Investigação nos EUA ameaça arranhar imagem da Petrobras no exterior


Já abalada pela Operação Lava Jato, estatal é alvo agora das autoridades americanas. Segundo especialistas, caso pode espantar investidores, prejudicar suas ações na Bolsa de NY e ter impacto negativo na imagem do país.

Depois de começar a ser investigada pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, a Petrobras agora é alvo das autoridades americanas sobre sua conduta nos Estados Unidos. As apurações devem, mais uma vez, causar mais danos à imagem da estatal brasileira, que também negocia suas ações na Bolsa de Nova York.

Segundo o jornal britânico Financial Times em matéria publicada no domingo (09/11), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal contra a estatal. Já a Securities Exchange Commission (SEC) – órgão que regula o mercado de capitais nos EUA e equivalente no Brasil à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – vai iniciar uma investigação civil contra funcionários da empresa.

“A investigação afeta, e muito, a imagem da Petrobras, pois transmite ao mercado a imagem de que a ela está sujeita, por exemplo, a influências políticas, o que não se pode admitir para uma empresa com ações negociadas em bolsa”, afirma o advogado Eduardo Boccuzzi.

Segundo Boccuzzi, especialista em fusões, aquisições e mercado de capitais, as ações da empresa já perderam 23% em valor neste ano na Bolsa de Valores de Nova York. E os escândalos, afirma, espantam investidores, que vendem papéis da estatal para adquirir os de outras empresas.

A investigação do escândalo, de acordo com Boccuzzi, pode ter ainda uma influência negativa sobre a imagem do país e dificultar o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais americano.

“Em geral, investidores estrangeiros vão se sentir temerários em investir em empresas nacionais, principalmente estatais, que queiram emitir valores mobiliários em bolsas no exterior”, diz Boccuzzi.

Para o professor de direito comercial Alexandre Bueno Cateb, do Ibmec/MG, dependendo do grau de apuração e profundidade da investigação, existe o risco até mesmo de a Petrobras sofrer restrições de captar recursos no exterior. E, num cenário ainda pior, ela poderia ser impedida de continuar a negociar ações na Bolsa de Nova York.

“As autoridades americanas querem manter a credibilidade do mercado de ações dos EUA”, diz Bueno Cateb. “E como a Petrobras está envolvida em situações nebulosas, eles querem saber o que está acontecendo, se alguém está usando informações privilegiadas e se beneficiando dos negócios que a Petrobras realiza.”

Nesta segunda-feira, o vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou a investigação dos EUA sobre suspeitas de desvio de recursos na Petrobras. Ele disse que, se os EUA abriram a investigação, eles devem dar continuação “como o Brasil está fazendo”. “A expressão doa a quem doer é muito correta em relação às investigações que já estão sendo feitas pelo governo federal”, disse Temer.

Executivos e empresa sob risco

As investigações do Departamento de Justiça e da SEC estão centradas na possibilidade de a estatal ou funcionários dela terem recebido propina ou terem violado o Foreign Corrupt Practices Act (FCPA) – a lei anticorrupção dos EUA.

Pela legislação, executivos e funcionários da empresa podem ser presos, e a companhia e seus empregados podem ter que pagar multa. Na lei, o valor não é estipulado, mas, segundo especialistas, pode ser alto.

A FCPA pune empresas americanas que subornam funcionários públicos de outros países, mas a legislação também é aplicada para empresas estrangeiras que têm ações listadas em bolsas de valores nos EUA. Pelo fato de a Petrobras negociar ações em Nova York, a empresa está sujeita à legislação americana.

“O mercado de capitais só funciona se existir credibilidade para atrair investidores interessados em investir de forma saudável”, diz Bueno Cateb. “O mercado que não tem a devida credibilidade passa a ser totalmente especulativo. As empresas precisam atrair investimentos a longo prazo para permitir a criação de riqueza, empregos e renda no país.”

No Brasil, a estatal é investigada após a denúncia de um suposto esquema de corrupção feitas por seu ex-diretor Paulo Roberto Costa e pelo doleiro Alberto Yousseff. Eles foram presos em março deste ano durante a Operação Lava Jato, que apura um esquema de lavagem de dinheiro em que políticos receberiam propina em contratos da estatal.

Entre os contratos da Petrobras, está a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), que teria servido para abastecer o caixa dois de partidos e pagar propina. Num negócio suspeito de superfaturamento e evasão de divisas, a compra da texana custou 1,18 bilhão de dólares, mais de 27 vezes o valor desembolsado anteriormente pela belga Astra Oil.

Procuradas pela DW Brasil, a Petrobras e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos não se manifestaram até o fechamento da reportagem. Já a Securities Exchange Commission (SEC) disse que não faria comentários sobre o tema.

Fonte: http://www.dw.de/investigação-nos-eua-ameaça-arranhar-imagem-da-petrobras-no-exterior/a-18057422

Matheus Luiz Puppe Magalhaes

88 respostas em “Investigação nos EUA ameaça arranhar imagem da Petrobras no exterior

  1. O texto enfoca o processo investigativo aberto pelas autoridades americana contra as ações desenvolvidas pelos administradores da Petrobras. Os órgãos americanos possuem normas rígidas de comportamento negocial de todas as empresas que tem ações negociadas em sua bolsa de valor. Dentre estas normas enfocam principalmente informações privilegiadas, corrupção e balanços manipulados ou adulterados. Todas essas empresas tem uma cotação feita por empresas avaliadoras de risco, sendo que os juros para financiar suas atividades está diretamente relacionada a este grau de risco, logo nesse processo investigativo em comprovado qualquer ato ilícito a empresa poderá perder o seu grau de risco, aumentando com isso o juro pago podendo vir mesmo a entrar em uma situação de insolvência. Diferentemente do que ocorre no Brasil, em que os processos investigativos desenvolvido principalmente na Câmara e Senado Federal, que tem cunho político as autoridades americanas são extremamente rígidas, rápidas e eficazes e que apesar de poder haver perda financeira para a empresa podemos esperar um benefício marginal que seria a moralização administrativa desta.

    • Estamos nos referindo ao Brasil, e como todos já sabem, a corrupção é um mar de maravilhas por aqui, não sei porque.Mas acho que tudo isso inicia pela passividade do povo Brasileiro em querer ir trabalhar, 08:00hs as 18:00hs, receber o salário, e torcer pra chegar o final de semana pra curtir aquele futebol e aquela cerveja gelada. Esse é o típico perfil Brasileiro que não está nem ae para o que acontece no Brasil. Mas neste ponto temos uma potência na contra-mão, e o buraco começa a ficar mais apertado para nossa Nação, afinal, os EUA sendo prejudicados por uma política de roubalheira é a mesma coisa de tentar assaltar um banco com um revolver de brinquedo. A Petrobrás está no seu pior momento de sua vida talvez. A Petrobras sofre processos movidos por investidores no Brasil e nos Estados Unidos. Aqui, a ação é contra o presidente e os membros do conselho de administração da empresa à época das denúncias, que respondem com seu patrimônio pessoal. Nos EUA, a Petrobras tem processo movido pela Prefeitura de Providence, capital do Estado de Rhode lsland, e também sofre outras três ações coletivas iniciadas por fundos de investimentos e grupos de investidores. Desse jeito precisamos que com estes acontecimentos esta empresa tome rumo na vida e se estabeleça no mercado com políticas de desenvolvimento mais sérias que somente conseguirão exito se administrada por pessoas que realmente pretendem cumprir com o objeto social da companhia de forma proba e honesta.

      • Todos nós já sabemos que quando nos referimos ao Brasil, quanto a pratica de suas políticas, governança e estrutura política nos deparamos sempre com uma “sujeira” sem fim. A corrupção, infezlimente, já tomou conta do nosso cenário político e isso já não é surpresa para ninguém. Percebe-se que o povo brasileiro já abriu mão de seus direitos e deixam os governantes do país fazer o que bem entendem, ou seja, roubar escandalosamente, como se evidencia no caso da operação lava-jato que desmascarou a corrupção por trás da Petrobras.
        A Petrobras esta na pior das suas fases, vez que foi através dela que se pode constatar tamanhas roubalheiras por parte do governo juntamente com as diversas construtoras que causaram um buraco sem fundo na economia do país.
        Evidencia ainda, que os EUA se vê prejudicado com tamanha evasão econômica , vindo a estabelecer também processos contra a Petrobras alem dos que já existem nacionalmente. Quanto aos EUA, a Petrobras tem processo ajuizado pela Prefeitura de Providence, capital do Estado de Rhode lsland, e também sofre outras três ações coletivas iniciadas por fundos de investimentos e grupos de investidores. Portanto, dessa forma, notória a percepção de que precisamos através destes acontecimentos que esta empresa tome rumo na vida e se estabeleça no mercado com políticas de desenvolvimento mais sérias que somente conseguirão surgir efeitos positivos se controlada por pessoas que realmente pretendem cumprir com o objeto social da companhia honestamente.

    • A maior estatal do país, Petrobras, fez parte da maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve, estimando-se bilhões de reais. Se trata de um imenso esquema criminoso, que durou pelo menos dez anos, no qual grandes empreiteiras organizadas em cartel pagavam propina para altos executivos e agentes públicos, que era distribuída por meio de operadores financeiros do esquema. Esse caso teve repercussão internacional e causou inúmeros e irreparáveis danos à imagem da Petrobras e em suas ações, que caíram drasticamente. Como se não bastasse, a estatal agora é investigada pelas autoridades dos Estados Unidos e pelo Securities Exchange Commission (SEC). As ações continuam perdendo valor e os escândalos espantam cada vez mais investidores, além de afetar negativamente a imagem do Brasil. A credibilidade e reputação são extremamente importantes no mercado de capitais, que funciona com base nos investimentos, gerando riqueza, empregos e renda. A imagem do Brasil não está das melhores e as consequências podem ser desastrosas para nossa economia.
      Apesar dos pesares, todas essa investigações são importantes para mostrar que nem toda corrupção sai impune.
      Na minha opinião, uma solução seria retirar os atuais gestores da Petrobras, trocando por pessoas que saibam lidar com crises e que não tenham interesses políticos.

  2. É com certeza um golpe duro na credibilidade internacional já profundamente abalada da empresa, a princípio. A Petrobras, com seus inúmeros escândalos de corrupção vindo à tona, foi destaque nas campanhas presidenciais de 2014, o ponto principal do baixíssimo nível dos debates e das propagandas. O oportuno – para um dos lados, diga-se de passagem – vazamento de depoimentos às vésperas do segundo turno da eleição presidencial sepultou a credibilidade da empresa diante do povo brasileiro, num momento em que todas as atenções estavam voltadas justamente para a Operação Lava Jato. No entanto, como de costume nos grandes escândalos de corrupção, as investigações sobre o esquema ainda estão muito vagas. Como funciona/funcionava? Quem foi responsável? Quando começou? Quanto foi desviado? Estas perguntas, entre outras, ainda estão sem resposta, apesar do circo formado em torno da operação da Polícia Federal pelo ano eleitoral contribuir para a sociedade escolher seus mocinhos e seus vilões no caso, como se tudo já estivesse devidamente explicado.
    Apesar do baque inicial no nome da Petrobras, a entrada das autoridades norte-americanas na questão pode representar uma evolução significante no árduo trabalho de moralizar a empresa. Não que sejam mais competentes do que a Polícia Federal brasileira, longe disso. Mas podemos esperar pelo menos que o caso analisado por autoridades estrangeiras esteja completamente isento de interesses políticos e longe da pressão da sociedade inflamada por disputas ideológicas.

  3. A maior empresa brasileira,a PETROBRAS,alvo de escandalos de corrupção,perde sua crédibilidade ao passar por essas investigações e constatações de fraudes.A operação Lava Jato cada vez se amplia e engloba desde funcionários até políticos envolvidos em escandalos.A Petrobras, com seus 86.000 funcionários, não é uma empresa qualquer: refina 98% da gasolina consumida no Brasil, mantêm negócios com quase 20.000 empresas que lhe fornecem todos os tipos de produtos e serviços, e é ela própria responsável por um décimo de todos os investimentos feitos no Brasil. Por isso o Governo, nocauteado pela crise, teme não só a repercussão política do caso (há acusações ainda não confirmadas de financiamento ilegal de partidos, entre os quais PT e PSDB)

  4. A Petrobras, empresa que era sinonimo de orgulho nacional, tem sua imagem arranhada pela falta de escrúpulos de um sistema visivelmente corrompido e vendido aos interesses políticos.
    Somente seriedade e compromisso podem recuperar a imagem de prestigio dessa gigante petrolífera. A situação não está perdida, mas requer esforço para minimizar e, eventualmente, ate mesmo reparar os danos sofridos.
    É impossível não pensar em Hobbes que há muito tempo nos alertou que o ser humano é naturalmente egoísta e fará de tudo para acumular poder. É preciso que esse tipo de conduta seja investigado e que os responsáveis sejam exemplarmente punidos pelo Estado.
    Ainda que os Estados Unidos tenha interesse em conduzir uma investigação, é fundamental que limites sejam estabelecidos para não comprometer a soberania nacional e o Brasil não fique com imagem de incompetente no exterior.

