Obama diz que não se pode deixar crise europeia ameaçar recuperação global


Líderes 'compartilham' opinião de que moratórias na Europa seriam 'desastre'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira, ao receber a chanceler alemã, Angela Merkel, que não se pode permitir que a crise de dívida enfrentada por diversos países europeus ameace a recuperação da economia mundial.

“Eu apreciei muito as opiniões da chanceler sobre a situação financeira na Europa, a qual, nós concordamos, não se pode permitir que coloque a recuperação econômica global em risco”, disse Obama, em entrevista conjunta, após uma reunião privada com Merkel na Casa Branca.

A crise provocada por altos níveis de dívida pública e deficit em países europeus como Grécia, Irlanda e Portugal –obrigados a adotar medidas de austeridade e aceitar ajuda internacional – já foi citada por Obama como um dos problemas externos a afetar a recuperação econômica americana.

Nesta terça-feira, ao lado de Merkel, o presidente disse que o crescimento econômico dos Estados Unidos depende de uma resolução sensata desse problema.

“Acreditamos que seria desastroso para nós ver uma espiral descontrolada e moratória na Europa, porque isso poderia desencadear uma série de outros eventos. E eu acho que Angela compartilha da mesma opinião”, disse Obama.

Cooperação

Merkel chegou a Washington na noite de segunda-feira, para uma visita cercada de cerimônia, que inclui um jantar de Estado em sua homenagem na noite desta terça-feira.

A chanceler alemã também receberá de Obama a Medalha Presidencial da Liberdade, a principal condecoração civil americana.

Na entrevista concedida após reunião privada na Casa Branca, os dois líderes destacaram a parceria entre seus países.

Obama ressaltou o papel das tropas alemãs no Afeganistão, e Merkel destacou o papel dos Estados Unidos na unificação da Alemanha.

Os dois líderes também falaram de assuntos globais, como o processo de paz no Oriente Médio e a situação em países da região e do norte da África, que registram uma onda de manifestações pró-democracia.

Ambos voltaram a dizer que o líder líbio, Muamar Khadafi, deve deixar o poder.

“A chanceler e eu fomos claros: Khadafi deve renunciar e entregar o poder ao povo líbio, e a pressão só vai continuar a aumentar até que ele faça isso”, disse Obama.

Fonte: BBC

About these ads

Comente esta notícia!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s