuntos e com suas visões pioneiras faz o concurso ser gratificante.
    Ressalto que através deles, muitos jovens devem se espelhar, deve ver que a única solução para serem bem sucedidos é estudar, buscar ser alguém e mostrar para a America Latina seus conhecimentos não tem preço.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s