  5. A Petrobras é uma empresa símbolo do Brasil conhecida mundialmente. Recentemente os escândalos desta empresa têm gerado no país instabilidade tanto na área política como econômica.
    Vieram à tona várias fraudes nos contratos firmados com a petrolífera e outras irregularidades, descobrindo-se que já há muito tempo um forte esquema de pagamento de propina existia. Estão envolvidos políticos tanto aliados do governo como oposição, empresários, funcionários e tantos outros.
    Como já era de se esperar, o escândalo da Petrobras tem repercutido fora do Brasil e um dos países em que isso tem ocorrido é nos Estados Unidos da América. A Petrobras é uma grande empresa, tanto que tem ações em uma dos mercados de ações mais famosos do mundo que é o norte americano, e não há como imaginar que tamanha corrupção existente dentro da petrolífera não afetará o número de investidores.
    As turbulências enfrentadas pelo Petrobras geram desconfiança e minam com a credibilidade que a imagem da empresa possui no exterior, tendo até Dezembro pelo menos quatro ações contra a petrolífera nos Estados Unidos da América.
    A imagem da Petrobras de uma empresa forte, símbolo de riqueza tem dado lugar a escândalos e baixarias, logo, não se deve esperar nada diferente do que uma visão denegrida no exterior que afeta não somente a empresa, mas também o Brasil.

    • Por mais que ainda se encontre em fase de investigação, as suspeitas de desvios de verbas e corrupção na Petrobras visando a compra de apoio político, o financiamento de candidaturas e o enriquecimento ilícito de seus administradores, políticos e empresários, já geram desastrosos efeitos para a economia do brasileira e da própria petrolífera.
      A má administração e as fundadas suspeitas que levaram à Operação Lava Jato fizeram com que as ações da companhia despencassem não só na Bovespa, como também na bolsa de valores de NY. Contudo, ao contrário do que se esperava, até a data da presente notícia, foi a SEC, e não a CVM quem tomou a iniciativa de apurar o ocorrido na administração da estatal. É sabido que, no que se refere a jurisdição penal, os EUA não podem ser considerados exemplo para o mundo. No entanto, em se tratando de matéria comercial e também em investigação e aplicação de sanções na área, uma lição pode ser aprendida com os americanos. É o que se verifica no presente caso, em que se espera, de alguma forma, que as investigações de um órgão do mercado de capitais americano possam ajudar a esclarecer o ocorrido na petrolífera não só para a jurisdição norte-americana, como para a brasileira também.
      Realmente, a maior empresa brasileira se encontra em uma cadeia negativa, em que sólidas suspeitas e má administração levam a uma queda do preço das ações, que por sua vez acarreta na falta de investidores. A situação ainda pode ser agravada se a Petrobras sofrer restrições para captar recursos no exterior e ser impedida de negociar suas ações na bolsa de NY.

  6. Não se imaginava que a Petrobrás, a maior empresa do Brasil e da America Latina, gestora pública do ativo (petróleo) visto pelo Governo de Dilma Rousseff como “o passaporte do futuro” do gigante sul-americano, não se vê implicada no panorama judicial. Tudo isso, devido a um sistema vendido a políticos corruptos. O que vem afetando bastante o mandato da Presidente, tanto economicamente como politicamente.
    Desde que Dilma Rousseff assumiu o mandato, no dia 1 de janeiro de 2011, o valor das ações da Petrobras desce em um ritmo constante. Alem disso, a estatal é alvo de, pelo menos, cinco investigações que envolvem recebimento de proprina e superfaturamento.
    O que o governo pode fazer para melhorar a Petrobrás é: trocar os gestores por executivos de alto renome, sem ligação politica e especializados em crise de gestão, pois escolher um executivo que tem profundas ligações com o governo para presidir a Petrobrás representa uma aposta no continuísmo na gestão da empresa, que parece que prosseguirá sendo gerida por um grupo de apadrinhados políticos. Trabalho de transparência através da imprensa, com a divulgação de dados e trabalho de branding interno.

    Laura Rocha – 401 diurno.

  7. Independente da atual investigação instaurada nos EUA, a imagem da Petrobras, uma das maiores empresas brasileiras, já foi prejudicada no cenário internacional em decorrência da operação lava jato e a comprovação de que houve corrupção por parte de alguns integrantes da empresa. A prisão do doleiro Alberto Youssef e, do ex diretor de abastecimento, Paulo Roberto Costa são consequência de tais investigações.
    Para compreender melhor o quão é prejudicial ao Brasil a perda de credibilidade da estatal, vale lembrar qual é o seu tipo societário. Por ser configurada como uma sociedade anônima, o seu capital é formado por ações, ou seja, precisa que os investidores acreditem na empresa e, consequentemente, invistam nela. Infelizmente, o que vem acontecendo, é a perda de confiança por parte desses investidores que estão vendendo suas ações a preços muito inferiores. Esse cenário, cada vez mais comum, trás prejuízos inestimáveis ao país como um todo. A demissão de trabalhadores se torna cada vez mais frequente, uma vez que a empresa não tem capital suficiente para mantê-los e precisa cortar gastos. Mais além, o Brasil passa a atrair cada vez menos investidores de outros países, que preferem não se arriscar diante da crise.
    Apesar do Brasil prever em sua legislação formas coibir tais praticas e inclusive punir aqueles que a exercem, os brasileiro ainda são descrentes na justiça do nosso pais. O sentimento de impunidade é, portanto, uma realidade. Os americanos, por sua vez, acreditam na eficiência das suas leis e têm o direito de investigar a Petrobras, visto que existe negociação das ações da mesma na bolsa de valores de NY.
    Em suma, acredito que o possível e previsível resultado dessas investigações pode prejudicar ainda mais a imagem no Brasil no exterior e agravar a crise do país. Mas, situações como essas se tornam inevitáveis diante de tamanha corrupção.

    • A maior empresa estatal do país é reconhecida internacionalmente pela sua força e importância no mercado petrolífero, tendo suas ações cotadas em bolsa de valores. Investidores das mais diversas características apostaram na Petrobras, acreditando no seu potencial de crescimento, mas infelizmente o que vem acontecendo é a desvalorização contínua de ações da empresa, devido aos escândalos de corrupção e a falta de segurança que a empresa passa aos investidores.
      A Foreign Corrupt Practices Act (FCPA), nos Estados Unidos está investigando a Petrobras por ter as suas ações cotadas na bolsa de NY e, consequentemente, estar influenciando o mercado americano e internacional. É bastante razoável que isso aconteça, uma vez que uma empresa com essas devidas proporções tem total responsabilidade sobre atos praticados em seu nome, e caso algum Diretor ou outa pessoa de cargo de confiança tenha agido ilicitamente, deverá ser punido.
      Este ano de 2015 será decisivo para que a Petrobras e o Governo Brasileiro voltem a ter credibilidade no cenário internacional. As investigações sobre a operação lava-jato na empresa estatal estão, cada vez mais, esclarecendo quem foram os envolvidos nesses atos de corrupção. No término dessa etapa, será de suma importância que o Superior Tribunal Federal julgue de forma lúcida e apartidária tais investigações. Dessa forma, ficará claro para o mundo e para toda a sociedade brasileira que a Petrobras e todas as outras empresas estatais estão sujeitas à fiscalização e qualquer ato ilícito praticado seja por funcionários dessas empresas, seja por políticos e “lobistas” deverão ser penalizados.

  8. O aparelhamento e sucateamento da maior empresa do Brasil é patológico e cada dia mais se mostra arraigado na estrutura administrativa da estatal.
    Com os depoimentos da Operação Lava Jato, ficou clara a sistematização da corrução, que deixou de ser exceção para ser modus operandi nas transações realizadas à partir de 2003.
    Além de todo o prejuízo econômico que tais fatos trazem à empresa e ao país como um todo, refletindo diretamente na vida do cidadão comum, talvez o maior problema que se apresenta é a crise de moral que todo o país enfrenta, gerando um grande impacto na confiança no mercado brasileiro.
    Perda de investimentos, mercado mais flutuante, moeda em queda vertical, são alguns dos sintomas mais claros e imediatos da crise, mas não são os únicos.
    A instabilidade política extemece também as relações diplomáticas, ao ponto que fica complicado se relacionar com um país que tem em seu governo uma máquina de corrupção que trabalha o tempo todo em seu próprio interesse. É passada a hora de serem tomadas medidas drásticas para recuperar a confiança na economia brasileira, pois senão, iremos de mal à pior.

    Flávio de Oliveira Zica

  9. Raquel de Freitas Lopes (17698) - Direito Internacional Econômico/FDMC em disse:

    É triste ver como a estrutura econômica de uma grande estatal está ruindo, e trazendo com ela a possibilidade de ruir a economia de um país que há muito tempo, economicamente, tem a mesma como referência.
    As punições que se advenham da corrupção instalada na Petrobras, não podem ser confundidas, como se estas fossem o real problema, pois são apenas consequências de um problema social, cultural, econômico e político que é a corrupção no Brasil. Infelizmente com tantos escândalos, tanto desvio da dinheiro e com novas descobertas de desvios que até hoje nos surpreendem, já temos um cenário instável e comprometido com as consequências inevitáveis da corrupção.
    A investigação Lava Jato e a investigação norte americana devem acontecer para que a imagem da nossa economia não fique ainda mais prejudicada. Um país que pelo menos depois de exposto ao mundo com seus “podres” deixa que os corruptos e os corruptores sejam punidos. É claro, que todo esse discurso pode ser muito bonito, mas é evidente que tem um preço muito alto, e nós, enquanto população, cada dia mais sentimos isso na pele. Pois por ser uma estatal somos nós, todo o povo brasileiro, que no final das contas arcamos com o prejuízo.
    O mercado, por fim, também não ficará e nem tem ficado inerte a tal situação, e a perda de confiança dos investidores, a desvalorização da moeda e o encarecimento do custo de vida no Brasil são apenas uns dos sintomas dessa doença chamada corrupção.

  10. A imagem e credibilidade da maior estatal brasileira, a Petrobras, já está comprometida há vários anos, independentemente da investigação promovida pelos EUA. O governo Lula e, agora o de Dilma Rousseff, tratam a corrupção não como exceção, mas como regra do modo de operar as empresas e operações estatais do Brasil.
    Além de todo o prejuízo econômico que tais fatos trazem à empresa e ao país como um todo, refletindo diretamente na vida do cidadão comum, talvez o maior problema que se apresenta é a crise de moral que todo o país enfrenta, gerando um grande impacto na confiança no mercado brasileiro.
    Desde 2011, o primeiro ano do governo Dilma a Petrobras é alvo de recorrentes investigações, além disso, o valor de suas ações decresce em ritmo constante e preocupante.
    Realmente, a maior empresa brasileira se encontra em uma cadeia negativa, em que sólidas suspeitas e má administração levam a uma queda do preço das ações, que por sua vez acarreta na falta de investidores. A situação ainda pode ser agravada se a Petrobras sofrer restrições para captar recursos no exterior e ser impedida de negociar suas ações na bolsa.

  11. Pode-se perceber que o escândalo da Petrobrás afeta o Brasil e sua economia de maneiras mais amplas do que a imaginação pode alcançar, envolvendo também sua credibilidade no âmbito internacional. As investigações dos EUA consistem na averiguiação da estatal ou seus funcionários terem recebido propina ou terem violado o Foreign Corrupt Practices Act (FCPA), que consiste na lei anticorrupção dos EUA. De acordo com a legislação, executivos e funcionários da empresa podem ser presos, e a companhia e seus empregados podem ter que pagar multa. Na lei, o valor não é estipulado, mas, de acordo com especialistas, pode ser um valor alto. O mercado de capitais tem sua existência condicionada à credibilidade de atração aos investidores de forma saudável. O envolvimento da Petrobrás e todo o desvio envolvido desestimula os investidores em todos os lugares do mundo. A investigação por parte dos EUA agrava mais ainda a situação no plano internacional, tornando-se uma preocupação pior, já que as empresas precisam atrair investimentos a longo prazo para que se crie riqueza, empregos e renda no país, e a Petrobrás era uma das maiores fontes de riqueza do território brasileiro, não se sabendo se a situação retornará um dia ao que era antes.

  12. Como já era de se prever, este é o maior escândalo financeiro da história das estatais brasileiras. Escândalo este que causou impactos não só na economia do Brasil, mas também no cenário econômico internacional. Dessa forma, a punição vem de fora. A justiça americana já iniciou suas próprias investigações acerca das denúncias de corrupção na Petrobrás. Especialistas afirmam que as indenizações e multas aplicadas à Petrobrás serão extremamente altas, podendo superar o valor de casos emblemáticos, como o da Elétrica Enron.
    Em suma, a crise econômica que atinge o Brasil hoje, foi agravada sobremaneira pela corrupção da sua maior Estatal e maior produtora de Petróleo da América Latina. Os investimentos estrangeiros diminuíram drasticamente após as denúncias e as ameaças de sanções são recorrentes. Porém, em meio à crise econômica e política, os representantes do Governo Federal insistem em minimizar esta situação inédita, como se pode perceber pelo discurso do Vice-Presidente da República, Michel Temer, que afirma que: “A constituição Brasileira determina a autodeterminação dos povos. Se os Estados Unidos iniciaram uma investigação, devem continuar, como o Brasil está fazendo.

