Autor de livros de Comércio Exterior lança romance histórico sobre a saga dos tropeiros no Brasil


Convite Zeca (2)

Depois de lançar livros que vão da teoria à prática do comércio exterior, passando desde a complexidade da relações internacionais até as tecnicalidades do desembaraço aduaneiro e do Incoterms, o professor Cláudio Luiz Gonçalves de Souza se dedicou a um romance histórico sobre a saga dos tropeiros e do movimento tropeirismo no Brasil e, particularmente em Minas Gerais. Mesmo com a liberdade da literatura, o autor não se afasta de sua paixão pelo comércio, e aborda o papel fundamental que os tropeiros tiveram  para o desenvolvimento econômico e social  de Minas Gerais e do Brasil, com o movimento das suas tropas de muares ao transportar riquezas, bens, mercadorias e correspondências (informações) por todos os cantos e rincões desse nosso país.

E para os  profissionais e estudantes do Direito, Comércio Exterior e Relações Internacionais, fica a dica dos outros livros do  professor Cláudio Luiz Gonçalves de Souza:

livro1livro2

livro3livro4livro5

Esse post foi publicado em Relações Internacionais e marcado , , , por Luiz Albuquerque. Guardar link permanente.

Sobre Luiz Albuquerque

O Núcleo de Estudos sobre Cooperação e Conflitos Internacionais (NECCINT) da Universidade Federal de Ouro Preto em parceria com as Faculdades Milton Campos, sob a coordenação do professor Luiz Albuquerque, criou o Observatório de Relações Internacionais para servir como banco de dados e plataforma de pesquisas sobre relações internacionais e direito internacional . O site alimenta nosso trabalho de análise de conjunturas, instrumentaliza nossas pesquisas acadêmicas e disponibiliza material para capacitação profissional. Mas, além de nos servir como ferramenta de trabalho, este site também contribui para a democratização da informação e a promoção do debate acadêmico via internet.

3 respostas em “Autor de livros de Comércio Exterior lança romance histórico sobre a saga dos tropeiros no Brasil

  1. Fantastico a exploraçao do tema, tanto para o direito exteror relacionado ao comercio, quanto para nós mineiros que fomos o berço dos tropeiros.
    Interessei pelo livro pois tenho muito intersse pelo tema.
    Sabemos que foi No final do século XVII, por volta de 1695, nas proximidades do Rio das Velhas, onde hoje se situam os municípios de Sabará e Caeté, que bandeirantes paulistas encontraram as primeiras jazidas significativas de ouro em território brasileiro. Durante os quarenta anos seguintes (1695 a 1735), grandes quantidades desse metal precioso podiam ser encontradas em abundância no solo da então principiante Capitania de Minas Gerais e, ainda, nas regiões da Bahia, Mato Grosso e Goiás.
    O ouro provocou uma grande corrida migratória para aquelas localidades, durante os primeiros sessenta anos do século XVIII (1701 a 1761), chegaram para as regiões das minas cerca de 600 mil pessoas vindas de Portugal e das ilhas do atlântico. Todas riquezas eram traspprtadas pelo herois tropeiros que deixaram sua saga de sangue e gloria de um passado muito presente em cada canto de ouro preto.
    Parabéns pela iniciativa.

  2. Interessante a iniciativa, na medida em que valoriza um movimento típico brasileiro e gerador de importantes consequências econômicas. A palavra “tropeiro” deriva de tropa, numa referência ao conjunto de homens que transportavam gado e mercadoria no Brasil colônia e que muito contribuíram para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

    O Tropeiro, apesar de presente no século XIX, ao quebrar a tradicional lógica da época, difundindo a cultura brasileira e agindo autonomamente, mesmo num período em que praticamente todos os negócios de alguma forma eram “regulados”, contribuiu bastante para o crescimento brasileiro: grande parte do desenvolvimento do interior só foi possível graças a esse ousado empreendimento mercantil, que constituiu cidades, atraiu povos e gentes, consolidando a expansão demográfica e espacial do Brasil.

    Sendo assim, digna de aplausos o lançamento da obra que trata de um assunto fundamental para o desenvolvimento do Brasil, relacionando a temática do comércio e expansão econômica com a manifestação artística literária.

  3. É muito bom ver que autores Brasileiros tem ainda o impeto de passar suas ideias, através da literatura romântica, de forma a valorizar os fatos de um acontecimento tao importante para a historia de nosso país.

    Descrever esse roteiro de logística da época por meio de um romance é evidenciar todos os fatores técnicos, culturais e tradicionais que existiram durante o caminho trilhado pelos brasileiros que sustentaram a base da nossa economia colonial.

    Hoje em dia, talvez seja até difícil imaginar ou ter em mente a participação dos tropeiros na economia e na história do Brasil. Porem, numa época de dificuldades, com a colônia abandonada, foram eles quem desbravaram as fronteiras e abriram espaço para o povoamento do interior do país, mormente na época da efervescência do ciclo do ouro. Com base nessa linha de raciocínio é que o autor escreve um interessantíssimo romance de ficção que conta a saga do “Zeca Tropeiro” em suas atividades no tropeirismo, suas dificuldades e seus dramas já na fase do Brasil Império.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s