Joseph Stiglitz: A ‘Grexit’ Would Be Very Serious for Europe


Esse post foi publicado em Relações Internacionais e marcado , , , , , , por Luiz Albuquerque. Guardar link permanente.

Sobre Luiz Albuquerque

O Núcleo de Estudos sobre Cooperação e Conflitos Internacionais (NECCINT) da Universidade Federal de Ouro Preto em parceria com as Faculdades Milton Campos, sob a coordenação do professor Luiz Albuquerque, criou o Observatório de Relações Internacionais para servir como banco de dados e plataforma de pesquisas sobre relações internacionais e direito internacional . O site alimenta nosso trabalho de análise de conjunturas, instrumentaliza nossas pesquisas acadêmicas e disponibiliza material para capacitação profissional. Mas, além de nos servir como ferramenta de trabalho, este site também contribui para a democratização da informação e a promoção do debate acadêmico via internet.

2 respostas em “Joseph Stiglitz: A ‘Grexit’ Would Be Very Serious for Europe

  1. A Grécia passa por um momento no qual é questionada sua saída da zona do euro. Isso se deve à crise financeira e ao vencimento da dívida que ocorreu dia 28/06/15. Como a Grécia não tinha meios para quitá-la, os bancos foram fechados causando grande comoção popular.
    A prática da austeridade ministrado pela troika(Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) é muito criticada por economistas renomados como Joseph Stiglitz, ganhador do Nobel em 2001, já que acredita que se essas práticas fossem realmente eficazes, a Grécia já teria superado o déficit.
    Stiglitz alude que, de qualquer forma será muito difícil reverter a situação grega, mas que o melhor para a Grécia é votar contra no referendo grego rejeitando os termos da troika, uma vez que esta está propondo austeridade sem fim, mesmo quando cortes já foram realizados e impostos criados, diminuindo direitos sociais. Para ele, a Grécia pode ser capaz de superar esse caos financeiro não cedendo ao pacote de medidas da troika.
    Tainá Dias Couto

  2. A crise na Grécia, resultado do fato de o País ter gastado mais do que podia na última década, recorrendo a elevados empréstimos e deixando sua economia refém de uma crescente dívida. Teme-se que os problemas da Grécia nos mercados financeiros internacionais provoquem um efeito dominó, derrubando outros membros da zona do euro cujas economias estão enfraquecidas
    O economista Joseph Stiglitz afirma que a Europa enfrentaria um grave problema, caso a Grécia deixar a moeda única. Um cenário que acredita ser muito possível, se a Alemanha e o outros membros do bloco recusem alterar o programa de ajustamento da Grécia. Para o economista, a Europa pode passar por uma grande fase de baixa inflação, como ocorreu no Japão.
    Ao deixar a moeda comum, o país poderia permitir a desvalorização de sua moeda e, assim, melhorar sua competitividade.
    Mas isso também causaria grandes rupturas nos mercados financeiros, provocando o medo entre os investidores de que outros países adotassem a mesma estratégia, potencialmente levando ao fim da união monetária. Mas a União Europeia já demonstrou que quer manter a zona do euro unida e descartou a ideia de que países iriam abandonar a moeda.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s