  13. Como se vê, o escândalo de corrupção na Petrobrás, não bastasse ter provocado impressionante impacto sobre a economia nacional e provocado tremenda indignação popular, agora, está ganhando também o cenário internacional. Negativamente, é claro. Isso porque, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal com vistas a apurar as suspeitas de corrupção e desvios de recursos da estatal em favor de políticos e funcionários públicos, haja vista que, possuindo a Petrobrás ações na Bolsa de Valores de Nova York, ela também está sujeita à legislação americana. Isso, sem dúvidas, afeta, ainda mais, a credibilidade e a imagem da empresa estatal, o que pode comprometer futuros investimentos estrangeiro. Obviamente, do ponto de vista econômico, as investigações realizadas pelos Estados Unidos da América tendem a trazer consequências nefastas não só para a estatal, como para o próprio Estado brasileiro haja vista que, em que pese as investigações americanas serem legítimas, a sensação é de que está havendo uma invasão na soberania do Brasil. Contudo, do ponto de vista social, em que há um enorme clamor por justiças, as investigações norte-americanos tendem a trazer resultados mais satisfatórios, vez que não estão vinculadas à juízos políticos, de modo que, caso conclua pela existência da corrupção, punirão os responsáveis adequadamente.

  14. A situação econômica brasileira está ficando cada dia mais delicada. Conforme publicação do jornal norte americano The New York Times o escândalo da Petrobrás pode ler o Brasil à recessão. Se de fato isso ocorre, não duvido – tendo em vista a política econômica ineficaz adotada pela presidente Dilma – , não haverão investidores estrangeiros interessados no Brasil. Tal informação, pode além de afastar possíveis investidores, pode manchar a imagem e reputação da Petrobrás. Alguns economistas acreditam que o corte de investimento na Petrobrás estagnaria a economia brasileira, seja pela não geração de empregos, ou pela possibilidade de não pagamento das empresas prestadoras de serviços, o que poderia acarretar falências em efeito cascata. A Petrobrás concentra 10% do total de investimentos produtivos do Brasil, assim, a contenção de seu potencial econômico desencadeou perdas em diversos setores da economia. A desconfiança dos investidores, em virtude das manchetes de corrupção, dos balanços financeiros incompletos publicados e dos relatórios contábeis em baixa, ensejou a queda das ações da Petrobrás, o que é vergonhoso para todos os brasileiros. Devido ao seu potencial econômico, a desvalorização da Petrobrás expressa não só uma quebra na produção de todo o país, mas um grande descaso dos nossos governantes com toda a população brasileira.

  15. Prof. Luiz Albuquerque,

    Venho aqui expressar a minha indignação ao saber que o Sr. obriga seus alunos a comentar em seu blog em troca de pontos na sua matéria.
    Simplesmente uma vergonnha.

  16. A Operação Lava Jato deflagrou um grande esquema de corrupção na estatal brasileira e chegou às manchetes internacionais. Nos EUA, investidores americanos objetivam reaver seus prejuízos em face da série de corrupções que, aliada a outros fatores, fez despencar o valor das ações da empresa. Enquanto a Petrobras produz comerciais falando em superação, a vida real parece ser um tanto quanto mais assustadora. As denúncias e as prisões continuam, muitos ex diretores e empreiteiros querem falar o que sabem e agora diversos políticos também estão oficialmente envolvidos. Entretanto, mesmo diante de tanta polêmica, não me parece crível que estrangeiros consigam reaver seu patrimônio perdido. Não foi apenas a corrupção que fez a empresa perder seu valor e, infelizmente para eles, tudo isso faz parte do jogo.

  17. Há tempos que a Petrobrás se tornou um simbolo de prosperidade e crescimento do Brasil porém, assim como o país, ela também entrou em uma decadência alarmante nos últimos tempos. Devido a anos de uma gerência de competência duvidosa e marcada por ser um cabide de empregos do governo que está no poder do país a maior companhia estatal brasileira traça um rumo difícil de ser revertido.
    Somando a má administração corrupta com a redução dos subsídios estatais, que eram repassados constantemente a empresa, e a recente baixa do preço do barril de petróleo a credibilidade do investidor interno e externo na Petrobrás caiu consideravelmente agravando ainda mais a crise, que é um reflexo de todo o cenário político do país

  18. “Eu fui informada de que havia, sim, pagamento de propina para empregado ou ex-empregado de Petrobras.” (FOSTER, 2014)

    A Petrobrás é um reflexo do governo brasileiro. O dirigente de ambos, deveria, de uma forma ou de outra, ser penalizado ante o seu dolo ou sua culpa estrito senso. Ora, um dirigente que toma conhecimento, ou teria meios para fazê-lo, e não age, é participe da situação.

    O Brasil vem vivendo o período da inocência (com o ‘eu não sabia’) em que pessoas que deveriam ser técnicas naquela função de governança, lançam mão da negligência para justificarem seus desmandos e leniência (e, por vezes, envolvimento) para com a manifestação da corrupção.

    A Petrobras que à cinco anos tinhas suas ações preferenciais cotadas a mais de R$35,00, hoje não batem a casa das dezenas. Lembremos que ao longo deste período tivemos, ainda, uma mega capitalização, que injetou R$120 bilhões de reais na empresa. Segundo dados da Economática (2015) a dívida desta mesma empresa capitalizada chega à soma de R$320 bilhões de reais. E ainda não foram apurados os valores pertinentes à corrupção.

    A Petrobrás está correndo contra o tempo para apresentar o balança do último trimestre de 2014 e, pela primeira vez, deverá constar os prejuízos apresentados com desvios de dinheiro e caixa dois. Pode ser apenas a metade do buraco.

  19. Tendo em vista as denúncias de corrupção reveladas nos desdobramentos da Operação Lava Jato, a Petrobras está sendo investigada pela SEC (Securities and Exchange Commission), regulador de mercados de capitais dos Estados Unidos. Tal empresa está sujeita à regulação norte americana já que negocia papeis na Nyse, a Bolsa de Nova York.
    Sabe-se que lei e o Poder Judiciário nos EUA são mais rígidos e fazem com que se tenha punições mais graves e economicamente maiores para as empresas do que no Brasil, logo se os americanos concluírem que houve desrespeito às leis de mercado e que isso causou prejuízo aos acionistas, poderão aplicar multas às empresas e também à Petrobras.
    Tal investigação, e o risco de uma posterior condenação, afetam negativamente a imagem do mercado de capitais brasileiros, sendo que, em decorrência da perda de sua credibilidade, inúmeros são os prejuízos suportados pela economia nacional e por milhares de investidores.

  20. O texto revela que as consequências das denuncias de corrupção na Petrobras extrapolam a competência das autoridades brasileiras, e trazem mais efeitos danosos a empresa do que se poderia inicialmente imaginar.

    Infelizmente todo esse processo será prejudicial ao país, já que tratam-se de denúncias relevantes relacionadas a uma das empresas mais relevantes do Brasil, e que era motivo de grande orgulho do governo nacional.

    A expectativa é que ocorra uma rigorosa investigação por parte do Ministério Público e da Polícia Federal e que os culpados sejam punidos pelos erros cometidos. Além disso é esperado que novas formas de combate preventivo a corrupção sejam desenvolvidas pela Petrobras, visando evitar que episódios como esse se repitam e que ao final sua credibilidade seja recuperada.

  21. O escândalo da Petrobras teve inicio em março do ano passado quando começou a operação Lava Jato que visava investigar ate então possíveis desvios de lavagem de dinheiro envolvendo os diretores da estatal, políticos e empreiteiras.
    O esquema de corrupção pode ter desviado bilhões de dólares, prejudicando assim a imagem da Petrobras que sempre foi vista como exemplo de prospecção e avanço tecnológico.
    A Petrobras vem sofrendo processos movidos por investidores no Brasil e nos Estados Unidos. No país, a ação é contra o presidente e os membros do conselho de administração da empresa. Nos EUA os processos de voltam para a a possibilidade de desvios e o recebimento de propinas, violando o Foreign Corrupt Practices Act (FCPA) – a lei anticorrupção dos EUA.
    Com o risco de perder ainda mais investidores estrangeiros, a Petrobras ainda pode sofrer restrições e ser impedida de continuar participando da Bolsa de valores de Nova York.
    Esse é mais um retrato de corrupção do Brasil, que instiga o cenário internacional.

  22. O escândalo de corrupção da maior empresa Brasileira que veio à tona recentemente conseguiu se arrastar até para o âmbito internacional,como mostra o texto acima.É absurdo pensar que uma empresa que detem praticamente o monopólio da exploração de petróleo no pais conseguir realizar a façanha aqui descrita.É obviamente péssimo para negócios uma empresa deste porte ser investigada em territórios que não sejam Brasileiros,pois trazem consequências muito negativas não so para a Petrobras,assim como para o próprio Brasil.Em um mercado que gira na base da especulação,como é o mercado de ações,nada pior do que ser investigado por crimes sérios e de alta relevância,e como já se pode perceber,o valor das ações da empresa já caíram consideravelmente em nova Iorque.É ruim para a empresa,e ruim para o Brasil,que fica com uma imagem de desconfiança para os possíveis investidores que teriam interesse de fazer negócios no pais.De fato,não se pode generalizar,e o caso da petrobras não significa automaticamente que o brasil e uma várzea administrativa,mas para quem está de fora,não é isso que eles enxergam.Eles enxergam o que a mídia fala,e o que o mercado fala,e por esses pontos a imagem da petrobras e do Brasil estão extremamente desgastadas.Ainda mais quando o caso investigado nos EUA,na compra da refinaria de Passadena,acarretou no fiaciamento da campanha partidária do partido que está no poder atualmente,mexendo mais ainda com a posição do Brasil em relação aos Estados Unidos.O que deve ser feito já esta sendo feito,mas de forma alguma se deve amenizar a questão como sugere o Sr.Vice Presidente da Republica Michel Temer.Os responsáveis devem ser severamente punidos,tanto no brasil quanto no exterior.

  23. A repercussão mundial em cima da Petrobras, devida à Operação Lava-Jato, é nítida e incontestável. Por se tratar de uma sociedade anônima brasileira de economia mista, a mesma vende ações em várias bolsas de valores espalhadas pelo mundo, como, por exemplo, a de Nova Iorque, nos Estados Unidos. Segundo especialistas, ou qualquer pessoa que possui algum senso de política internacional, essa situação é extremamente negativa tanto para a estatal quanto ao Brasil, pois estamos tratando do maior rombo financeiro que o Brasil já viu, com buscas e apreensões de valores com cifras exorbitantes. Uma sociedade que trata dessa maneira o dinheiro investido nela, não traz nenhuma credibilidade em sua bagagem. E as consequências que isso gera são inúmeras. Como dito na notícia acima, as ações da Petrobras já caíram 23%, apenas na Dow Jones. O que pode ir muito além, já que, segundo o professor Alexandre Cateb, a Petrobras pode sofrer restrições de captar recursos no exterior e, até mesmo, ser impedida de vender suas ações fora do Brasil.
    O que as autoridades norte americanas estão fazendo não é nada mais do que do aquilo que regem os seus direitos, pois eles querem saber se, até mesmo, não existe alguém nos Estados Unidos se privilegiando de informações a cerca da Petrobras e se beneficiando dessa maneira. Como muito bem exposto pelo Vice-presidente da República, Michel Temer, “doa quem doer”, pois se os EUA abriram a investigação, eles devem dar continuidade à mesma. E, caso as investigações apurem outros fatos, além dos apurados no Brasil, e se esses fatos gerarem consequências na economia dos Estados Unidos, os responsáveis podem ser presos e pagar, segundo especialistas, elevados valores em multa.
    Para concluir, toda essa situação ainda gerará mais consequências tanto para o Brasil quanto para a Petrobras, o que pode agravar a crise econômica e política que o nosso país está passando atualmente.

  24. A cada dia que passa, novos fatos vão surgindo no caso da Petrobras. Além de estar sendo investigada pela justiça brasileira, processo que ficou conhecido como “Operação Lava Jato”, agora é vez dos Estados Unidos iniciar uma investigação criminal contra a empresa.
    A estatal por possuir ações na Bolsa de Valores de Nova York, está sujeita à legislação americana, que com o intuito de manter a sua credibilidade no mercado, resolveu por ela mesma descobrir o que está ocorrendo.
    A atual situação da Petrobras, traz muita insegurança e desconfiança aos investidores, que preferem vender suas as ações por preços muito inferiores ao que compraram. Com isso, não só a estatal perde a sua credibilidade como também toda a economia brasileira, trazendo dificuldade para as empresas nacionais que desejam entrar no cenário internacional.

  25. O escândalo da companhia Petrobrás, apelidada lava jato teve um grade impacto na economia brasileiro de um tamanho, que países que investem estão querendo investigar e averiguar, inclusive querer levar aos infratores a reponsabilidade civil. Os EUA ,estão querendo iniciar uma investigação que se colocada a público com grande visiblilidade vai levar um caos ainda maior.Com essa lavagem de dinheiro sobre a companhia fez com que ela perdesse credibilidade, a afastando investidores, levando também a desvalorização na bolsa de valores. A petrobrá está sujeita a legislação americana por ter feito acordo, podendo levar a responsabilização de insfratores.A preocupação maior dessa investigação é que o investimento no mercado de capitais torne restrito perante o âmbito internacional, o que gerará mais prejuízo ainda . Uma visão política pode levar serias medidas mais prejudiciais, e por consequência prejudicar a economia do Brasil que já não é grandes coisas . Não é só a empresa que perde, mas sim o país como um todo, gera uma falta credibilidade perante os outros pais, perante o investimento, acionistas estão vendendo suas ações e aplicando em outras empresas, considerando a operação lava jato não se sentem seguros para injetar dinheiro que irá refletir como um todo,como já vem acontecendo. A taxa inflacionária,juros estão cada vez mais altos, investidores desacreditados na economia de risco se acentuou . O que resta ao meu ver, é tornas eficaz as normas que nós temos e responsabilizar os diretores , de forma que a lei prevê expressamente,e tentar mostrar ao mundo internacional que providências estão sendo tomadas,além disso estimular a economia,para que estimule investidores para conseguir tal credibilidade, porém não será fácil,isso requer tempo,e talvez nesse tempo estaremos diante de uma economia mais estagnada ainda .

