Pope Francis: The 10 Climate Commandments [RAP NEWS 33]


Esse post foi publicado em Relações Internacionais e marcado , , , , por Luiz Albuquerque. Guardar link permanente.

Sobre Luiz Albuquerque

O Núcleo de Estudos sobre Cooperação e Conflitos Internacionais (NECCINT) da Universidade Federal de Ouro Preto em parceria com as Faculdades Milton Campos, sob a coordenação do professor Luiz Albuquerque, criou o Observatório de Relações Internacionais para servir como banco de dados e plataforma de pesquisas sobre relações internacionais e direito internacional . O site alimenta nosso trabalho de análise de conjunturas, instrumentaliza nossas pesquisas acadêmicas e disponibiliza material para capacitação profissional. Mas, além de nos servir como ferramenta de trabalho, este site também contribui para a democratização da informação e a promoção do debate acadêmico via internet.

3 respostas em “Pope Francis: The 10 Climate Commandments [RAP NEWS 33]

  1. A visão do vídeo “Papa Francisco: os dez mandamentos do clima” é traduzida em um rap e demonstras as diversas teses sobre as mudanças climáticas e de que forma as opiniões, da Igreja Católica por exemplo, interferem naquilo que a sociedade pensa. A utilização do Papa Francisco foi muito inteligente na minha perspectiva, pois é uma figura mundial que está presente na mídia constantemente e tem provocado os arcaicos valores da instituição Católica.
    O rap nos leva a refletir sobre a dominação, seja de qualquer religião, crença ou ideologia, sobre aquilo que acreditamos e julgamos como correto. No que tange o meio ambiente e o clima, até a religião tem algo a falar e opinar. Será que essa posição é verdadeiramente válida? ou ainda, a aquilo que acreditamos pode ser comparado o fato verídico?
    Na explanação dessa temática, pode-se envolver as teorias das Relações Internacionais. Cada uma atuou e foi devidamente importante no momento histórico em que surgiu, isso quer dizer não existe uma ideia certa ou mais válida. Mas sim, proposições que de todo jeito influenciaram e até hoje determinam posicionamentos acerca das RI.
    Logo, o vídeo que envolve a questão climática é uma crítica a interposição de uma única corrente na mente dos indivíduos. Não necessariamente aquilo que uma idealização defende é o correto. Ainda mais, existe certo ou errado? Penso que existe aquilo que cada um quer acreditar e determinar como justo.

  2. A crítica bem humorada feita pelos autores tem meu apoio total. Na realidade a hipocrisia por detrás dos discursos políticos é algo que com frequência enseja iniciativas como essa. O fato é que o Papa, como todo líder religioso, tem pouco a ver com as declarações que emite. Ao mesmo tempo que dizer que o aquecimento global é uma verdade e que nós precisamos nos preocupar com clima é politicamente sustentável, não é certo pensar que apoiar o aborto também o seja dentro de uma instituição com os dogmas da igreja católica. Na realidade o que ocorre é que aqueles queles que ocupam posições políticas tentam agradar ao maior número possível de pessoas, gregos ou troianos, e acabam se contradizendo nesse intento. Dito isso, pessoalmente não acredito que uma cooperação internacional para determinar medidas eficazes para o reequilíbrio climático seja possível nesse momento. Os interesses políticos e econômicos falarão mais alto. A situação só esboçará mudança depois de ainda ter piorado muito. O que pode ocorrer, e de fato acorre, são intervenções políticas menores, que resultam em resultados bem menos expressivos. É o que a politica atual pede e o que a economia pode dar.

  3. A Santa Sé é reconhecida como um sujeito de DIP. Consiste em uma monarquia extremamente ´´suis generis´´ em que o monarca ,o Papa, vai ser eleito pelo corpo de cardeais,para um trono não hereditário apesar absolutista. O território foi obtido através do tratado de Latrao feito por Mussolini em que a Itália concedeu o território do vaticano mais uma grande indenização em troca do reconhecimento da existência do estado italiano e a neutralidade da Santa Sé em conflitos. Dessa forma foi criada esse estado tão inédito e que hoje tem no Papa a junção de duas funções: rei do estado e chefe da igreja. Sua influencia ate hoje é poderosa e tem alcance mundial e por esse motivo seu apoio à luta contra a depredação do meio ambiente e o aquecimento global consiste em um marco importantíssimo que dará força a ela. Entretanto a igreja católica tem uma historia milenar e essa prova que essa organização constantemente atuou de forma bastante oportunista e dominadora. Instituições mudam, valores são assimilados e o mundo se transforma. Garantir que a nova bula papal sobre o meio ambiente é só mais um ato politico seria injusto, com certeza existem boas intenções no documento, mas não é possível também afirmar que seria um ato sem interesses por trás.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s