Brasil poderá ampliar parcerias comerciais com o Irã


Publicado originalmente em: 11/02/2016

eduardo_braga

O governo brasileiro deverá iniciar em breve tratativas para novas parcerias comerciais com o Irã. Segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, o governo recebeu em novembro correspondência em que o governo iraniano manifesta interesse em desenvolver parcerias comerciais com o Brasil que envolvem produtos como tecnologia, automóveis e equipamentos brasileiros. O assunto será tratado pelos ministérios das Relações Exteriores e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

“O Brasil tem uma boa relação com o Irã, que acaba de vencer a questão das barreiras, portanto, é um grande mercado para o nosso país e, óbvio, nós temos todo o interesse em ampliar esse intercâmbio”, disse Braga. O assunto foi tratado na manhã de hoje (11) em uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff. Uma reunião com o embaixador do Brasil no Irã deve ser marcada para discutir a questão.

Recentemente, os Estados Unidos e a União Europeia decidiram suspender as sanções aplicadas ao Irã, logo após a Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) confirmar que o país cumpriu todas as exigências do acordo nuclear assinado em Viena. De acordo com o ministro de Minas e Energia, o Brasil tem interesse em acordos na área de energia. “Eles têm petróleo, têm muito gás, nós temos uma indústria de petróleo, temos interesses, viemos ao longo dos últimos meses tratando com iranianos a questão de refinarias no Brasil.”

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, entre 2002 e 2009, a corrente bilateral de comércio entre Brasil e Irã passou de US$ 500 milhões para US$ 1,24 bilhão. Em 2010, o Irã tornou-se o segundo maior comprador de carne do Brasil, ficando atrás apenas da Rússia.

Fonte: EBC – Agência Brasil

4 respostas em “Brasil poderá ampliar parcerias comerciais com o Irã

  1. O Brasil, há anos, tem uma notória parceria com o Irã, tanto na seara política como na econômica. É preciso lembrar, aliás, que Brasil e Turquia foram os primeiros países a lograrem êxito em um acordo nuclear com o país árabe. Infelizmente, a União Europeia e os EUA deram as costas àquele importante movimento que não parece diferir tanto do que foi feito agora.
    No entanto, o fato é que o Brasil deve rever os produtos que compõem a sua carteira de exportações. Caso não o faça, ficará sempre à mercê dos preços internacionais, vide o impacto da desaceleração da economia chinesa na nossa economia. Assim, ao invés de exportar muita carne, o Brasil deve mesmo é ampliar o seu parque industrial, fortalecer a sua infra-estrutura e exportar produtos manufaturados, como a Embraer vem fazendo com seus jatos em vários países.
    Então, a iniciativa de ampliar as relações comerciais com o Irã é muito positiva. Entretanto, devemos olhar também para o ponto de vista qualitativo destas exportações.

  2. Através das exportações, o Brasil terá uma oportunidade de suavizar a atual crise econômica. Com o mercado interno desaquecido pela redução do poder de compra através da inflação e do aumento dos juros, será necessário desenvolver consumidores externos para evitar mais demissões e falências, o que alimentaria um ciclo vicioso de retrocesso econômico. Afinal, mais pessoas desempregadas significa um mercado interno ainda mais desaquecido, o que provoca redução das vendas e aumento dos índices de inadimplência. Tal situação provoca falências, que se chegarem a altos níveis entre os bancos, pode comprometer todo o sistema financeiro do país. Portanto, é de suma importância que parcerias, como esta que vêm crescendo com o Irã, aconteçam cada vez mais e de forma bastante acelerada. É como se uma parte significativa do futuro econômico de médio prazo do Brasil dependesse disso.

  3. Essa ampliação da parceria com o Irã, que é um pais que já mantém boas relações com o Brasil há algum tempo, demonstra uma oportunidade de um avanço para a recuperação da crise econômica que o Brasil se encontra atualmente. Esse intercambio de produtos proporcionará benefícios aos dois países, pois haverá uma complementação das necessidades de cada um deles com essa troca, como citado no texto, a industria de petróleo brasileira será mais valorizada pois se encarregará de uma maior produção com o petróleo vindo do Irã que lucrará com essa exportação, assim como a exportação de carne do Brasil para o Irã desde 2010, se mostra benéfica para ambos os países. É de grande importância que parcerias como esta que vêm crescendo com o Irã, aconteçam cada vez mais com o Brasil para que possa promover uma suavização da crise e um crescimento econômico no país, pois uma parte significativa do futuro econômico do Brasil dependesse disso. E também, com uma melhoria econômica consequentemente traria uma melhora da situação política no país.

  4. Com a atual crise financeira que assombra o Brasil, essas parcerias sempre serão benéficas, pois fomentam a economia, proporcionando uma possível retomada ao crescimento das finanças publicas. O Irã, após cumprir todas exigências do acordo nuclear assinado em Viena, teve suspensa todas sanções aplicadas pelos Estados Unidos e a União Europeia, voltando a figurar como membro integrante do mercado internacional. Com a vigência da ampliação comercial entre os dois países, o Brasil poderá usufruir de um território iraniano que contem muito petróleo, muito gás, e conciliar com a indústria brasileira de refinaria, que é exemplo no ramo.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s