  26. É evidente que um escândalo de corrupção em uma estatal brasileira de nível internacional com acoes negociadas na bolsa de valores e no mercado balcão provoca queda em seus valores de mercado e desconfiança nos investidores. A imagem da Petrobras fica muito prejudicada no cenário nacional e internacional pois transmite ao mercado que pode estar sujeita a influencia politica (que é inadmissível em uma empresa de capital aberto) assim como dificulta o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais americano. Investidores estrangeiros vão se sentir temerários em investir em empresas brasileiras, principalmente estatais, que queiram emitir valores mobiliários em bolsas no exterior.
    A meu ver,o que precisamos mesmo de maior efetividade no controle e regulação das nossas empresas,tornar eficaz nossas normas responsabilizando os diretores fazendo uma investigação primorosa a nível internacional para que situações como essa não se repitam e coloquem o pais em uma situação tao delicada como a atual.

    • A Petrobras é uma companhia brasileira de grande expressão nacional e também internacional. Dessa forma, deve procurar manter uma boa reputação no Brasil e não se comprometer com atos corruptos de repercussão mundial. Essa notícia apresenta uma situação na qual a Petrobras é investigada por atos de corrupção, o que pode levar um prejuízo comercial grave para a empresa e também prejudicar reputação internacional brasileira.
      Com relação ao plano comercial, essa investigação de corrupção pode gerar um grave prejuízo no mercado de valores mobiliários para a companhia; as ações e outros valores mobiliários da Petrobras poderão ser desvalorizados ou até mesmo nem negociados no mercado. O que gera um grande prejuízo para a empresa e também para o Brasil.
      Analisando a reputação internacional, a Petrobras que é muito importante na produção de combustíveis, sendo inclusive patrocinadora de uma equipe de corrida automobilistica, teria suas relações internacionais mitigadas.
      Atualmente Comissões Parlamentares de Inquérito estão sendo implementadas para ouvir depoimentos de membros da Petrobras, visando esclarecer esses acontecimentos corruptos da empresa e melhorar a reputação internacional da companhia.

  27. A Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2014, investiga um grande esquema de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo a Petrobras, grandes empreiteiras do país e políticos. A Operação gerou grande impacto no Brasil, uma vez que a empresa é uma Sociedade anônima de capital aberto, cujo acionista majoritário é a União Federal (representada pela Secretaria do Tesouro Nacional), atuando como uma empresa integrada de energia nos seguintes setores: exploração e produção, refino, comercialização, transporte, petroquímica, distribuição de derivados, gás natural, energia elétrica, gás-química e biocombustíveis. Com a imagem desgastada no país e no exterior, após a investigação nos Estados Unidos, a Petrobras enfrenta grandes problemas, pois suas ações sofrem grandes variações. A pior imagem é a de que a empresa pode sofrer influências políticas, o que não pode ocorrer já que suas ações são negociadas na bolsa. Todo esse contexto é com certeza um golpe duro na credibilidade internacional já profundamente abalada da empresa. A Petrobras, empresa que era sinônimo de orgulho nacional, não pode deixar essa situação sem respostas, precisa investigar e apurar suas condições dentro do comércio internacional.

  28. Não era de se esperar que, a maior empresa de patrimônio, a Petrobras, caísse para terceiro lugar entre as companhias de maior valor de mercado negociados na Bolsa. Do início do governo Dilma Rousseff caiu pela metade, derrubado pelas sucessões de corrupção. Com isso, fala-se em privatização. Porem, nesse caso, a privatização teria forçosamente de ser via capital internacional (empresa com matriz no exterior), e essa solução seria ainda pior para a economia nacional do que uma empresa mista controlada pelo governo, como é a atual Petrobras, mesmo sofrendo os defeitos apontados de interferência política em sua administração, má alocação dos recursos etc. O que é preciso, além de punir exemplarmente os culpados, é o governo, como controlador da Petrobras S/A, dar plena autonomia à Direção da empresa, sem fazer indicações políticas e sem interferir nos preços de mercado de seus produtos.

  29. Sônia Carolina R. V. Perdigão - Faculdade de Direito Milton Campos em disse:

    O ano de 2015 era esperado por todos nós, brasileiros, como um ano de recessão. Afinal, vários países passaram e ainda permanecem em crise econômico, o que nos influencia diretamente e indiretamente. O escândalo na empresa Petrobrás tende a trazer nosso sistema financeiro cada vez mais para baixo, já que poderemos sofrer restrições, como mencionado no artigo acima. Caso seja apurado pela SEC que os funcionários da Petrobrás cometeram crime, devemos considerar que as ações da empresa irão cair drasticamente, como já ocorreu anteriormente. Além disso, influenciará que outras pessoas de nacionalidade diferente não invistam na empresa, temerários de que perderam suas economias. Segundo as últimas reportagens sobre os escândalos da Petrobrás, empresas fizeram acordo para delatar cartel e aparentemente, essa prática ilícita ocorre a anos, contudo, precisa-se apurar essas informações com cuidado e diligência, já que isso pode prejudicar mais ainda a imagem da estatal, tanto nacionalmente, quanto no cenário mundial.

  30. O escândalo que envolve a estatal brasileira é de grande repercussão no mundo todo, como conseqüência, pode gerar mais prejuízos à imagem do Brasil e suas empresas do que em relação a própria Petrobras. A situação da empresa envolve muita corrupção e desvio de dinheiro em valores exorbitantes, isso faz com que sua reputação diante dos investidores seja a pior possível. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda que tem como função, disciplinar, fiscalizar e promover a expansão, desenvolvimento e o funcionamento eficaz do mercado de valores mobiliários. Entretanto, por ser uma autarquia a CVM depende de partidos e governo, o que desdobra questionamentos sobre sua eficácia. O mais apropriado seria que o Banco Central, assim como a CVM, fossem autônomos, sem o “desvirtuamento” que partidos e governo causam, comprometendo a imagem desses órgãos. Diante disso, as investigações do Departamento de Justiça e da SEC, sobre as irregularidades da Petrobras, podem causar um grande impacto econômico e financeiro negativos no funcionamento da estatal. Além disso, pode gerar multas e indenizações com valores altíssimos e com o risco de prisão de executivos, consequentemente, a imagem da estatal estará ainda mais denegrida.

  31. É triste perceber o quanto uma empresa que era há poucos anos motivo de nacional enfrenta hoje uma grave crise que a desmoraliza não apenas no âmbito interno, mas também no cenário internacional.
    A Petrobrás, já alvo da Operação Lava Jato no Brasil, é agora também investigada pelas autoridades americanas em relação a sua conduta ao negociar ações na Bolsa de Nova York e a possibilidade da estatal ou seus funcionários terem recebido propina ou violado a lei anticorrupção dos EUA.
    Interessante notar como a situação da empresa se relaciona à própria situação do Brasil. Ambos passaram por momentos de grande euforia e crescimento econômico, mas que, infelizmente, por irresponsabilidade de seus gestores não conseguiram ser mantidos por muito tempo e hoje mergulham em grave crise.
    Os inúmeros escândalos de corrupção vindo à tona deixam claro o quanto esta é a grande responsável pela situação atual, o descaso com a máquina pública e os desvios de dinheiro, incutidos no cenário político brasileiro, prejudicam e envergonham tanto a empresa quanto o país, que possuem tanto potencial, mas que nunca será alcançado se continuarem a se submeter a influências políticas tão desonestas quanto as atuais.

  32. Após denuncia de diretores, a Petrobrás, uma das empresas de maior renome no Brasil e que manuseia objeto de grande interesse em todo mundo, os derivados do Petróleo e produtores de energia, está sendo investigada como um todo pela suspeita de esquemas de lavagem de dinheiro e propinas políticas.
    Sabe-se que vivemos em um mundo extremamente globalizado e que as negociações internacionais são de suma importância para a economia do país, principalmente se tratando de uma companhia estatal e com essa dimensão. Portanto, a medida em que se estende as investigações, mais impactos negativos são trazidos para o Brasil e como já era esperado dentro de um contexto macroeconômico, esses impactos já estão sendo sentidos em outros países. Principalmente nos Estados Unidos, que possui grandes influencias econômicas em todo o planeta e já se manifestou, posto que também abriu investigações sobre a parte da empresa negociada na Bolsa de Nova Iorque.
    A deflagrada crise que se desencadeou desse fato trouxe inúmeras baixas para a empresa em questão, entre elas a desconfiança de futuros credores e a baixa de seu valor no mercado de ações.

  33. A investigação acarreta má visão à imagem da Petrobras, pois conduz ao mercado a imagem de que a ela está sujeita a influências políticas, o que não pode ocorrer para uma empresa com companhia aberta. Pode ocorrer uma influência negativa da imagem do Brasil e complicar o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais americano com o comprometimento da credibilidade que para atrair investidores. As empresas precisam atrair investimentos para permitir o surgimento de riqueza, empregos e renda no país, com essa fama Brasil estará sujeito a perder o que demorou a conquistar.

  34. Envolvendo a maior estatal brasileira e o maior símbolo nacional de prosperidade e esperança, a Petrobrás, a Operação Lava Jato gira em torno de uma investigação de corrupção dentro da empresa. Em meio a um cenário político crítico, o escândalo veio como um choque de realidade para não tão somente à população brasileira, como para todo o cenário mundial. Símbolo forte da economia nacional, de prosperidade e probidade, a Petrobrás, até então, nunca havia sido alvo de suspeitas, pela grande maioria. Sua boa imagem, estabilidade e valorização no cenário econômico internacional era quase intangível e, na mesma magnitude de sua grandeza, veio sua decadência. A denúncia de corrupção dentro da estatal brasileira, gerou tão grande choque e tão grandes prejuízos, que a repercussão internacional culminou em uma investigação criminal contra a estatal, aberta pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Todo este contexto representa muito mais que a perda da credibilidade da Petrobrás. Representa a perda de credibilidade brasileira na economia mundial, o que só tem a agravar os prejuízos enfrentados por toda uma nação, que com o reflexo do escândalo, paga através da inflação, do aumento dos preços, dos impostos. Há que se concluir que esta é uma bola de neve, uma reação em cadeia que, de onde vemos, não tem perspectiva de melhora tão cedo.

  35. O escândalo da Petrobrás repercutiu mundialmente, pois a mesma gira o mercado de ações, iniciou então a operação lava jato, deflagrada em março pela Polícia Federal, após denúncia de um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado ilegalmente 10 bilhões de reais, desviados da Petrobrás e repassados à base aliada do governo. O que se nota, é uma negligência governamental em relação à economia brasileira, ou até mesmo um certo interesse nestes desvios. Pois, é função do Poder Executivo, através da administração pública direta e indireta, controlar as estatais.
    Contudo, não houve eficiência administrativa e a situação saiu do “controle”. Mas não desrespeita apenas ao país, os EUA estão pressionando para que haja investigação e punição dos envolvidos. Pois a Petrobrás negocia suas ações na Bolsa de Nova York. Essas ações “caíram” muito mais do que 23 % e afetaram a credibilidade brasileira perante investidores. Espera-se que haja punições efetivas, pois a Polícia Federal, responsável pela investigação, também faz parte do poder Executivo, poder de polícia do Estado e pode ser que haja influência. Apesar de que algumas pessoas já estão sendo investigadas e punidas. Mas alguém tem de pagar por todo esse desfalque e, é claro, que os brasileiros que responderão pelo prejuízo, pagando os maiores tributos de todos os tempos.

  36. O escândalo envolvendo a Petrobras e as classes políticas prejudica sensivelmente a imagem do país no Exterior.
    O ramo de petróleo e gás equivale a 13% do PIB nacional e como o governo optou pelo modelo monopolista, 99% do setor é Petrobras. Além de vendedora quase exclusiva, quem oferece bens e serviços ao setor depende da estatal.
    A repercussão que o caso vem ganhando internacionalmente ajuda a aumentar a preocupação com a Petrobras, em particular, e com o Brasil, no geral.
    Os investidores estão retraídos em relação ao Brasil devido a fatores como falta de crescimento, inflação crescente, o terrível sistema tributário etc. O escândalo vai apenas aumentar o ceticismo entre os investidores no curto prazo.
    Além das denúncias de corrupção, da prisão de diretores e do endividamento astronômico, a empresa não consegue cumprir a meta de produção e, para piorar, o preço do barril de petróleo caiu no mercado internacional. Se os desdobramentos da atual crise levarem à perda do grau de investimento da empresa, a estatal pode ficar inadimplente em 2015.

  37. A imagem aparente da Petrobrás no plano internacional está, evidentemente, refletindo a imagem econômica interna brasileira. Com relação à estatal, verifica-se uma baixa no preço do barril de petróleo atrelada a uma crise econômica: a queda do preço do barril em cerca de 50% no período de um ano altera totalmente o funcionamento e o cenário econômico da empresa, vez que há muitas demissões, não tem dinheiro para investimentos, etc. A receita da empresa cai pela metade e ela não capta investimento externo. Apesar de este ser um fator exógeno, visto que a crise no Brasil é fator que independe da empresa – esta não tem autonomia para alterar uma crise, mas sim sofre os efeitos dela –, acontece que estando aliado a uma má gestão política-econômica, tem consequências drásticas para o país, tanto internamente quanto no cenário internacional. A queda do preço das ações reflete uma falta de credibilidade da empresa estatal brasileira, o que dificulta captação de investimento. Isso tudo reflete o que se passa com a economia interna brasileira, porque ao passo que a Petrobrás passa por isso, o Brasil possui má gestão política-econômica e diversos escândalos de corrupção no governo, diversas grandes empresas e diversos patamares da sociedade, o que acaba com a credibilidade do país e afasta investidores devido ao aumento na taxa de empréstimos. Toda essa situação vem destruindo a imagem internacional do Brasil como um país potencialmente emergente, tal qual vinha sendo construída em 2008, afastando investidores e ressaltando mais uma vez a falta de competitividade do mercado brasileiro – o famoso “custo Brasil”.

