CrossTalk: NATO vs Russia


Publicado em 15 de jun de 2015

Esse post foi publicado em Relações Internacionais e marcado , , , , por Luiz Albuquerque. Guardar link permanente.

Sobre Luiz Albuquerque

O Núcleo de Estudos sobre Cooperação e Conflitos Internacionais (NECCINT) da Universidade Federal de Ouro Preto em parceria com as Faculdades Milton Campos, sob a coordenação do professor Luiz Albuquerque, criou o Observatório de Relações Internacionais para servir como banco de dados e plataforma de pesquisas sobre relações internacionais e direito internacional . O site alimenta nosso trabalho de análise de conjunturas, instrumentaliza nossas pesquisas acadêmicas e disponibiliza material para capacitação profissional. Mas, além de nos servir como ferramenta de trabalho, este site também contribui para a democratização da informação e a promoção do debate acadêmico via internet.

Uma resposta em “CrossTalk: NATO vs Russia

  1. Um fator interessante é a data em que os Estados Unidos passou a se importar com a questão Russa. Pra mim ficou muito claro o interesse dos EUA(OTAN) em neutralizar as ligações Alemanha-Russia e Japão-China, ficando com os poderosos Alemanha e Japão do seu lado, explicando:

    Os EUA tomaram da Grã-Bretanha o dom geopolítico de dominar os mares, com infinitos porta aviões defendendo o “livre comércio”, como manda o “American Dream” nas águas. Porta aviões que poderiam se virar facilmente contra a China, iniciar outra guerra do petróleo e obrigar a Russia a se rebaixar.

    Tudo ia muito bem, até que Pequin lançou o plano que finalmente concretizaria a Eurásia, trazer pra terra a fortuna dos fretes, hoje feitos pelos mares. Uma rede de trilhos de alta velocidade e todos deixam de depender da “defesa” americana e fortalecem ainda mais os laços comerciais destes países.

    De repente instala-se uma demonização desenfreada pela Rússia, Putin vira o Bad Boy, e a OTAN começa uma segunda guerra fria que mais uma vez ficará por isso mesmo.

    Se o impensável acontece e estoura uma guerra entre Rússia e OTAN na Ucrânia. É certo que a Rússia destruiria estas tropas e aí os EUA teriam duas opções, aceitar a derrota e tudo continua no mesmo ou iniciar uma inimaginável guerra nuclear.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s