  38. Francisco Tavares - sala 401 - Turno: Manhã - Faculdade de Direito Milton Campos. em disse:

    A Petrobrás, reconhecida mundialmente por sua excelência tecnológica na produção de energia, está inserida em múltiplos escândalos de irregularidades por lavagem de dinheiro. A corrupção girou em torno da empresa durante anos, e, hoje, os envolvidos no esquema são investigados pela Polícia Federal. A lavagem de dinheiro da estatal calcula-se em torno de 10 bilhões de reais, o que gera espanto tanto no âmbito nacional e internacional, fazendo com que a imagem da estatal seja danificada. Tal situação faz com que países, como EUA passem a desconfiar da segurança de se investir na empresa petroleira brasileira, e, como consequências, os acionistas vendem suas ações a “preço de banana” e os futuros acionistas procuram novos mercados, que sejam mais seguros, para investir. Em empresa que as ações são negociadas em bolsa, é essencial que se tenha uma imagem que transmita credibilidade e segurança, pois, caso contrário ela estará sujeita à perda de influências políticas. Além desse impacto negativo, se tem a dificuldade da inserção de empresas brasileiras no mercado de capitais americano, devido à experiência negativa que se teve com a Petrobras. Deve-se levar em conta o risco que o Brasil corre caso a Petrobras sofra restrições de captar recursos no exterior, ou até mesmo, seja proibida de negociar ações na Bolsa de Nova York. Para que isso não ocorra, é necessário que o Brasil dê através da sua função jurisdicional a devida pena a cada um dos envolvidos no escândalo da Petrobras, além disso, deve criar mecanismos fiscalizatórios eficazes para que nunca mais o País seja corrompido nessas dimensões.

    • MUITO VERGONHOSO PARA O BRASIL EM SE TRATAR DE UMA DAS MAIORES DESCOBERTA DE CORRUPÇÃO ENVOLVENDO UMA ESTATAL DO PORTE DA PETROBRAS.PERDENDO ASSIM, A CREDIBILIDADE INTERNA E EXTERNAMENTE. O ADVOGADO LEMBRA-NOS DE QUE NÃO PODERIA HAVER INFLUENCIA POLITICA EM AÇÕES NEGOCIADAS EM BOLSA DE VALORES. ESSE DESCRÉDITO,SE RESULTA NA PERDA DE INVESTIDORES QUE INCLUSIVE DEIXAM DE INVESTIR RETIRANDO SEUS INVESTIMENTOS E AGREGANDO EM OUTRA QUE SE APRESENTAM-SE MAIOR ESTABILIDADE.O SUPERFATURAMENTO NA COMPRA DE PASSADINA ,NO TEXAS (EUA)POR 1.8BILHÕES DE DÓLARES,VINTE E SETE VEZES MAIS CARO QUE A BELGA OIL ESCANCARANDO ASSIM, A FALTA DE UM VERDADEIRO COMPROMETIMENTO, DOS POLÍTICOS DEMOCRATICAMENTE ESCOLHIDOS PELO POVO DA NAÇÃO BRASILEIRA.É HORA DE COMEÇAR INVESTIR PESADO EM FISCALIZAÇÃO E PUNIÇAO DE VERDADE PARA TODA A CORRUPÇÃO QUE CONTAMINA CADA VEZ MAIS O BRASIL.

  39. A Petrobras é uma empresa reconhecida mundialmente, presente em vários outros países, e que é líder no setor petrolífero do Brasil. Infelizmente, atualmente, está inserida no cenário mundial por motivos vergonhosos. Foi descoberto um esquema de pagamento de propina em obras da estatal, e que o dinheiro era enviado para o caixa de vários partidos políticos.
    A Operação Lava Jato, investigação realizada pela Polícia Federal Brasileira, investiga esse enorme esquema de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo a Petrobras.
    Essa investigação envolve buscas em grandes empreiteiras renomadas no país e já foram oferecidas denúncias pelo Ministério Público Federal contra 39 pessoas.
    Paralelamente às investigações brasileiras, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal contra a estatal, causando mais danos à sua imagem. Por todo esse escândalo de corrupção, a Petrobras saiu do índice de sustentabilidade da Bolsa de Nova York, no qual reúne uma lista de empresas com boas práticas.
    A perda do índice de sustentabilidade da Dow Jones piora a imagem da empresa que já está bastante prejudica no cenário mundial. É válido ressaltar, que a imagem do Brasil também fica manchada, fazendo com que a credibilidade dos empresários brasileiros, como um todo, passe a ser questionada.

  40. Um dos maiores “troféus” para o Brasil, economicamente falando, foi a Petrobras. Operando em mais de 20 países, em 2010 passou ser a segunda maior empresa de energia do mundo, sempre em termos de valor de mercado, segundo dados da Bloomberg e da Agência Brasil. Em agosto de 2011 a empresa quebrou o recorde de 21,9 bilhões de reais em lucro liquido no primeiro semestre do ano. Todo o fervor enraizado na história dessa empresa começou a ir por água a baixo quando surgiram os primeiros relatos de que havia um esquema de pagamento de propina em obras da estatal, e que esse dinheiro era direcionado a vários partidos políticos que participavam desse crime. A Polícia Federal e o Ministério Público são os responsáveis por investigar o maior esquema de corrupção já ocorrido no Brasil. Segundo alguns sites, até a presente data, suspeitam de que essas transações ilícitas já ultrapassam de R$70.000.000.000,00. Número assustador, né ?! E é por esse motivo que a maior empresa do Brasil está com a imagem exterior denegrida, ou pelo menos irá ficar. Para os outros países, e suas populações, essa investigação demonstra que a empresa se encontra completamente influenciável e tomada por políticos corruptos e seus partidos ainda mais desonestos. Atualmente, com toda certeza, não é de tamanha glória ter como troféu uma entidade totalmente corrompida como a Petrobras, e por enquanto, seus investimentos cessaram e não estão voltando a crescer como alguns empresários previam. O valor das açoes despencaram e consequentemente toda a economia brasileira sofre uma grande recessão devido a crise na empresa. Contudo, esperamos que este momento passe o mais rápido possível, de forma que a própria economia brasileira restabeleça um crescimento economico, ainda que mínimo, no país. E para que isso aconteça é preciso um investimento governamental para os empresários particulares e um forte incentivo para gerar capital de lucro para toda a população e dessa forma melhorando a economia do Brasil.

  41. Já era de se esperar, que em um país onde a impunidade e a corrupção e a impunidade ditam a ordem, que uma de suas principais empresas fosse vítima dos mesmos escândalos de corrupção que surgem por todo o país. A Petrobras, uma das empresas que mais passam credibilidade no exterior, alvo de vários investimentos estrangeiros, agora é investigada por departamentos de polícia nacional e internacional, o que com certeza afeta a imagem do Brasil nas relações exteriores, afastando investidores. É preciso que esse tipo de conduta seja investigado e que os responsáveis sejam punidos pelo Estado. Faz-se necessário que os governantes sejam sérios, e tracem um plano afim de recuperar a imagem do Brasil frente ao mercado estrangeiro, o que influencia diretamente na economia de nosso país.

  42. A imagem da maior estatal brasileira já está manchada dentro do país e desencadeou uma das maiores operações para condenar e prender os responsáveis, a operação Lava Jato.
    Não era de se esperar, nada menos do que a figura da empresa também já estivesse manchada no exterior, principalmente nos Estados Unidos, que de acordo com a reportagem em tela, já investiga o escândalo desde o ano passado.
    Em novembro passado o Diretor do Programa de Estudos Latino-Americanos da Universidade Johns Hopkins (EUA) e autor de livros como Brasil: Política em uma Sociedade Patrimonialista, Riordan Roett já acreditava que o escândalo envolvendo a Petrobras e as classes política e empresarial prejudicaria sensivelmente a imagem do país no Exterior
    O mesmo já dizia que este é, provavelmente, o maior e mais descarado escândalo na história do país. O PT está profundamente implicado, assim como um grande número de políticos e de empresários importantes. Todos trapaceando juntos.
    A esperança, para a população e a economia brasileira é que referido escândalo não fique impune como a maioria dos outros que já ocorreram e que a impressão do país no exterior possa ser melhorada e não sejamos mais conhecidos como o país da impunidade.

  43. A repercussão mundial em cima da Petrobras, só vem crescendo com o passar do tempo. Sendo a maior estatal brasileira, a sua credibilidade em âmbito global já está comprometida, mesmo sem a investigação promovida pelos EUA.
    Não é surpresa aos brasileiros, neste ano de 2015, ver o país em uma recessão, visto que, além de todo o prejuízo econômico gerado a empresa e a economia nacional em razão da corrupção, há outro grande, a crise moral. Essa crise gera impactos na confiança no mercado brasileiro, e se não há confiança, não terá país investindo aqui.
    A Petrobras, por ser uma empresa de nível global, tem vendas de ações em diversas bolsas de valores, inclusive nos EUA. Dessa forma, completamente plausível o interesse deste em desejar investigar a empresa.
    Neste cenário, é possível vislumbrar o quadro negativo amplo em que se encontra a maior empresa brasileira, visto que a má administração acarreta na fala de investidores, sendo possível piorar a situação se houver restrição para captar recursos no exterior e impedimento de negociar suas ações na bolsa.

  44. A Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2014, investiga um grande esquema de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo grandes empreiteiras do Brasil como, Andrade Gutierrez, Odebrecht e outras, à maior empresa estatal do país, a Petrobras. Já foi apurado o desvio de Bilhões de reais em contratos fraudulentos e em compras superfaturadas.

    Grupos de investidores já estão sentindo cada vez mais a fragilidade da corporação, fazendo as ações da Petrobras na bolsa de valores despencarem em valores irrisórios comparados aos anos anteriores. Com isso, há um aumento de desconfiança de investidores no Brasil, já que se trata de uma das maiores empresas do Brasil, sendo o espelho de outras empresas figuradas no Brasil.

    O Aumento do Juros, a inflamação em números alarmantes, o aumento do dollar em relação ao Real, demonstram que o Brasil já começou a sofrer os impactos de uma imagem econômica enfraquecida perante o mercado externo. Dívidas foram expostas, e a Petrobras já cogita vender patrimônios para tentar abater os débitos e recuperar sua boa imagem, não só da empresa, mas do Estado Brasileiro como um todo.

  45. É um fato que não podemos condenar, a falta de credibilidade depositada na Petrobrás não é infundada. Eu se fosse investidor também não investiria na Petrobrás, e se o tivesse feito, cairia fora o quanto antes.
    A Petrobrás sempre teve um nome forte nacionalmente e internacionalmente. A descoberta do pré-sal possibilitou o arranque das ações da Petrobrás na bolsa, e em 5 anos a mesma dispencou de 50 para 9 reais, e ainda com as investigações criminais, causando a queda de toda toda a bolsa brasileira.
    Com as investigações americanas a situacao só piora, como a situação da Petrobras afeta a bolsa americana, a mesma segundo sua lei local tem direito a ter sua própria investigação, paralela à brasileira, desestimulando novo investidores americanos não somente na Petrobrás mas no restantes das empresas brasileiras.
    Todos esses fatores geram uma “bola de neve” sem previsão para ter um fim, só nos resta esperar o fim das investigações, a punição dos culpados e torcer pela volta da credibilidade da Petrobrás sem que seja tarde demais.

  46. A mídia brasileira está mostrando uma enxurrada de artigos sobre uma crise geral da Petrobrás. Esta mídia, ligada a setores que defendem a privatização da empresa, exagera nos termos. Quer fazer parecer como se estivesse tudo parado. Há sim uma crise interminável de escândalos (ver “A crise da Petrobrás e as eleições: um alimenta o outro”) e sua ligação com as eleições. E há também uma outra crise, financeira, da empresa ligada a seus planos de investimentos e como estes se relacionam com a política e com a produção. Esta crise financeira, criada pelo PT e seus planos na empresa significa um aumento na exploração dos trabalhadores e uma verdadeira onda de acidentes que tem recorrido as refinarias.Desde que Graça Foster assumiu e revisou, para baixo, os planos de investimento, ela também adotou medidas de “controle de gastos” que tem tido um impacto negativo nas condições de trabalho e segurança na empresa.

    Uma das medidas mais sintomáticas deste “controle” foi o Plano de Incentivo a Demissão Voluntária que teve adesão de 8 mil trabalhadores. Destes 8 mil, cerca de 5 mil já saíram ou sairão da empresa até dezembro deste ano. Para agravar a situação, somente 60% destes funcionários serão repostos. Uma das áreas com menor reposição será a manutenção. Ou seja, com uma manutenção precarizada e com menos funcionários em diversas áreas todos os trabalhadores que permanecerem precisam trabalhar mais e sob riscos crescentes. Não é coincidência o aumento nos acidentes em refinarias e estes planos de Graça. Até mesmo a oficialista Federação Única dos Petroleiros (FUP) associa este plano aos acidentes

  47. A Petrobras, empresa estatal que antes era sinônimo de orgulho para os brasileiros, passa a ser sinônimo de vergonha e indignação para aqueles que acompanham e recebem dia após dia informações da mídia sobre o esquema de corrupção da Operação Lava Jato. A imagem da Companhia não se encontra negativa apenas no plano interno mas também no cenário internacional, o que traz impactos negativos para a economia nacional visto que a falta de credibilidade da S/A faz com que investidores percam o interesse de investir no país não só nessa empresa, mas também nas demais estatais. A corrupção na Petrobras demonstra que a empresa esta presa as influencias políticas o que é inadmissível, principalmente por causa de seu tipo societário já que as ações são negociadas na bolsa de valores. Como S/A, a empresa precisa da credibilidade e segurança jurídica para atrair e contrair investimentos. Sendo ela alvo de investigações, os investidores não possuem confiança para investir ou permanecer com suas ações na empresa, o que é necessário para firmar seu patrimônio, criando riquezas e gerando emprego e renda para o país. Dessa forma as ações da Petrobras vão perdendo o seu valor, o que culmina em trabalhadores perdendo o seu emprego e o país entrando na fase de recessão.

  48. A Petrobras, empresa estatal que era simbolo de orgulho dos brasileiros, está agora refletindo o momento econômico do país, e segue se desvalorizando até mesmo no mercado internacional.
    O problema causado pelos escândalos de corrupção vão muito além dos prejuízos econômicos aos cofres públicos. O cenário que se vê agora, a partir do início das investigações da Polícia Federal, é de um sentimento de receio por parte de investidores estrangeiros em relação às empresas brasileiras. Esse receio não contempla apenas as empresas estatais, mas também as privadas, posto que se criará uma resistência para investir em Brasil devido à suspeita de intervenção política.
    Por se tratar de empresa simbolo nacional, os efeitos do escândalo que é a “operação lava jato”, afetará diretamente futuros investimentos feitos no país, pois trata-se de um desestimulo aos investidores estrangeiros, o que poderá elevar ainda mais as dificuldades econômicas vividas no Brasil

  49. Tornaram públicas várias fraudes nos contratos firmados com a Petrobras e outras irregularidades, descobrindo-se o que já há muito tempo era desconfiado, provando que há um forte esquema de pagamento de propina. Estão envolvidos políticos tanto aliados do governo como oposição, empresários, funcionários e outros. Sendo a Petrobras uma empresa símbolo do Brasil ao redor do mundo, tais escândalos têm gerado no país instabilidade tanto na área política como econômica. O escândalo tem sido noticiado fora do Brasil, especialmente nos Estados Unidos da América. Sendo a Petrobras uma grande empresa, possuidora de ações em um dos mercados de ações mais famosos do mundo, que é o norte americano, é possível afirmar que tamanha corrupção que tem ocorrido dentro da petrolífera afetará o número de investidores. A imagem da empresa, símbolo de riqueza tem dado lugar a escândalos e propagandas negativas, logo, não se deve esperar nada diferente do que uma visão denegrida no exterior que corrói a imagem não somente a empresa, mas também o Brasil. As turbulências enfrentadas pela Petrobras geram desconfiança e reduzem a credibilidade que a empresa possui no exterior, tendo ocorrido até Dezembro no mínimo quatro ações contra a empresa nos Estados Unidos da América.

  50. A maior e mais famosa empresa mista nacional sofreu um duro golpe no final do ano passado. Responsável sozinha por boa parte do PIB nacional, num setor onde a participação chega a 13% do PIB, a notícia de ter uma investigação aberta nos EUA, onde não se admite em hipótese alguma em uma empresa de capital aberto negociado em bolsa e com relatórios e números auditados a fraude como se deu sem prejuízo de ações que possam ser movidas contra a mesma, trás ainda mais transtorno e problemas à Petrobras e imagem brasileira. Já muito abalada pelos escândalos que a Operação Lava-Jato trouxe a tona, agora será alvo de uma operação americana, sem qualquer influência política, visando tão somente encontrar a verdade por trás dos fatos para a proteção do interesse dos investidores americanos e mundiais que negociavam as ações da empresa na NASDAQ. A credibilidade já tênue, fica ainda mais abalada com uma notícia dessas. É estarrecedor para nós brasileiros que infelizmente estamos acostumados a sucessivos escândalos de corrupção, que dirá para um estrangeiro em país de primeiro mundo. Graça Foster e Gabrielli já foram indiciados essa semana nos EUA, tomara que ao menos lá, não acabe em pizza.

  51. Guilherme Mattos, aluno da Faculdade de Direito Milton Campos, Noite – Sala 401.

    As inúmeras fraudes na Petrobrás descobertas no último ano trazem à tona a discussão acerca da eficiência do controle estatal sobre a Companhia de capital misto. A utilização da petroleira como um sistema de troca de favores entre companhias privadas e partidos políticos demonstra que muitas vezes a gestão estatal pode ser demasiadamente danosa para o erário público, ao contrário do que normalmente se veicula. Pelo menos é o que se pode notar com o mar de lama em que a Petrobrás se afundou, com uma gestão temerária marcada pela corrupção e por investimentos questionávels que abalaram sua imagem no exterior. O famoso bordão “O petróleo é nosso”, depois de tantos anos, se mostrou equivocado, pois, ao contrário, o petróleo não é nosso, o petróleo é do governo, que com suas garras faz o que bem entender em favor dos políticos, parceiros e gestores.

  52. O Brasil vem vivendo um momento de crise interna, embora a Presidência não confirme isso, a Petrobras, que já foi considerada uma das maiores empresas do mundo, hoje está em péssimas condições, tudo isso devido à corrupção que ocorre na empresa, onde os envolvidos nesse esquema só pensam em garantir o deles ilegalmente, esquecendo que este tipo de atitude prejudica e muito a empresa. Os Estados Unidos estão investigando a empresa e isso ainda piora a imagem da mesma no exterior, pois uma empresa que é politicamente manipulada não tem credibilidade. Só no ano de 2014, as ações da Petrobras perderam 23% do seu valor na Bolsa de Valores de Nova York, e infelizmente este ano estão ainda piores, não sabemos o que vai acontecer com a nossa grande Petrobras, é necessário que as providências cabíveis sejam tomadas.

  53. As denúncias de corrupção na Petrobras ganharam repercussão nos Estados Unidos e vêm assustando investidores daquele país.

    Os problemas descobertos pela operação Lava Jato, da Polícia Federal, estão afetando a decisão de aplicar em papéis não só da petroleira, mas também de outras empresas brasileiras, principalmente estatais.

    O Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, ouviu nos últimos dias investidores estrangeiros que aplicam ou aplicavam nos papéis da Petrobras listados na Bolsa de Valores de Nova York, os chamados American Depositary Receipts (ADRs).

    Alguns dizem que resolveram “realizar o prejuízo” e venderam as ações da petroleira recentemente, temendo que as coisas piorem ainda mais.

    Outros preferiram manter as ações da empresa, na esperança de que os preços se recuperem com o andar das investigações, mas argumentam que estão receosos em aplicar no Brasil agora.

    “É o maior esquema de corrupção de que tenho notícia no Brasil”, diz o professor Samuel Saalfeld, que investe na Petrobras há dois anos e mora no Estado de Wisconsin, nos EUA.

    “Acho que essas denúncias afetam não apenas a imagem da Petrobras no exterior, mas de outras empresas brasileiras e do próprio País”, diz.

    “Ainda mantenho as ações da Petrobras, embora me culpe todo dia por não ter vendido antes”, afirma um investidor em Chicago, o engenheiro Richard Patt, que comprou o ADR por cerca de US$ 17 em maio de 2013.

    Hoje, os papéis são negociados ao redor de US$ 10. “O Brasil tem uma reputação internacional ruim por causa da corrupção e a imagem da Petrobras ficou pior”, diz ele.

    Na avaliação de Patt, a repercussão que o caso vem ganhando internacionalmente, aliada a declarações de nomes conhecidos de Wall Street, como o do bilionário gestor de fundos de hedge, Jim Chanos, ajudam a aumentar a preocupação com a Petrobras, em particular, e com o Brasil, no geral.

    Chanos recentemente declarou que a petroleira não é uma empresa, mas um “esquema”, e, por isso, estava vendendo suas ações.

    Outro investidor, que mora na pequena cidade de Saratoga, no Estado de Nova York, e autorizou a citar apenas seu primeiro nome, James, diz que aplicava em Petrobras até recentemente e ainda queria comprar ações da Vale, mas desistiu.

    “Vou ficar fora de papéis brasileiros por enquanto”, diz. James investe em bolsa há 40 anos e avalia que, quanto maior a influência que os governos têm em uma empresa, maior o risco de corrupção.

    No caso da Petrobras, ele fala ainda que preocupa a recusa da empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers em assinar o balanço trimestral, o que levanta dúvidas de como está a real situação da companhia.

    Além das denúncias de corrupção, outro problema é o uso do preço dos combustíveis pelo governo para controlar a inflação, o que compromete a capacidade de financiamento da Petrobras.

    Fonte. Revista Exame.

  54. É por essas e outras que o discurso pró privatização ganha mais força ao passar dos dias. Argumenta-se que seria inviável a sobrevivência de uma empresa gigantesca como a Petrobras competir no mercado altamente competitivo e feroz como o de combustíveis e gêneros do tipo, principalmente quando essa mesma empresa se submete às ingerências político-administrativo que geralmente as empresas publicas acabam por sofrer. Por outro lado, sabemos o histórico nebuloso das privatizações que ocorreram em nosso pais, ocasião em que patrimônios públicos materializados em anos de investimento de dinheiro publico foram alienados a preços de banana para a iniciativa privada, que alem de não darem o retorno esperado pela população, ainda acabaram por prestar um serviço de qualidade bem aquém do esperado. Espero que a Justiça brasileira seja apartidária e apure minuciosamente tais escândalos e que os algozes do povo brasileiro sejam duramente punidos para que pelo menos sirva de exemplo para a comunidade internacional e que minimize a ideia arraigada de que aqui se cultua a corrupção. Jairo Passos

  55. “A corrupção está cada vez mais clara aos olhos do povo.” (Elias Khoza Trez)

    A matéria analisada na presente publicação, elucida cuidadosamente, a situação vivenciada no Brasil, após estourar mundialmente o escândalo ocorrido na Petrobrás. A empresa que foi criada há 60 anos por Getúlio Vargas, possui 86 mil funcionários e se encontra presente em 25 países era motivo de orgulho nacional, sendo considerada em 12º lugar entre as maiores empresas do mundo. Até que veio a público os escândalos advindos pelo excesso da ganância desmesurada de alguns. Assim, se inicia a Operação Lavo Jato, que teve início em um posto de gasolina, e investiga esse grande esquema de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo a Petrobrás. Além de ser investigada pelo governo brasileiro, a empresa se tornou alvo das autoridades americanas, como exposto na matéria. Assim, no cenário internacional, passou a não ser mais vista com bons olhos, refletindo no cenário econômico.
    Me impressiona a irresignação de uma parte do eleitorado que concebe sua vaidade em detrimento da democracia. Somos 202.768.562 de brasileiros e a partir de agora qualquer polaridade carece de um desejo legítimo de melhoria. Que o escândalo envolvendo essa grande empresa, sirva para que entre a população brasileira, o Brasil volte a ser uma prioridade homogênea.

  56. A Petrobras, ante as inúmeras denuncias que vieram à tona no ano de 2014, foi destaque nas campanhas presidenciais brasileiras ocorridas no mesmo ano, o ponto principal do baixíssimo nível dos debates e das propagandas. O oportuno – para um dos lados, diga-se de passagem – vazamento de depoimentos às vésperas do segundo turno da eleição presidencial sepultou a credibilidade da empresa diante do povo brasileiro, num momento em que todas as atenções estavam voltadas justamente para a Operação Lava Jato. No entanto, como de costume nos grandes escândalos de corrupção, as investigações sobre o esquema ainda estão muito vagas. Como funciona/funcionava? Quem foi responsável? Quando começou? Quanto foi desviado? Estas perguntas, entre outras, ainda estão sem resposta, apesar do circo formado em torno da operação da Polícia Federal pelo ano eleitoral contribuir para a sociedade escolher seus mocinhos e seus vilões no caso, como se tudo já estivesse devidamente explicado.Tornaram públicas várias fraudes nos contratos firmados com a Petrobras e outras irregularidades, descobrindo-se o que já há muito tempo era desconfiado, provando que há um forte esquema de pagamento de propina. Estão envolvidos políticos tanto aliados do governo como oposição, empresários, funcionários e outros. Sendo a Petrobras uma empresa símbolo do Brasil ao redor do mundo, tais escândalos têm gerado no país instabilidade tanto na área política como econômica.

  57. Mais uma vez o Brasil se destaca no cenário mundial com notícias de corrupção. Após grandes investimentos e anúncios de um futuro próspero para a maior empresa estatal brasileira, em função das descobertas do pré-sal, a Petrobras se vê envolvida em um dos maiores casos de corrupção da história. Visando apurar suposto esquema de corrupção na petroleira, relativo a desvio e lavagem de dinheiro envolvendo diretores da estatal, grandes empreiteiras e políticos, iniciou-se em março de 2014 a operação Lava Jato, conduzida pela Polícia Federal. A partir de então, a Petrobras passou a ser alvo de investigações das autoridades americanas sobre sua conduta nos Estados Unidos. Como conseqüência imediata dessas investigações, vem ocorrendo uma perda de credibilidade dos investidores mundiais na empresa, havendo uma grande descapitalização de suas ações no mercado, além de afetar de forma negativa a imagem do país, podendo vir a prejudicar outras empresas. Sendo apurada a veracidade das investigações, o prejuízo ainda será maior, podendo a empresa sofrer restrições para captação de recursos no exterior e até mesmo de ser impedida de continuar a negociar ações na Bolsa de Nova York.

  58. O referido texto vai mencionar o processo investigativo que foi feito pelas autoridades americanas contra as ações desenvolvidas pelos administradores da Petrobras. Os órgãos americanos possuem normas rígidas que exigem essencialmente, balanços manipulados, informações privilegiadas e corrupção. Essas normas comportamento negocial são aplicadas a todas as empresas que tem ações negociadas em sua bolsa de valor.
    No Brasil a Petrobras foi investigada após denúncia de suposto esquema de corrupção, onde políticos recebiam propina em contratos da estatal,que foi confirmado depois do começo das investigações. O escândalo da corrupção fez com que a empresa perdesse sua credibilidade. A operação que ficou conhecida como Lava jato inclui desde funcionários da empresa até políticos.
    Entre esses contratos feitos estava a compra da refinaria de Passadena, que beneficiou o caixa de dois partidos e também para pagar propina.
    A Petrobras uma grande empresa, que é detentora de ações em um dos mercados de ações mais famosos do mundo, que é o norte americano, é possível afirmar que tamanha corrupção que tem ocorrido dentro da petrolífera afetará o número de investidores e ainda pode sofrer restrições e ser impedida de continuar participando da Bolsa de valores de Nova York.

  59. O texto enfoca na questão de que a empresa brasileira está perdendo credibilidade internacional pelo fato de estar ocorrendo um dos maiores escândalos políticos envolvendo a estatal, segundo a Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2014. E isso está gerando consequências jurídicas tanto no Brasil quanto nos EUA. Esse é mais um escândalo de corrupção o qual o Brasil passa desde que foi criado. E cada vez mais o Brasil se torna um país menos atrativo para o investimento estrangeiro, pois a sua mais empresa estatal está constantemente sendo alvo de investigações de corrupção de seus diretores e funcionários. E isso está afetando diretamente o seu direito de vender suas bolsas no maior mercado de bolsas do mundo, o de Nova York. E como não é nem um pouco interessante para ambos os lados perderem as bolsas da Petrobras, que hoje ocupa o posto de nona maior petrolífera do mundo, portanto autoridades note-americanas também abriram investigações para com os casos de corrupção na estatal brasileira.

  60. No Brasil a Petrobras foi investigada após denúncia de suposto esquema de corrupção, onde políticos recebiam propina em contratos da estatal, que foi confirmado depois do começo das investigações fazendo com que a empresa perdesse sua credibilidade. Por ser configurada como uma sociedade anônima, o seu capital é formado por ações, ou seja, precisa que os investidores acreditem na credibilidade e segurança da empresa e, consequentemente, invistam nela. A crise enfrentada em decorrência da operação lava jato e a comprovação de que houve corrupção por parte de alguns integrantes da empresa que levaram à prisão do doleiro Alberto Yussef e, do ex-diretor de abastecimento, Paulo Roberto Costa são consequência de tais investigações, sendo assim acaba gerando desconfiança e minam com a credibilidade que a imagem da empresa possui no Brasil e exterior, fazendo com que muitos investidores vendam suas ações a preços muito inferiores e os futuros acionistas procuram novos mercados, que sejam mais seguros, para investir. Sendo uma grande empresa e com ações em um dos maiores mercados do mundo geram, no país, uma instabilidade politica e econômica. Além desse impacto negativo, se tem a dificuldade de inserção de empresas brasileira no mercado de capitais americano.

  61. A corrupção na Petrobrás vem tomando forma e sendo elucidada pela Operação Lava Jato, que já se encontra em sua 17ª fase, contando com empresários e políticos de peso indiciados. Ainda assim, a abertura de procedimento investigatório nos Estados Unidos, leva as investigações a um novo patamar. Dessa forma, os órgãos de investigações americanos buscam a proteção dos acionistas do país e a responsabilização criminal dos envolvidos nas operações criminosas realizadas dentro da Petrobrás que já levaram a rombos bilionários no caixa da empresa e nos cofres públicos. Recentemente, a empresa de classificação de risco, Moody’s rebaixou a nota de confiabilidade do investimento no Brasil e mesmo não sendo classificado como mal pagador, já mostra reflexos dos procedimentos investigatórios que estão a graves impactos na economia brasileira. Ainda assim, a busca pelo crescimento não vem sendo alcançada devido a problemas internos do Brasil e táticas duvidosas usadas pelo então Ministro da Economia em seu cargo designado pela então presidente, Dilma Roussef, onde ainda vale-se ressaltar o seu possível envolvimento no escândalo da Petrobrás tendo em vista que a mesma já ocupou cargos de gerência na estatal.

  62. Com o passar do tempo à situação da Petrobrás piorou consideravelmente, com dimensão dos desvios e a desvalorização na bolsa de valores, gerou um grande prejuízo. A credibilidade que antes possuía, hoje é vista com uma maquiagem ‘’para gringo ver’’, pois o Brasil já possuía uma fama ‘’ onde tudo se dá um jeitinho’’, um país de políticos desonestos e mesmos assim de um povo alegre, mas quando seu maior símbolo patrimonial, que é a Petrobrás, foi usado como uma ‘’maquina influência’’ de um governo corrupto veio a revelar-se a fragilidade da empresa, que era comandada por executivos e que não possuía uma forma clara e concreta de demostrar seus gastos e seus lucros para os principais interessados, que são os brasileiros. A imagem enfraquecida não somente perante empresas americanas como em diversos países, serve de chacota para programas de Humor como o de John Oliver, do Last Week Tonight que se passa nos Estados Unidos, ironizando o fato da atual presidente pertencer o conselho da empresa, quando os desvios ocorreram (revelados na Operação Lava Jato). Neste momento resta somente confiar na independência e força do judiciário brasileiro para investigar todos os fatos e julgar os acusados.

  63. O texto retrata o processo investigativo que foi aberto pelas autoridades americanas, contra as ações desenvolvidas e emitidas pelos administradores da Petrobrás, uma vez que esta as negocia na bolsa de valores de NY. A mesma, envolvida em inúmeros casos de corrupção em 2014, e que continuam a perdurar neste ano, vem acabando com sua credibilidade diante do povo brasileiro, com a Operação Lava Jato apurando o esquema de lavagem de dinheiro em que políticos receberiam propina em contratos da estatal. Infelizmente, as investigações ainda estão muito vagas e os processos investigativos ocorrem de maneira lenta.
    Com a entrada das autoridades norte-americanas, poderá haver uma agilização nas investigações, que acarretará em uma perda financeira por parte da empresa caso haja condenações dos envolvidos, já que os órgãos fiscalizadores americanos possuem normas rígidas em relação às empresas que negociam ações em sua bolsa de valor.
    Concluindo, é bem possível e previsível que o resultado dessas investigações possam prejudicar ainda mais a imagem no Brasil no exterior e agravar a crise do país. Mas, situações como essas se tornam inevitáveis diante de tamanha corrupção.

  64. A Petrobrás é alvo das autoridades americanas sobre sua conduta nos Estados Unidos, o que poderá afetar negativamente a imagem da empresa. A investigação do escândalo, de acordo com Boccuzzi, pode dificultar o acesso de outras empresas brasileiras ao mercado de capitais americano. Em geral, investidores estrangeiros vão se sentir temerários em investir em empresas nacionais, principalmente estatais, que queiram emitir valores mobiliários em bolsas no exterior.

    Segundo o jornal britânico Financial Times, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal contra a estatal e a Securities Exchange Commission (SÉC) – órgão que regula o mercado de capitais nos EUA e equivalente no Brasil à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – vai iniciar uma investigação civil contra funcionários da empresa.

    A situação da Petrobrás demonstra como nossa democracia e governabilidade ainda é frágil. Utiliza-se de empresas estatais como instrumento de fazer política partidária, afastando da boa gestão que toda empresa deve buscar. O resultado, é claro, não poderia ser diferente do que a afetação negativa da imagem não só da empresa, como também do país, o que trará prejuízos reais para o país, que ficará menos confiável para investimentos.

  65. A Pétrobras sempre foi um dos maiores orgulhos para qualquer cidadão brasileiro e nos últimos tempos começamos a assistir sua queda e sua decadência , devido a sua péssima gestão e claro a corrupção .
    Não é atoa que o Brasil teve uma queda significativa no no índice de investimentos que os outros países fazem aqui, tudo por causa da má gestão , da falta de seriedade dos nossos políticos.
    O nosso governo não deveria fazer parte da gerência de uma empresa tão grande como a Petrobras , pois em tudo que ele tenta interferir não dá certo, se a Petrobras fosse totalmente privatizada ela não passaria por tantos problemas políticos .
    É necessário que se faça justiça na operação lava-jato,para que comece um processo de restruturação da Petrobras, devemos mudar sua gestão , privatizar e conseguir novos investidores.
    O estado tem muito mais coisa importante com que se preocupar do que manter uma empresa publica apenas para abastecer a corrupção do país. Com toda certeza a Petrobras seria muito mais vantajosa para o povo brasileiro se tivesse inserido na competitividade privada. Não há porque o gOverno ser empresário .

  66. A Petrobrás é um exemplo de empresa estatal que cresceu muito no mercado de petróleo e minerais. Contudo, o Brasil, como vários países em situação de desenvolvimento, passam por inúmeros problemas relativas à corrupção no governo. Mas, o problema no Brasil tem se tornado muito grave com os anos, porque os esquemas são tão bem elaborados e o dinheiro corrompido é tão grande que a investigação se torna difícil pois as pessoas envolvidas têm muito dinheiro e poder.
    A Petrobrás está passando por um momento muito difícil atualmente. Com a crise mundial a tendência já era de caída na Bolsa de Valores. Contudo, a descoberta de esquemas de corrupção graves, que desviam quantidades exorbitantes de dinheiro da estatal, levou a empresa a uma crise extremamente complicada e rebaixou a empresa em muitas Bolsas de Valores.
    Isso ocorre porque, para que o investidor tenha interesse em capitalizar seu dinheiro em empresas, é de costume que se analise a estabilidade da empresa em relação ao seu capital e o valor das ações. Mas, primeiramente o investidor tem que ter confiança no controlador da empresa.
    O que ocorre com a Petrobrás é que essa confiança não existe mais. Os investidores estão assustados com o tamanho do esquema de corrupção. Não existe mais confiança na Petrobrás, porque não se sabe a honestidade do controlador

  67. A conseqüência da Operação Lava Jato, no contexto internacional econômico, já é perceptível no mercado de capitais. Desde o início da Operação iniciada pela Polícia Federal, a confiança na maior empresa estatal brasileira, a PETROBRAS, vem caindo gradativamente. Vez que mesmo sendo uma empresa estatal, tem o seu capital aberto na forma de ações em Bolsas de Valores do mundo inteiro tinha investimentos altíssimos de estrangeiros. Qualquer pessoa investidora em ações de mercado de capitais acaba ficando receosa para investir em uma empresa que tem tanta influência política como a Petrobras, diminuindo a confiança em investir seu dinheiro e perder por motivos de corrupção interna, por influência e em busca de favorecimento político. Até a finalização do julgamento dos envolvidos no esquema, desde ex- presidente a empresários favorecidos nas licitações, muita coisa ainda pode acontecer no cenário econômico. Nós, brasileiros, esperamos que a corrupção dentro da Petrobras não atinja mais ainda as nossas exportações, e a entrada de novos investidores em outras espécies de mercado, causando o colapso ainda maior na nossa economia que vai de mal a pior.

  68. Tudo no Brasil gira atualmente em torno dessa gigantesca empresa pública e das venenosas revelações que surgem a cada dia. A Petrobras, não é uma empresa qualquer. É ela a responsável por um décimo de todos os investimentos feito no Brasil. E é por isto que o atual Governo, nocauteado pela crise econômica, teme não só a repercussão política do caso, mas também uma eventual ressaca econômica e também social. A intensificação das investigações sobre corrupção na Petrobras ameaça afetar a capacidade da companhia de financiar o maior plano de investimento de petróleo do mundo. A companhia provavelmente não terá acesso aos mercados internacionais de dívida, já que tem dependido da venda de títulos no exterior para obter financiamento em uma proporção maior do que qualquer outra empresa em mercados emergentes. O Financial Times afirmou que a Petrobras deixou de ser conhecida por suas “proezas tecnológicas e descobertas gigantes de petróleo” para se tornar “um símbolo de conduta ilegal e objeto de ridicularização para muitos brasileiros”. O fato é que o desdobramento da Operação Lava-Jato, envolvendo corrupção na Petrobras, mudará para sempre as relações entre a sociedade brasileira, o Estado brasileiro e as empresas privadas. Em suma, fica claro que os investidores estão retraídos em relação ao Brasil devido a fatores como falta de crescimento, inflação crescente, o terrível sistema tributário, falta de pessoal treinado, leis trabalhistas ruins etc. O escândalo vai apenas aumentar o ceticismo entre os investidores no curto prazo.

  69. O Brasil cada dia se supera mais no quesito corrupção. O que já não causa mais tanto espanto aos brasileiros, acostumados com tais escândalos, mas que suja constantemente o nome do Brasil frente aos investimentos estrangeiros. Agora foi a vez da Petrobras aparecer em talvez um dos maiores escândalos do país, pelo o menos o que com certeza causou mais impactos, tanto econômicos como políticos. A empresa de petróleo que até então era responsável por um décimo de todo o investimento feito no Brasil assiste agora suas ações afundarem assustadoramente e leva junto toda a crença de seus futuros possíveis investimentos do exterior. A operação lava-jato é a responsável por investigar os rombos sofridos pela empresa, revelando nome de políticos de altos cargos, alem das empresas envolvidas, todos suspeitos de receber propina com o dinheiro publico, fraude em licitações e tantos outros.
    O reflexo disso no cenário internacional não podia ser outro, as desconfianças dos investidores foram tamanha que o Brasil teve retirado o selo de bom pagador no exterior. Somada ainda a crise econômica interna instalada. A Petrobrás que era referencia em tecnologia e descobertas de petróleo, hoje é reconhecida como um dos maiores escândalos de corrupção brasileiros, servindo como motivo de vergonha para o Brasil.

  70. Isto mostra que cada vez mais o nosso país esta caindo no conceito de pessoas e paises, estamos enfrentando uma época em que as pessoas perderam a vergonha e roubam descaradamente sem medo de serem punidos como é o caso da maioria das pessoas que estao envolvidas nesse escândalo da Petrobras, uma das maiores empresas do país, que possue nome tanto aqui no país como no exterior.
    Com isso o país todo vai perdendo credibilidade, e assim os investidores deixam de investir nas empresas do pais com medo de perder o dinheiro que foi investido. Assim pode se concluir que se nao mudarmos nossa conduta, a imagem do pais vai ficar tao falada nos outros países que não vamos conseguir fazer mais nada com os outros paises e assim entraremos numa crise maior ainda, que pode n ter volta.

  71. Sem duvida a investigação dos Estados Unidos da America é de grande abalo para a credibilidade internacional da Petrobras, uma credibilidade já abalada, por seus inúmeros escândalos e processos por causa da corrupção , coisa que infelizmente já virou rotineira no governo petista nos últimos anos. Convenhamos que os inúmeros depoimentos, contratos fraudados, e as provas inquestionáveis, não deixam duvida que a Petrobras foi durante anos e anos, meio de enriquecimento ilícito para inúmeras pessoas
    A entrada das autoridades norte americanas, em principio pode realmente ter abalado a estrutura da Petrobras, e principalmente da população, amas acredito que em longo prazo, isso sera de grande ajuda para que esta gigante, pertencente em sua maioria ao brasil, volte a ter nome e credibilidade no mercado, brasileiro e internacional.

  72. Há tempos que a Petrobras se tornou um símbolo de prosperidade e crescimento do Brasil, porém, assim como o país, ela também entrou em uma decadência alarmante nos últimos tempos. Devido a anos de uma gerência de competência duvidosa e marcada por ser um cabide de empregos do governo que está no poder do país, a maior companhia estatal brasileira traça um rumo difícil de ser revertido.
    A imagem da Petrobras no plano internacional está, evidentemente, refletindo a imagem econômica interna brasileira. Com relação à estatal, verifica-se uma baixa no preço do barril de petróleo atrelada a uma crise econômica: a queda do preço do barril em cerca de 50% no período de um ano altera totalmente o funcionamento e o cenário econômico da empresa.
    Somando a má administração corrupta com a redução dos subsídios estatais, que eram repassados constantemente a empresa, e a baixa do preço do barril de petróleo, a credibilidade do investidor interno e externo na Petrobras caiu consideravelmente agravando ainda mais a crise.
    Tornaram-se públicas várias fraudes nos contratos firmados com a Petrobras e outras irregularidades, descobrindo-se o que já há muito tempo era desconfiado, provando que há um forte esquema de pagamento de propina. As turbulências enfrentadas pela Petrobras geram desconfiança e reduzem a credibilidade que a empresa possui no exterior, tendo ocorrido até Dezembro no mínimo quatro ações contra a empresa nos Estados Unidos da América.

  73. A Petrobras, com cerca de 86.000 funcionários, não é uma empresa qualquer: refina 98% da gasolina consumida no Brasil, mantêm negócios com quase 20.000 empresas que lhe fornecem todos os tipos de produtos e serviços, e é ela própria responsável por um décimo de todos os investimentos feitos no Brasil. Para compreender melhor o quão é prejudicial ao Brasil a perda de credibilidade da estatal, vale lembrar qual é o seu tipo societário. Por ser configurada como uma sociedade anônima, o seu capital é formado por ações, ou seja, precisa que os investidores acreditem na empresa e, consequentemente, invistam nela. Infelizmente, o que vem acontecendo, é a perda de confiança por parte desses investidores que estão vendendo suas ações a preços muito inferiores. Esse cenário, cada vez mais comum, traz prejuízos inestimáveis ao país como um todo. A demissão de trabalhadores se torna cada vez mais frequente, uma vez que a empresa não tem capital suficiente para mantê-los e precisa cortar gastos. A investigação por parte dos EUA agrava mais ainda a situação no plano internacional, tornando-se uma preocupação pior, já que as empresas precisam atrair investimentos a longo prazo para que se crie riqueza, empregos e renda no país, e a Petrobrás era uma das maiores fontes de riqueza do território brasileiro, não se sabendo se a situação retornará um dia ao que era antes.

  74. Nos últimos tempos, foram descobertas várias fraudes nos contratos que envolvem a estatal Petrobras. Descobriu-se que já há muito tempo existia uma grande rede de pagamento de propinas. Nessa sujeira estão envolvidos políticos tanto apoiadores do governo quanto da oposição, empresários, funcionários públicos e vários outros seguimentos. Por ser uma empresa que representa o Brasil mundialmente, tais escândalos têm gerado no país instabilidade tanto na área política como econômica. O escândalo tem sido noticiado fora do Brasil, especialmente nos EUA. Sendo a Petrobras uma empresa de nível internacional, com ações no undo inteiro, é possível afirmar que tamanha corrupção que tem ocorrido dentro da petrolífera afetará o número de investidores. Estão surgindo várias propagandas negativas que estão sujando a imagem imagem da empresa, símbolo de riqueza do Brasil, logo, não se deve esperar nada diferente do que uma visão denegrida no exterior que corrói a imagem da empresa e do Brasil. As dificuldades enfrentadas pela Petrobras reduzem a credibilidade da empresa devido a grande desconfiança existente, tendo ocorrido até Dezembro no mínimo quatro ações contra a empresa nos Estados Unidos da América.

  75. A prisão de executivos de empresas que respondem por boa parte do financiamento de campanhas eleitorais no país terá consequências inevitáveis sobre a forma como se faz política atualmente no Brasil.
    Mas a primeira vítima efetiva da avalanche provocada pela PF será a Petrobras, estatal que está no epicentro da crise que eclodiu em março.
    A credibilidade da maior empresa do país está no chão. O envolvimento de ex-diretores da estatal no esquema desbaratado pela PF travou operações corriqueiras, como a publicação do resultado da companhia no último trimestre.
    O Palácio do Planalto reconhece que é preciso agir rápido para tentar, de alguma forma, limpar a imagem da empresa e evitar que os futuros desdobramentos das investigações comprometam, ainda mais, a capacidade da estatal de investir e operar.

  76. Passados 2 anos da publicação desta, vivemos um cenário ruim. A Petrobras está no começo do processo de restruturação que, pelo seu tamanho e do desastre, sendo que há meio trilhão de reais de dívida para pagar, não deve ser rápido. A própria empresa explicou que serão necessários anos para colocá-la de novo nos trilhos. Embora a Petrobras esteja conseguindo vender ativos e arrecadar os US$ 15 bilhões que precisava e que rolou dívida de curto prazo e até conseguiu adiar a multa para ano que vem, no longo prazo, há razões para estar bem preocupado. Essas boas-novas realmente podem esconder verdadeiros cavalos de troia. Fato é que há uma mudança na gestão da estatal, e isso indica agregação de valor. As primeiras iniciativas dessa nova gestão são no sentido de profissionalização e atendem a solicitações frequentes do mercado, o que é bastante positivo. É possivel que partes da estatal sejam privatizadas, mas isso resultará em uma empresa mais focada e pragmática, que estará apta a tomar decisões mais tecnicas, e menos políticas, como as que originaram a onda negativa.

  77. A corrupção no Brasil está cada vez maior. A Petrobras é responsável de uma gigante parcela econômica brasileira(13% do PIB), mantendo além de enormes investimentos, milhares de funcionários, e milhares de empresas em atividade. A Petrobrás sempre teve um nome forte nacionalmente e internacionalmente. A descoberta do pré-sal possibilitou o arranque das ações da Petrobrás na bolsa, e em 5 anos esta dispensou de 50 para 7 reais, e ainda com as investigações criminais, causando a queda de toda a bolsa brasileira. A cada dia que passa o Brasil se torna um país menos atrativo para o investimento estrangeiro, pois a sua mais empresa estatal está constantemente sendo alvo de investigações de corrupção de seus diretores e funcionários. E isso está afetando diretamente o seu direito de vender suas bolsas no maior mercado de bolsas do mundo. Uma solução para está situação seria a privatização que favoreceria a empresa, pois assim as decisões tomadas la dentro, seriam menos políticas e mais inteligentes, além de que a corrupção seria mais bem vigiada.

  78. Apos iniciada, as investigações do processo da lava jato, a PETROBRAS de uma forma geral, ficou muito mal vista, e especulada não so no brasil mas como no exterior também. O jornal britânico Financial Times em matéria publicada afirma que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal contra a estatal. Já o SEC órgão que regula o mercado de capitais nos EUA e equivalente no Brasil à CVM, vai iniciar uma investigação civil contra funcionários da empresa, impossível dizer que tais investigações não vão voltar a abaixar as ações da empresa que também opera na bolsa de nova york. A credibilidade da maior empresa do país está no chão. O envolvimento de ex-diretores sera mais que comprovado agora.
    O mercado de capitais só funciona se existir credibilidade para atrair investidores interessados em investir de forma saudável, diz Bueno Cateb. O mercado que não tem a devida credibilidade passa a ser totalmente especulativo. As empresas precisam atrair investimentos a longo prazo para permitir a criação de riqueza, empregos e renda no país. Fica uma reflexão, para ate onde poderemos “lutar” pela credibilidade e ordem da nossa estatal, tendo em vista a situação que se agrava e apodrece cada dia mais.

  79. A Petrobras, antigamente, empresa estatal que era sinônimo de orgulho para os brasileiros, passa a ser sinônimo de vergonha e indignação para aqueles que acompanham e recebem dia após dia informações da mídia sobre o esquema de corrupção da Operação Lava Jato. A imagem da Companhia não se encontra negativa apenas no plano interno mas também no cenário internacional, o que traz impactos negativos para a economia nacional visto que a falta de credibilidade da empresa faz com que investidores percam o interesse de investir no país não só nessa empresa, mas também nas demais estatais, pois de um modo geral o pais perde credibilidade e segurança para investimentos externos. A corrupção na Petrobras demonstra que a empresa esta presa as influencias políticas o que é inadmissível, principalmente por causa de seu tipo societário já que as ações são negociadas na bolsa de valores. Como S/A, a empresa precisa da credibilidade e segurança jurídica para atrair e contrair investimentos. Sendo ela alvo de investigações, os investidores não possuem confiança para investir ou permanecer com suas ações na empresa, o que é necessário para firmar seu patrimônio, criando riquezas e gerando emprego e renda para o país. Dessa forma as ações da Petrobras vão perdendo o seu valor, o que culmina em trabalhadores perdendo o seu emprego e o país entrando na fase de recessão cada vez maior. Rogo para que o Brasil retome o rumo do crescimento.

  80. Que a corrupção dentro da Petrobras repercutiu negativamente tanto no âmbito interno quanto externo não há duvidas. O impacto financeiro do crime organizado no entorno da estatal contribuiu para inicio de uma crise econômica jamais vivenciada antes. Em momentos de crise, a imagem junto aos investidores externos não pode ser abalada, uma vez que há necessidade dos mesmos, para auxiliar na retomada a médio/ longo prazo do crescimento. Corrupção é um péssimo quadro para essa situação. O investidor não colocara recursos em um país afundados na desonestidade por parte de pessoas importantes ligadas ao governo. Investidor não perde dinheiro. Ele injeta recursos para colher futuramente. O que deve ser feito, e vem sendo feito é uma investigação livre de influências para apurar todos os fatos e punir os criminosos, para enfim retomar a imagem arranhada e a confiança do investidor.

  81. A Petrobrás possui papéis comercializados na Bolsa de Valores de Nova York, correspondentes à ações, e quando emitidos nos Estados Unidos, mesmo que por empresa estrangeira, submetem sua emissora à jurisdição americana.
    Em decisão recente, a Justiça dos Estados Unidos autorizou o processo dos investidores em face da Petrobrás como um grupo, devido às perdas milionárias em razão das investigações da Operação Lava Jato que a envolvem.
    A acusação é de que a empresa violou as normas de segurança do órgão que regula o mercado de capitais dos Estados Unidos, bem como o superfaturamento do valor de suas propriedades e equipamentos em seu balanço oficial.
    A Petrobrás, patrimônio de todos os brasileiros, que já foi uma das maiores empresas do mundo, agora enfrenta uma série crise decorrente de corrupção e incompetência, atingindo o setor do petróleo brasileiro como um todo.
    Desta forma, para recuperar toda sua produção, investimentos e bom nome no mercado, ela agora precisa de pegar empréstimos e emitir debêntures, para fazer com que voltem a investir, retomando o crescimento à curto prazo.

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s